i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Escova e secador são aliados da saúde (e beleza!) da barba

Acessórios ajudam na higienização diária do pelos do rosto para prevenir fungos e evitar o desenvolvimento de dermatites

  • PorVivian Faria, especial para a Gazeta do Povo
  • 21/03/2016 13:00
Da esquerda para a direita, a partir do alto, os bonitões e barbudos Bruno Gagliasso, Ryan Gosling, Cauã Raymond e Leo DiCaprio. Fotos: Divulgação.
Da esquerda para a direita, a partir do alto, os bonitões e barbudos Bruno Gagliasso, Ryan Gosling, Cauã Raymond e Leo DiCaprio. Fotos: Divulgação.| Foto:

Na moda masculina, depois dos lenhadores (lumbers, em inglês), é a vez dos pescadores. Saem as camisas de flanela xadrez, entram os gorros, os cachecóis e os suéteres de malha. Quem fica, ao que parece, são as barbas, mesmo que mais curtas do que anteriormente e um pouco menos frequentes. E, se elas ficam, a preocupação e o cuidado com elas deve permanecer para evitar problemas como foliculite, coceiras, alergias e dermatites, além do aumento da oleosidade da pele.

“Os cuidados básicos incluem: limpeza, hidratação e proteção solar diariamente”, diz a dermatologista e assessora do Departamento de Cabelos e Unhas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Tatiana Steiner.

A limpeza diz respeito não apenas à lavagem diária da barba com sabonetes ou xampus antissépticos e desengordurantes, mas também à lavagem das mãos quando for manipular o rosto. Ao levar as mãos à barba sem lavá-las, o homem deposita ali diversas bactérias e micro-organismos de todo lugar que ele tenha encostado anteriormente.

Fungos

Depois de lavar a barba, é importante secá-la bem para que fungos não se proliferem no local, assim como evitar o desenvolvimento de dermatites. Para isso, é recomendado desembaraçar os pelos ainda úmidos (com ajuda de uma escova de cerdas firmas ou pente com espaçamento médio entre os dentes) e usar um secador com temperatura média e o bocal direcionado para baixo é recomendado.

“Também é preciso cuidar da pele abaixo dos pelos: verificar se não há ressecamento, descamação ou feridas no rosto, que não ficam aparentes devido à barba”, explica Tatiana. Caso seja detectada qualquer alteração, é preciso consultar um especialista. Devido à presença de bactérias no local (e ao constante contato com novas bactérias), qualquer lesão na pele pode servir porta de entrada para uma infecção.

 

HIDRATAÇÃO

Para que os fios não fiquem ressecados, opacos e sem brilho, é preciso hidratar os pelos da barba com máscaras e condicionares. Com ou sem a ajuda de profissionais, aparar os fios para dar forma à barba também contribui para deixar o visual mais bonito.

 

SAIBA MAIS

Estudos indicam que barbas não são “tão sujas assim”

Apesar de serem, sim, lar de diversas bactérias, as barbas não são necessariamente mais sujas do que a pele frequentemente barbeada. É isso que mostram dois estudos publicados recentemente no exterior. O primeiro, realizado por estudiosos do Brigam and Women’s Hospital, em Boston (EUA), pesquisou a presença de bactérias no rosto dos trabalhadores de um hospital para verificar se os barbudos “contribuíam” para a transmissão de infecção hospitalar. A pesquisa mostrou, porém, que “a colonização é semelhante em trabalhadores da saúde com e sem barba, contudo, algumas espécies são prevalecentes nos que não têm barba”.
O segundo, feito pelo microbiologista Adam Roberts, da University London College, no Reino Unido, consistiu na cultura de mais de cem bactérias a partir de fios de barba, inclusive uma do tipo Staphylococcus epidermis, que começou a matar as outras bactérias. Segundo contou à publicação britânica BBC, a descoberta pode levar a novas pesquisas para o desenvolvimento de novos antibióticos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.