i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Do riso ao choro

Pular na cama elástica exige cuidados para prevenir acidentes

  • PorAmanda Milléo
  • 18/06/2014 21:30
Do riso ao choro
| Foto:

Uma das certezas dos ortopedistas de plantão nos fins de semana é que atenderão mais de uma criança machucada devido a uma aterrissagem mal feita na cama elástica. Os casos mais comuns são de traumas dos membros inferiores, como as torções dos tornozelos, joelhos, além das colisões com outras crianças.

O ortopedista do Hospital Marcelino Champagnat, Mark Deeke, diz que o problema não está na segurança do brinquedo, mas no uso inadequado. Quando não está acostumada aos exercícios físicos, a criança que passa a tarde inteira pulando pode apresentar um cansaço muscular comparável à mudança de série do adulto na academia.

Um simples pulo mal aterrissado pode exigir desde uma imobilização parcial do membro a procedimentos cirúrgicos para correção da fratura e recuperação durante meses. “Uma lesão de ligamento cruzado, no joelho, na maior parte tem indicação cirúrgica. Uma entorse ou distensão dos ligamentos no tornozelo é mais simples e não precisa de operação. A imobilização é seguida de reabilitação fisioterápica – que resolve o problema em dois meses”, diz o ortopedista especialista em joelhos do Hospital Cajuru e Marcelino Champagnat, Fabiano Kupczik.

Primeiros socorros

O primeiro cuidado quando uma criança se machuca é verificar a dor que sente e como reage ao caminhar. “Se é suportável, coloque gelo no local, cuja função analgésica reduz o processo inflamatório”, diz Deeke.

Caso a dor não ceda ao gelo e seja constante, vá ao médico. Se a criança mancar ao caminhar, provavelmente passará por uma radiografia para identificar qual é o tipo de lesão e deverá ser feita a imobilização. Em caso de fraturas expostas busque ajuda. “Não mexa no membro deformado. Se tiver algum ferimento, cubra com uma toalha ou pano limpo e leve a criança ao hospital”, orienta Kupczik.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.