Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Os riscos da cama elástica: veja os cuidados antes de deixar a criança pular

O uso inadequado da cama elástica pode levar a uma série de problemas, como fraturas, lesões nos ligamentos, contusões e outros traumas; saiba como orientar as crianças

Pode ser divertido, mas a cama elástica não é um brinquedo inofensivo. Fique atento aos cuidados antes de deixar a criança pular. Foto: Bigstock

Pula-pula, trampolim ou cama elástica.  Esse brinquedo é conhecido por nomes diferentes, mas sua função é única: divertir a criançada por horas em festas de aniversário, escolas, espaços infantis de condomínios e até mesmo em casa. No entanto, ele não é inofensivo como parece e algumas orientações são necessárias para que as crianças brinquem com segurança.

>> A idade ideal para deixar as crianças dormirem na casa de amigos e o que ensinar a elas

De acordo com o ortopedista pediátrico Evando Góis, que atende no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, é comum atender pacientes que se machucaram ao pular no brinquedo. “São crianças com fraturas, lesões nos ligamentos, contusões e uma série de traumas que aconteceram devido ao uso inadequado da cama elástica. Alguns vão mancar pelo resto da vida”, alerta o médico

A maioria dos casos, segundo ele, foram registrados devido ao grande número de crianças brincando ao mesmo tempo. “Quanto mais gente na cama elástica, maior a chance de cair e se machucar. Por isso, o ideal é que as crianças de até quatro anos brinquem sozinhas”, orienta.

Além disso, quando pessoas de diferentes tamanhos pulam juntas na cama elástica, elas colocam em risco as menores. “Cada um vai pular com a mesma força que colocou na lona. Então, os pequenos sempre vão receber uma pancada quando estiverem pulando porque os outros têm mais força que eles”, explica o ortopedista.

Crianças até 4 anos devem  pular sozinhas na cama elástica. Após essa idade, é possível pular em grupo, mas com muito cuidado. Foto: Bigstock

O grande número de usuários e a diferença de tamanho entre eles fez com que a estudante Camila Rodrigues Esteves, de 11 anos, rompesse o ligamento cruzado do joelho esquerdo ao pular na cama elástica. O acidente ocorreu em uma festa de aniversário na cidade de Arapoti, no interior do Paraná, e a cirurgia foi realizada em Curitiba na última quinta-feira (7).

“Ela estava pulando com um adulto e outras quatro crianças, quando caiu de mau jeito e sentiu uma dor bem forte no joelho. Na hora já inchou e ela veio chorando me contar”, relata a mãe Fernanda Rodrigues Esteves, de 41 anos.

Depois de várias consultas com médicos da cidade e a realização de uma ressonância magnética, a família procurou um especialista da capital para diagnosticar corretamente a garota. “Nos falavam só em fazer compressa, mas o inchaço não diminuía e ela reclamava de dor. Aí descobrimos em Curitiba que ela tinha rompido o ligamento”, relatou a mãe, que agora manterá a filha na cadeira de rodas por 40 dias e a ajudará nas sessões de fisioterapia.

Outros cuidados

Segundo o ortopedista Góis, casos como o de Camila também ocorrem devido ao uso de calçados na cama elástica. “A criança deve sempre pular descalça porque o tênis ou outro sapato limitam a sensibilidade dela”, afirma o médico. Isso ocorre porque a lona apresenta sempre alguma inclinação durante a brincadeira, e o pé da criança tem sensibilidade para distinguir isso. Entrar no pula-pula sem calçado também evita que o sapato enrosque em algum vão do trampolim e prenda o pé da criança. Além disso, garante mais mobilidade ao tornozelo, evitando que ela escorregue.

Outro cuidado essencial, de acordo com o médico, é a presença das telas de proteção ao redor da cama elástica para evitar quedas, e também a necessidade de um adulto que olhe as crianças e limite o número de participantes por vez. “Lembrando que, ao sentir qualquer dor, é necessário sair da cama elástica imediatamente”, orienta o ortopedista.

Crianças que possuem cama elástica em casa ou usam o brinquedo várias vezes por semana também podem apresentar problemas de coluna devido ao uso contínuo. “Isso pode ocorrer até com adultos, mas principalmente nas crianças menores, pois a estrutura da coluna é mais frágil e limitado para atividades que envolvam força, trauma ou cargas”, pontua Góis.

Dicas para usar a cama elástica com segurança

-Crianças até quatro anos devem pular sozinhas ou com colegas do mesmo tamanho

-Um adulto deve supervisionar a brincadeira

-A criança deve pular com os pés descalços

-Não usar o brinquedo excessivamente

-A cama elástica deve ter telas de proteção e estar em bom estado de conservação

LEIA MAIS

8 recomendações para você

Deixe seu comentário