Criador do Facebook, Zuckerberg cria uma “caixa do sono” para melhorar as noites da esposa

Acostumada a acordar de madrugada e buscar pelo celular, Priscilla tinha dificuldades a voltar a dormir depois de ver a luminosidade do aparelho

Caixa do sono criada pelo proprietário do Facebook ajuda no sonoCaixa do sono criada pelo proprietário do Facebook ajuda no sono (Foto: Reprodução do Instagram de Mark Zuckerberg)

Toda madrugada, Priscilla Chan, pediatra e esposa do Mark Zuckerberg, criador da rede social Facebook, acorda em vários momentos da noite preocupada, achando que está quase na hora de seus filhos levantarem. Como praticamente toda pessoa no mundo, a forma com que Priscilla descobre o horário no meio da noite é pelo celular, deixado ao lado da cama.

A luz azul que emana do aparelho na madrugada faz com que o organismo da pediatra entenda que está na hora de levantar, o que prejudica a produção do hormônio do sono, a melatonina. Voltar à dormir depois desse momento, portanto, era sempre uma batalha. Até que Zuckerberg teve uma ideia.

O criador do Facebook criou uma ferramenta, que ele chama de “caixa do sono“. Trata-se de um cubo de madeira, de um tamanho compacto, com uma abertura na parte inferior. De lá, emana uma luz programada para acender apenas no intervalo de tempo em que as crianças, em geral, acordam: entre às 6h e 7h.

>>> Sumiço de aplicativo que ajuda no controle do açúcar no sangue prejudica milhares de diabéticos

Se a Priscilla acordar antes desse horário, a caixa estará escura, e ela saberá — sem precisar recorrer ao celular — que ainda não está na hora de checar os filhos. Se a caixa estiver acesa, a luz que emana do aparelho também acordará ela e o marido, além de anunciar o horário.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Being a mom is hard, and since we’ve had kids Priscilla has had a hard time sleeping through the night. She’ll wake up and check the time on her phone to see if the kids might wake up soon, but then knowing the time stresses her out and she can’t fall back asleep. So I worked on building her what I call the “sleep box”. It sits on her nightstand, and between the hours of 6-7am it emits a very faint light — visible enough that if she sees it she’ll know it’s an okay time for one of us to get the kids, but faint enough that the light won’t wake her up if she’s still sleeping. And since it doesn’t show the time, if she wakes up in the middle of the night, she knows to just go back to sleep without having to worry about what time it is. So far this has worked better than I expected and she can now sleep through the night. As an engineer, building a device to help my partner sleep better is one of the best ways I can think of to express my love and gratitude. A bunch of my friends have told me they’d want something like this, so I’m putting this out there in case another entrepreneur wants to run with this and build sleep boxes for more people!

Uma publicação compartilhada por Mark Zuckerberg (@zuck) em

Caixa do sono: boa ideia

A ideia é vista com otimismo pelos especialistas em sono, visto que pode ser usada em diferentes situações, não apenas por aqueles que tem filhos pequenos:

“Achei bem interessante a ideia da caixa, porque tira a ansiedade do meio da noite. A mãe ou pai ficam ansiosos com o horário de acordar, mas muita gente tem o mesmo problema achando que vai perder o horário do trabalho. O despertador, com som, ajuda, mas se a pessoa tem medo de perder a hora, ela vai ficar olhando o celular, e irá se expor à luz“, explica Carla Fabiane da Costa, médica otorrinolaringologista especialista em medicina do sono do hospital INC (Instituto de Neurologia de Curitiba). 

A luminosidade é um fator importante de interferência no ciclo circadiano do ser humano, conforme explica Gustavo Franklin, médico neurologista do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR). “Temos um ciclo regulado pelo cursor biológico. Durante a luminosidade do dia, produzimos mais corticoide, [hormônio] que estimula. À noite, produzimos mais melatonina, substância que acalma”, diz.

No momento em que nos expomos à luz no meio da noite, especialmente pela luz do celular que é comprovadamente uma luminosidade intensa, o organismo é levado a crer que já amanheceu, e está na hora de acordar. “A luz do celular em momentos pré-sono, antes de dormir, dificultam o alcançar da sonolência, pois agem como estimulantes. O corpo interpreta como se fosse dia e o voltar a dormir se torna complicado”, reforça o neurologista.

Sono fragmentado

Além da dificuldade em voltar à dormir, a médica especialista em medicina do sono lembra que o sono que vem na sequência de quem acorda e olha para o celular é fragmentado e não tão profundo quanto antes. “A pessoa, no dia seguinte, sofre com sonolência, irritabilidade, propensão a erros no trabalho, a acidentes, inclusive e trânsito”, explica.

Com o passar do tempo, leva a uma privação crônica de sono: “O cérebro fica condicionado a acordar sempre naquele horário, e cria uma rotina. Com o tempo, mesmo que a pessoa tire o estímulo, o cérebro se acostuma”, diz Costa.

A solução? Uma boa higiene do sono:

Quarto escuro. É importante sempre deixar o quarto o mais escuro possível, com o mínimo de luminosidade.

Temperatura certa. Ninguém dorme bem em um quarto muito quente ou muito frio. Temperatura adequada, levemente fresco é o ideal.

Tire os eletrônicos. Evitar a exposição aos aparelhos eletrônicos, como celulares, tablets, computadores, é fundamental. Pelo menos uma hora antes de dormir, evite mexer com esses aparelhos e, se puder, faça o jejum de duas horas.

Banho. Tomar um banho morno antes de se deitar também é uma boa dica para relaxar e induzir ao sono.

Fique longe da cozinha. Não coma nada pesado e nem tome bebidas alcoólicas ou cafeína antes de dormir. Elas podem levar a um sono fragmentado.

Academia à noite, não. Evite fazer atividades físicas no período da noite. Deixe, sempre que possível, para manhã ou tarde.

Leia livros em papel. Não sabe bem o que fazer antes de dormir, abra um livro (de papel) e aproveite.

4 a 6 semanas é, geral, o período de tratamento, até que o cérebro seja reeducado a entender qual é a hora certa de dormir e de acordar. 

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário