i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Suco natural de fruta pode ser tão ruim para a saúde quanto refrigerante

Ao tomar um suco de fruta, mesmo sem adoçar, a pessoa ingere uma quantidade de calorias semelhante a uma bebida açucarada, e isso traria um impacto negativo na saúde dos idosos

  • PorAmanda Milléo
  • 13/06/2019 14:00
Sucos 100% de fruta não são as opções mais saudáveis para matar a sede (Foto: Bigstock)
Sucos 100% de fruta não são as opções mais saudáveis para matar a sede (Foto: Bigstock)| Foto:

Sucos feitos com 100% da fruta podem até ser considerados a opção mais saudável para matar a sede, mas não é bem assim.

Um estudo divulgado no início de maio em uma revista científica norte-americana [Journal of American Medical Association – JAMA] verificou que o impacto desses sucos à saúde se assemelha ao das bebidas adoçadas, como refrigerantes, chás gelado e sucos de caixinha.

A pesquisa, realizada com mais de 13 mil adultos, com mais de 45 anos de idade, nos Estados Unidos, verificou que a cada 350 mL de sucos de fruta adicionais haveria um aumento no risco de morte para todas as causas entre os idosos.

“Nos últimos anos, os esforços públicos em promover a redução no consumo de bebidas açucaradas e outras fontes adoçadas artificialmente nos Estados Unidos foram intensificados, mas apesar de algumas reduções, o consumo continua muito acima dos níveis recomendados. Pouca atenção tem sido dada ao papel dos sucos 100% de fruta, que tendem a ser percebidos como uma opção saudável. Assim, é importante entender como bebidas açucaradas naturalmente, além das adoçadas artificialmente, estão associadas ao risco cardiovascular e de mortalidade”, explicam os pesquisadores no estudo.  

Ainda conforme os pesquisadores, os nutrientes que compõem tanto o suco natural quanto as bebidas adoçadas seriam bastante similares: “Embora os sucos 100% de fruta contenham algumas vitaminas e fitonutrientes que não têm na maioria das bebidas adoçadas, os ingredientes predominantes em ambos são açúcar e água.

Apesar de o açúcar nas bebidas adoçadas ser adicionado durante o processo, e o açúcar dos sucos 100% de frutas ocorrer naturalmente, os açúcares específicos que ambos oferecem ao corpo para processar são essencialmente os mesmos, e a resposta bioquímica, quando metabolizados, é a mesma.”

O impacto desse açúcar (ainda que de uma fonte natural) é real e deveria ser levado em consideração, conforme explica Ivone Mayumi Ikeda Morimoto, professora de Nutrição Clínica da PUCPR:

“Quando fazemos um suco de laranja, usa-se pelo menos três laranjas inteiras para um copo. [Se pensarmos no suco 100% natural vendido em mercados,] esse suco é coado, então as fibras insolúveis se perdem, ficando só as solúveis. Nessa situação, o valor calórico desse suco se equipara ao de um suco mais diluído, acrescido de açúcar”, explica a nutricionista. 

Com uma quantidade reduzida de fibras, a elevação da glicemia é mais significativa no organismo, gerando um pico glicêmico (alto nível de açúcar no sangue).

Resultado: além de ingerir um número maior de frutas que normalmente faria se fosse comê-las (ninguém come três, quatro laranjas, com bagaço e tudo, de uma só vez), a pessoa se torna predisposta a doenças cardíacas e diabetes, caso faça uso da bebida com frequência, pois o aporte calórico predispõe ao ganho de peso, especialmente a gordura abdominal.

>>> Alta inteligência e dificuldade de interação social: os sintomas do autismo leve

É preciso abandonar o suco 100% de frutas?

Antes que você pare de preparar a bebida em casa ou deixe de comprar o suco 100% de frutas no mercado, contenha o pânico. As professoras Cilene da Silva Gomes Ribeiro, do curso de nutrição da PUCPR, e Deise Regina Baptista, do curso de nutrição da UFPR, lembram que a pesquisa teve um público bastante específico: os idosos.

“O estudo se trata de pessoas idosas, e não podemos desconsiderar isso. São pessoas com pré-disposição a vários outros riscos, como diabetes e doenças cardiovasculares, que prejudicam a condição de saúde e longevidade desses indivíduos”, explica Cilene.

No caso de pessoas com diabetes ou outra doença correlacionada, qualquer aporte calórico superior ao que ela necessita vai fazer mal, independentemente de qual for a procedência desse aporte, diz ela.

A comparação feita pelos pesquisadores, de acordo com as nutricionistas, exige atenção porque o suco 100% de fruta, ainda que calórico, contém vitaminas, sais minerais e fibras, enquanto refrigerantes e sucos adoçados são apenas açúcar e água, além de uma série de aditivos.

“Em termos de aporte calórico, suco industrializado e natural podem sim ter similaridade. Mas em termos de qualidade do que se consome, com certeza o suco de fruta traz mais benefícios aos consumidores”, reforça Cilene Ribeiro, nutricionista. 

A solução está em mudar o hábito: em vez de matar a sede com sucos (mesmo o 100% de frutas) ou chás gelados, prefira a água. E, quando for consumir uma fruta, deixe o suco de lado e dê preferência às frutas inteiras, in natura.

“O melhor é consumir realmente a fruta in natura, e não em forma de suco. Pensando em quantidade de frutas consumidas, na saciedade que isso vai gerar depois, e na elevação da glicemia também. Ao consumir uma laranja, com bagaço, você está ingerindo muito mais fibras, que elevam a glicemia muito mais lentamente, favorecendo a saciedade. Consequentemente, menor produção de insulina”, explica Deise Baptista, nutricionista.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.