Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Pomada de água de coco reduz 21% no tempo de cicatrização em diabéticos

As propriedades da água de coco se mostraram benéficas para acelerar a cicatrização de lesões em vários pacientes, mas especialmente os diabéticos

Produto desenvolvido por pesquisadores brasileiros reduziu 21% no tempo de cicatrização de feridas em diabéticosProduto desenvolvido por pesquisadores brasileiros reduziu 21% no tempo de cicatrização de feridas em diabéticos. Foto: Bigstock.

Há 16 anos, pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará vem desenvolvendo uma pomada cicatrizante feita à base de água de coco em pó que, a partir dos testes realizados, provou ser especialmente benéfica aos diabéticos.

Depois de muitos estudos, o produto estará pronto para ser comercializado ao público em geral — o que deve ocorrer até 2020 em todo o país.

Nos testes com pacientes diabéticos, a pomada feita com água de coco em pó reduziu 21% no tempo de cicatrização das feridas e lesões.

Pacientes diabéticos, quando se machucam, demoram mais tempo para cicatrizar. Isso acontece porque o excesso de açúcar no sangue característico do diabete prejudica o sistema imunológico e as complicações cardiovasculares que a doença impõe bloqueiam ou reduzem a circulação do sangue.

Assim, não é incomum que os diabéticos sofram com amputações e feridas que nunca se fecham.

“[A água de coco] É muito rica em quantidade de açúcares. Mais de 90% de açúcares [compõem a água de coco]. Esse açúcar faz com que não haja contaminação por bactérias, enquanto nutre o tecido que está nascendo. Outro fator que acelera a cicatrização são os hormônios vegetais da água de coco, que favorecem o crescimento dos tecidos”, explica Cristiane Mello, uma das coordenadoras do estudo, pesquisadora e professora doutora no mestrado profissional em Biotecnologia em Saúde Humana e Animal (MPBiotec) da UEC.

A pomada foi testada em pacientes que apresentavam os sinais do pé diabético — uma das complicações da doença, que envolve úlceras nos membros inferiores.

Foi então que os pesquisadores perceberam uma redução de 87 para 68 dias no tempo de tratamento usando o cicatrizante, antecipando consequentemente em 12% na data da alta dos pacientes.

“Os pacientes foram acompanhados entre seis meses a dois anos. Por exemplo, uma senhora de 84 anos, teve a ferida fechada em 96 dias, ou três meses. O tempo de cicatrização depende de cada pessoa e do tamanho da ferida, mas em comparação [com pessoas que não fazem uso da pomada], conseguimos reduzir em 21% esse tempo”, explica Cristiane.

Com relação à frequência de uso, a indicação é para aplicar o produto cada vez que for trocar o curativo. “Se a pessoa faz a troca do curativo todos os dias, todos os dias passa a pomada”, reforça a pesquisadora.

Farmácias de todo o Brasil

Até setembro deste ano, todas as capitais do Nordeste do Brasil terão disponíveis a pomada, cujo nome registado é ACP Derma. Para 2020, todo o país poderá ter acesso ao produto, que será vendido como um dermocosmético.

>>> Pesquisador brasileiro descobre que “gordura” produzida pelo corpo ajuda a tratar diabete

“O foco inicial é para os hospitais, aos setores de atendimento de feridos, especialmente diabéticos. Mas o mercado de farmácias é para atender o público geral e estamos trabalhando para que o produto chegue ao Brasil todo”, completa Cristiane.

Pomada feita a base de água de coco acelera a cicatrização e pode ser usada por diabéticos

Pomada feita a base de água de coco acelera a cicatrização e pode ser usada por diabéticos. Foto: Divulgação.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário