Patrocínio

Hospital Pilar Instituto de Oncologia do Paraná

Dá para substituir a carne pela ora-pro-nóbis, planta conhecida como “bife dos pobres”?

As folhas da ora-pro-nóbis são ricas em proteínas e ferro. Segundo nutricionistas, a planta também aumenta a imunidade e controla o apetite

No lugar da carne, uma plantinha. Você conseguiria? Foto: Bigstock.

Muito usada nos jardins como planta ornamental e cerca viva, a ora-pro-nóbis está cada vez mais presente na nutrição e na gastronomia. Com alto teor de proteína, a planta já chegou até mesmo a ser chamada de “bife dos pobres”. Os nutricionistas confirmam os seus benefícios e versatilidade, mas recomendam que ela seja usada como complemento na dieta e não como única fonte proteica.

>> Macia e suave, planta ora-pro-nóbis combina com frutos do mar, caldos e saladas

“A ora-pro-nóbis sempre foi muito usada na culinária brasileira, principalmente em Minas Gerais, mas perdeu espaço para indústria dos alimentos. Agora, assim como as demais plantas alimentícias não convencionais (pancs), está sendo redescoberta”, explica Natália Chede, nutricionista e culinarista especializada em alimentação vegana.

Sobre as propriedades da planta, uma trepadeira rústica da família dos cactos que se adapta praticamente a qualquer clima do país, a nutricionista funcional e naturoterapeuta Marcela Caron destaca o alto teor de proteína (cerca de 25%) e ferro, mas lembra também dos outros benefícios.

A Ora-pro-nóbis pode ser usada no preparo de alimentos, como quiches e omeletes e até em sucos. Foto: Hugo Arada/Gazeta do Povo

“A ora-pro-nóbis também é conhecida por aumentar a imunidade, controlar o apetite, por conter triptofano, que contribui para sensação de saciedade, e melhorar a circulação, pois ajuda na fluidez do sangue”, enumera Marcela. E a fama de super alimento não para por aí: 100 gramas das folhas são suficientes para garantir as necessidade diárias de vitaminas A e C, ferro, manganês, zinco, cobre, magnésio e ferro em adultos.

Versatilidade e sabor

Além dos benefícios nutricionais, o sabor leve e a versatilidade da planta também contribuem para que ela seja cada vez mais incluída no menu dos brasileiros. “Ao contrário de outras pancs, a ora-pro-nóbis pode ser usada in natura e não apenas em refogados”, conta Natália, que diz que a forma mais fácil de incluir o alimento no cardápio é substituindo a couve e o espinafre nas receitas.

“É possível colocar em tortas salgadas, quiches, omeletes, sopas ou até mesmo servir pura, refogada com gergelim e molho de soja”, sugere. Outra possibilidade é usar nos sucos verdes, sempre tomando cuidado em utilizar apenas as folhas, já que os caules são bastante espinhentos.

Como é uma planta não convencional, ainda não é fácil encontrar a ora-pro-nóbis nas gôndolas de mercados e feiras tradicionais. “Nas feiras orgânicas é mais provável que se ache, pois muitos produtores orgânicos têm a ora-pro-nóbis em suas chácaras. E a tendência é que a procura por ela faça com que a oferta cresça gradualmente”, diz Natália. Ela fala também que uma alternativa é plantar em casa, já que ela vai bem no nosso clima e cresce rápido.

Complemente, não substitua

Apesar de todos os benefícios, porém, é bom se atentar para uma questão levantada pelas nutricionistas: por ser uma folha, dificilmente a ora-pro-nóbis pode ser usada como única fonte de proteína da dieta. Isso significa dizer que ela, ao contrário do que se possa pensar, não substitui facilmente o bife do cardápio.

“Ela realmente tem grande quantidade de proteína em relação ao todo, mas é muito leve, e para suprir toda necessidade diária recomendada deveria ser consumida em grande quantidade, o que, obviamente, não é viável”, alerta Natália. A dica, então, é usar e abusar da planta como um complemento no cardápio, mantendo as demais fontes de proteína.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário