Estudo aponta que nosso organismo é formado (principalmente) por bactérias e fungos

Antes associados as doenças, micro-organismos encontrados no corpo humano estão intimamente ligados com a saúde e bem-estar

Na grande maioria dos casos, quando ouvimos falar de bactérias e micro-organismos automaticamente associamos a doenças. Porém estudos revelam que muito além de carne, ossos, sangue e músculos, nosso corpo é formado por um intrincado ecossistema formado por milhares de bactérias e fungos. E todos eles trabalham em benefício do corpo humano, principalmente no equilíbrio físico. Só para ter uma ideia, em nossa pele, ouvidos, cavidade nasal e principalmente no aparelho digestivo, existem diversos micro-organismos “morando” no corpo humano, sendo os mais comuns os Staphylococcus e Streptococcus.

Para você ter noção do quanto estamos intimamente ligados com eles, os números apontam que há em torno de 100 trilhões de micro-organismos com mais de mil espécies formando nosso intestino. Isso equivale a 90% das células que formam esse órgão sendo compostas por bactérias. Estima-se também que somente na boca haja pelo menos 800 espécies.

+ Leia Mais: 5 motivos para você comer mais alimentos fermentados

+ Autoteste para vírus HIV chega às farmácias até julho

Segundo a bióloga e pesquisadora, Alanna Collen, uma das grandes vantagens de perceber a importância desses organismos é que podemos altera-los para melhor, mas em contrapartida quando há alterações, muitos problemas podem estar ligados a eles. “Descobri através de evidências científicas que estavam surgindo, que perturbações aos micro-organismos do nosso corpo estavam por trás de distúrbios gastrointestinais, alergias, doenças autoimunes e até obesidade. E não era apenas a saúde física que podia ser afetada, mas a mental também”, explica. Após o tratamento de uma infecção com antibióticos, Collen percebeu que não somente as bactérias ruins tinham desaparecido, mas também as boas, que tornavam seu organismo equilibrado.

Um dos pontos principais, e que concentram grande parte desses minúsculos seres, é a flora intestinal. Muitas bactérias presentes nessa parte do nosso corpo sintetizam vitaminas como a K e algumas do complexo B. Além disso ajudam a degradar substâncias do nosso próprio metabolismo como fibras e açucares que não somo capazes de metabolizar. Por concentrar 80% do nosso sistema imunológico, quando essa área não está bem muitas doenças podem aparecer.

Em seu livro 10% humano – Como os micro-organismos são a chave para a saúde da mente e do corpo, que chega às livrarias no mês de março, Collen mostra diversos benefícios e dicas de como tratar bem essa população abundante em nosso sistema. O principal deles é prestar mais atenção ao que ingerimos no dia a dia. “Evitando comida embalada em caixas de papelão e mantidas “frescas” por conservantes químicos com perfis de segurança a longo prazo questionáveis, não nos empanturrando além do ponto que nosso pâncreas, tecido adiposo e apetite consigam aguentar e lembrando que as plantas alimentam a nós e nossos micróbios, podemos cultivar um equilíbrio microbiano que servirá de base ao bem-estar e à felicidade”, alerta.

Prestando atenção a esses pontos, é possível melhorar a imunidade corporal e evitar muitas doenças que aceitamos como parte da vida e que, na realidade, não passam de novas condições provocadas pelo fato de não estarmos atentos a saúde dos pequenos seres que vivem dentro de nós.

8 recomendações para você

Deixe seu comentário