Método ensina profissionais de saúde a olhar (e enxergar) os pacientes

Método criado pelo fisioterapeuta francês Jean-Paul Rességuier em 1985 favorece uma postura reabilitativa entre os profissionais de saúde

Método Rességuier: a que se propõe a técnica de olhar diferente o pacienteMétodo Rességuier propõe uma mudança de olhar do profissional da saúde para o paciente, seja ele humano ou animal (Foto: Bigstock)

Quem já vivenciou uma consulta médica que durou, no máximo, 10 minutos sabe bem quando um médico não dá a devida atenção ao paciente. A dor pode até ser curada com os medicamentos prescritos pelo especialista naquele curto tempo de conversa, mas a relação entre o médico e o paciente nunca irá além das queixas, dos exames e dos equipamentos colocados entre eles.

>>> Reduza a ansiedade com essas nove técnicas de relaxamento

Entra, então, o método Rességuier. Criado em 1985 pelo fisioterapeuta francês Jean-Paul Rességuier, o método propõe desenvolver um novo olhar do profissional de saúde (seja médico, enfermeiro, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, etc) ao sujeito que está sendo tratado, humano ou não.

No início da carreira profissional, os especialistas podem até se dedicar ao paciente com atitudes únicas, conforme a situação clínica. Com o passar dos anos, porém, essa dedicação se transforma em um contato cada vez mais automático, inconsciente. O método permite voltar ao contato consciente e mais estável.

Assim, não há apenas uma dor ou uma queixa, mas uma pessoa em frente ao profissional, que precisa ter o sofrimento aplacado de uma forma personalizada. De acordo com Jean-Paul Rességuier, que esteve em Curitiba em meados de março para uma palestra na Escola Homeopática de Curitiba, onde conversou com o Viver Bem, o método passa pelo contato físico, mas também pela presença de ambos os sujeitos em um mesmo ambiente.

“Um elemento particular, uma ferramenta dessa metodologia é poder desembarcar no ‘aqui e agora’ da situação. Isso significa estar na singularidade do que acontece agora mesmo, e isso marca o início de um tratamento”, explica o fisioterapeuta.

Tratando da ansiedade 

Para exemplificar, Rességuier cita a ansiedade — condição comum na sociedade atual. “Certamente dá para abordar a ansiedade pelo método, mas vamos abordar o elemento. A ansiedade é uma palavra que carrega muitas características diferentes, e existem várias ansiedades, que variam conforme a pessoa. Aí já há uma ambiguidade: se eu falo ansiedade, outros podem se identificar com isso, mas vamos permitir ir além desse conhecimento comum, desse primeiro nível e chegar ao que sustenta a ansiedade para essa pessoa”, diz o especialista.

Os motivos que levam à manifestação dos sintomas de ansiedade mudam conforme a pessoa, e é essa mudança de percepção, de olhar, tanto do profissional quanto do paciente que permite que o método funcione. “[o método] vai permitir que ela [paciente] se destaque do nome comum, da percepção comum da ansiedade, e chegue à singularidade da vivência dela [com a ansiedade]”, completa.

“Antes de passar pelo toque, o método passa pelo discurso. O discurso é uma relação viva, atual. Eu não posso responder exatamente a mesma coisa que respondi à uma dúvida semelhante em outra vez, porque esse momento é singular. Há exclusividade nesse momento”, explica Jean-Paul Rességuier, criador do método Rességuier. 

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário