O lado bom (e ruim) do amendoim, o queridinho das festas juninas

Saiba porque o famoso amendoim japonês, muito consumido como aperitivo, entra na categoria dos processados e não é considerada a melhor escolha

Para tirar os chamados fatores antinutricionais, os grãos devem ser deixados de molho por quatro horas. Depois disso, escorra e seque os amendoins no forno pré-aquecido. Foto: Bigstock.Para tirar os chamados fatores antinutricionais, os grãos devem ser deixados de molho por quatro horas. Depois disso, escorra e seque os amendoins no forno pré-aquecido. Foto: Bigstock.

Ele é figura comum no cardápio das festas juninas e julinas, mas não é somente nessa época do ano que o amendoim está presente na mesa dos brasileiros. Além da versão tradicional, em grãos, hoje é possível encontrar no mercado diversos derivados da leguminosa, como a pasta, o leite e a farinha.

Versátil, esse alimento de origem sul-americana vai bem em preparações doces e salgadas e pode entrar na dieta, com moderação, em vários momentos do dia. Apesar de ser bastante energético (ou seja, calórico), o amendoim traz diversos benefícios para a saúde.


“Sendo uma leguminosa, é uma das principais fontes de proteína vegetal. Em 100g de amendoim cru, há 27g de proteína, 20g de carboidrato, 8g de fibras e 43g de gorduras”, descreve a nutricionista esportiva funcional Anne Porto Dalla Costa.

O amendoim também oferece gorduras monoinsaturadas, que, conforme a nutricionista clínica e esportiva Viviane Braz, são aquelas que ajudam a melhorar os índices do bom colesterol e ainda trazem sensação de prazer.

“A versão com casca também tem resveratrol, substância bem conhecida nas uvas e que combate o envelhecimento das células”, diz Viviane.

Mas é bom ficar atento às quantidades. Por ser rico em gorduras, o alimento é bastante calórico — 100g têm, em média, 700 calorias. Portanto, deve ser consumido com parcimônia por quem quer emagrecer.

Em 100g de amendoim cru, há 27g de proteína, 20g de carboidrato, 8g de fibras e 43g de gorduras. (Foto: VisualHunt)

“Para as pessoas que precisam perder peso, recomendo não comer diariamente e restringir a porção a 30g do grão cru ou tostado, misturado com outras proteínas. Para quem já tem o peso adequado, o consumo regular é bem interessante”, sugere Viviane.

>> Carne branca também aumenta o colesterol ruim

De olho nos aperitivos

As propriedades benéficas do grão são encontradas na versão in natura. O famoso amendoim japonês, muito consumido como aperitivo, entra na categoria dos processados.

“Além de amendoim, ele contém farinha, açúcar, shoyu, sal, amido, fermento e realçador de sabor glutamato monossódico. É um produto altamente processado e de conteúdo mais calórico e prejudicial do que o amendoim natural”, destaca a nutricionista Anne Porto Dalla Costa.

Doce

Como é preparado com açúcar refinado, o popular “cri-cri” não traz tantos benefícios. A dica é optar por uma receita com açúcar mascavo. Vale o mesmo para as paçoquinhas: prefira as opções que não tenham açúcar branco.

Derivados

Pasta, leite e farinha de amendoim oferecem as mesmas qualidades do grão natural. No entanto, por ter uma fração líquida, o leite pode ter menos fibras.

Cru ou torrado?

Alguns estudos sugerem que a versão torrada é mais alergênica do que a crua, mas ainda não há um consenso sobre isso na ciência. Sabe-se que, ao passar pelo forno, a leguminosa torna-se mais calórica.

COMO ESCOLHER

Na hora da compra, vale a regra de ouro da alimentação: leia os rótulos.

– Se houver gordura (óleo vegetal ou gordura vegetal) entre os ingredientes, o amendoim pode ter sido frito, e não assado, alerta a nutricionista Anne Porto Dalla Costa.

Outro cuidado é buscar produtos que tenham o selo da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab), que garante os padrões de qualidade do alimento. Sempre que possível, busque informações sobre a safra dos grãos e dê preferência aos mais novos. Como tem gorduras, o produto pode ficar rançoso.

PREPARO

Para tirar os chamados fatores antinutricionais, a nutricionista Viviane Braz sugere que os grãos sejam deixados de molho por quatro horas. Depois disso, escorra e seque os amendoins no forno pré-aquecido.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário