Veja como foi feita a cirurgia de estrabismo do youtuber PC Siqueira

Cirurgia alinha a simetria dos olhos, e pode ou não melhorar a visão do paciente. Saiba mais sobre o procedimento!

estrabismo, vesgo, pc siqueira"Ex-vesgo", o vlogger comentou no primeiro vídeo depois do procedimento como se sente melhor e com uma melhor autoestima (Foto: reprodução do Youtube)

O vlogger PC Siqueira divulgou nesta terça-feira (5) o primeiro vídeo pós-cirurgia de correção do estrabismo. Com os olhos ainda vermelhos, o youtuber mostrou trechos dos momentos pré-cirurgia, ocorrida no último mês, e mostrou a diferença na simetria dos olhos.

“Ainda está bem inchado, principalmente o olho esquerdo, e bem machucado. Tem muita gente falando, ‘Caramba PC, eu não vi diferença nenhuma’. Mas o objetivo da operação é justamente esse, ficar normal e não sentir muita diferença”, comentou o youtuber depois da operação.

A cirurgia de correção em que o PC Siqueira foi submetido é bastante comum, inclusive entre crianças e bebês, a partir dos três meses de idade. Através de um corte pela conjuntiva, membrana que reveste parte interna da pálpebra e superfície exposta da córnea, o médico oftalmologista consegue fortalecer ou enfraquecer, ou reposicionar, algumas das musculaturas do olho, dependendo do tipo de estrabismo que a pessoa tiver, garantindo uma maior simetria nos olhos.

Na grande parte das vezes a cirurgia é estética, mas uma melhora na visão pode ocorrer, conforme explica a oftalmologista Dayane Issaho, especialista em estrabismo e em oftalmopediatra, do Hospital de Olhos do Paraná, onde também é docente da residência. “Em crianças menores de sete anos, quando ainda estão na fase de maturação visual, a cirurgia não é apenas estética, mas traz benefícios para a visão. Ou mesmo no adulto que desenvolve estrabismo depois de algum acidente ou uma paralisia, e tem a visão dupla, também é possível corrigir através da cirurgia”, explica.

No caso do vlogger, a cirurgia foi principalmente estética, mas impactou positivamente no relacionamento com os amigos, familiares e conhecidos.

“Daqui para frente, eu sou assim. Eu estou me sentindo mais bonito, estou com a autoestima muito melhor. Parece que eu tirei um peso das minhas costas, que eu nem sabia que eu tinha. Eu me sinto muito mais seguro para falar com as pessoas, olhando elas nos olhos. Isso tinha um impacto na minha vida que eu não sabia que era tão forte”, disse o vlogger.

via GIPHY

Efeitos colaterais

Depois do procedimento, é comum que a pessoa sinta a pálpebra inchada, os olhos vermelhos e mesmo doloridos por um tempo. Os pontos dados dentro do olho são absorvidos sozinhos, mas é comum sentir um pouco de desconforto ou coceira nas primeiras semanas. “Em uma semana o paciente passa a se sentir melhor, e só não pode fazer muito esforço físico no período, como levantar peso. Mas para as atividades do dia a dia, mesmo trabalho, está liberado”, explica a médica oftalmologista Ana Paula Canto, da clínica Canto e professora voluntária do Hospital Universitário Evangélico.

A cirurgia de estrabismo pode ser feita de duas formas: através da técnica minimamente invasiva ou da forma convencional. A primeira tem uma aplicação mais rápida, com menos desconforto ao paciente. Mas, mesmo a técnica convencional não é tão incapacitante, e depois de dois ou três dias, o paciente volta para a rotina normal. “Entre as crianças a recuperação é ainda mais rápida”, diz a médica oftalmológica Dayane.

O estrabismo pode voltar?

Sim, independentemente da idade do paciente ou da técnica usada na cirurgia, o estrabismo pode voltar. Na grande maioria das vezes, de acordo com a oftalmopediatra Dayana Issaho, uma cirurgia é suficiente, mas há casos que pode ter recorrência e o paciente precisar de uma cirurgia de retoque. “Isso pode acontecer poucos meses depois do primeiro procedimento ou mesmo anos depois, mas é uma taxa bem pequena de pacientes que precisam”, explica.

Uma das características que pode aumentar a chance de recorrência do estrabismo é a diferença de visão entre os olhos. “O paciente que tem uma boa visão nos dois olhos dá mais estabilidade ao alinhamento, mas mesmo os pacientes com baixa visão em um dos olhos, a grande maioria fica bem com um único procedimento”, diz Issaho.

Outra situação que pode contribuir para a volta do olho é quando se trata de um estrabismo divergente, com o olho virado para fora. “Como aquele olho virado não enxerga tão bem, a tendência do organismo é fazer com que ele vire novamente”, explica Ana Paula.

Filmes 3D

É muito difícil para as pessoas com estrabismo, ou com diferença de visão entre os olhos, assistir a filmes 3D – condição inclusive relatada pelo PC Siqueira no vídeo acima. “Na projeção em 3D, uma imagem é captada pelo olho direito e outra imagem pelo olho esquerdo, que dão a noção de profundidade. Se a pessoa só vê bem de um olho, ela vê duas imagens sempre, e sempre fica borrado, distorcido”, explica a oftalmologista Ana Paula Canto.

Tipos de estrabismo

O estrabismo tem diferentes classificações, de acordo com dados do Centro Brasileiro de Estrabismo. Confira:

Estrabismo convergente ou esotropia: quando o olho é voltado para dentro, ou para o nariz.

Estrabismo divergente ou exotropia: quando o olho é voltado para fora, ou para a orelha.

Estrabismo vertical ou hipertropia: quando o olho é voltado para cima, ou para a testa, para baixo, para as bochechas.

8 recomendações para você

Deixe seu comentário