Férias chegando: veja dicas para evitar transtornos em viagens longas de ônibus

Especialistas explicam como os passageiros podem evitar enjoos, intoxicações e assédio sexual

Rodoviária de CuritibaUma das facilidades em viajar de ônibus é chegar a cidades que não são servidas pelo transporte aéreo. Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo.

Com a chegada do final do ano e das férias de verão, a escolha por uma viagem de ônibus pode ser mais econômica do que de avião: em um país de dimensões continentais, viajar por terra pode custar até 60% menos do que pelos ares segundo agentes consultados pelo Viver Bem — no Brasil, mais de 130 milhões de pessoas são transportadas pelas rodovias brasileiras, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Já pelos ares são 98,9 milhões, de acordo com a Agência Nacional de Ação Civil (Anac).

O motivo da economia são os preços constantes — enquanto as passagens de avião variam de acordo com a antecedência da compra, época do ano disponibilidade de assentos,  os bilhetes de ônibus costumam ter preços mais estáveis pela quantidade de poltronas disponíveis e frequências autorizadas. Além disso, os ônibus  se tornaram atraentes por comodidades como ar condicionado, poltronas mais confortáveis, serviço de bordo em linhas mais longas e até salas VIP´s em algumas rodoviárias.

Há ainda a facilidade em se colocar veículos extras em algumas linhas, diferente do transporte aéreo em que cada nova rota é um alto custo a mais para as companhias, e depende de análise da Anac.

>> Como conseguir a Identidade Jovem e viajar de graça pelo país 

“Outra facilidade dos ônibus é encontrar a cidade de destino final, já que as companhias aéreas não chegam em todos os centros ou municípios do interior”, explica o agente de viagens Leandro Saldanha, da Cannes Turismo. No entanto, ele lembra que algumas passagens para trechos curtos custam quase o mesmo que de avião (como de Curitiba para São Paulo; a partir de R$ 140 dependendo da antecedência).

O Viver Bem consultou especialistas para explicar como evitar problemas com documentação, enjoo, higiene e até mesmo assédio em uma viagem de ônibus:

Documentos e isenções

Crianças até cinco anos não pagam passagem desde que não ocupem uma poltrona individual e viagem no colo do responsável. Além disso, na hora do embarque será exigida a Carteira de Identidade ou o Registro de Nascimento do menor, podendo ser uma cópia autenticada ou a versão original.

Já os jovens de 12 a 18 anos podem viajar sozinhos, mas com autorização do pai ou responsável reconhecida em cartório. Eles necessitam também de um documento de identificação.

Maiores de idade precisam apresentar um documento de identificação para poderem embarcar. E quando há disponibilidade, idosos acima de 60 também podem viajar gratuitamente.

Pets

Segundo o portal ClickBus, animais de estimação com até 8 kg podem ser embarcados no ônibus e devem estar em uma caixa de transporte. Além disso, é necessário levar a carteirinha de vacinação atualizada do animal e um atestado recente de um médico veterinário.

>> Veja como levar o seu bichinho de estimação no ônibus, carro ou avião

O ideal é verificar antes com a empresa de ônibus quais são as regras específicas para o transporte de animais.

Rodoviária de Curitiba

Estar com todos os documentos necessários em mãos agiliza o embarque. Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo.

Enjoo

Muitos passageiros podem ter tonturas ou enjoo em viagens de ônibus, seja por causa da movimentação do veículo ou mesmo por doenças pré-existentes. De acordo com a clínica geral da Paraná Clínicas, Caroline Caldeira, pessoas propensas a este tipo de indisposição precisam tomar alguns cuidados antes de embarcar.

“O adequado é que o passageiro evite refeições pesadas e gordurosas no dia da viagem. A escolha da poltrona também pode influenciar nisso. A recomendação é sentar mais na parte da frente do ônibus, sempre tentar olhar mais no horizonte e evitar ler ou mexer no celular para evitar enjoos”, explica.

>> A causa dos enjoos nem sempre está no estômago; o cérebro também é culpado

Ainda segundo a clínica, o ideal é que os passageiros que têm esses sintomas  procurem um médico antes de viajar.

Câimbras e formigamento

Passar muitas horas sentado é cansativo, e alguns viajantes chegam a sentir câimbras e formigamento nas pernas. Geralmente, as empresas de ônibus já programam paradas a cada três horas para os passageiros se movimentarem.

Diferente de um avião, em que é possível levantar para esticar as pernas, o ônibus não permite este tipo de movimento. “Evite levantar da poltrona, por conta do risco de o veículo  frear bruscamente”, recomenda Caroline.

Ela explica que quem tem varizes ou problemas de circulação deve viajar com roupas confortáveis; meias de compressão também ajudam a evitar trombose e outros problemas relacionados.

Dia ou noite?

Rodoviária de Curitiba

A clínica geral recomenda viajar de ônibus de dia, já que o sono da noite em movimento não recupera plenamente o corpo. Foto: Antônio More/Gazeta do Povo.

Alguns passageiros preferem viajar de dia para poder dormir bem à noite. Já outros conseguem descansar plenamente na madrugada e acordar bem disposto na chegada.

No entanto, Caroline Caldeira explica que o sono do ônibus não é igual ao que temos em casa.

“Ele não é um sono reparador, pois está em um estado leve e com despertar frequente. Geralmente as poltronas não tendem a ser muito reclináveis, e a posição acaba atrapalhando o sono”, diz.

>> Rotas de ônibus para sete cidades de SC saem do Aeroporto Afonso Pena

Ela recomenda que quem precisar fazer uma longa viagem noturna de ônibus escolha, se possível, por veículos com poltronas leito, que têm uma reclinação maior e são mais confortáveis.

Higiene

Muitas empresas de ônibus oferecem copinhos de água como cortesia aos passageiros, mas nem sempre a higiene da geladeira a bordo é adequada. A clínica geral recomenda que o viajante leve seu próprio kit de lanche, com biscoitos leves, frutas e água.

Caroline Caldeira também alerta para a higiene a bordo, com o uso de lenços umedecidos para limpar os copinhos de água (caso não leve a sua própria bebida) e um kit com escova de dente, creme dental e papel higiênico.

Ela alerta, ainda, que pessoas com gripe ou resfriado evitem viajar de ônibus, para não comprometer a saúde dos outros passageiros.

Assédio sexual

Ônibus

Mulheres podem tomar alguns cuidados para evitar o assédio sexual dentro do ônibus. Foto: Unsplash.

Mulheres que viajam sozinhas de ônibus precisam tomar cuidados extras ao embarcar, principalmente por conta do assédio sexual. Não raramente são noticiados casos ocorridos no transporte urbano, e no intermunicipal isso também pode acontecer.

O advogado Caio César Cestari Penasso, da Felcar Advogados Associados, orienta que, caso a mulher sofra algum assédio durante a viagem, ela tente repelir o ato e chame a atenção de outros passageiros para a situação criminosa.

>> Delegada da Delegacia da Mulher explica como agir em casos de assédio no ônibus

“Gravar, fotografar e  comunicar o motorista ou pessoal responsável da empresa de transporte para que tomem as medidas cabíveis, inclusive de expulsão do passageiro, também são possíveis e recomendáveis. Não se exclui a realização de boletim de ocorrência na delegacia mais próxima para registrar o ocorrido, tendo a vítima o prazo de até 180 dias contados a partir do fato para fazê-lo, com outros passageiros e funcionários da empresa servindo como testemunhas”, completa Penasso.

A empresa de transporte também pode ser responsabilizada em caso de assédio, e ainda ser acionada para fornecer os dados pessoais do criminoso.

“Também é sempre recomendável que se pesquise com antecedência a cultura local do destino de viagem, sobretudo em caso de transporte internacional”, frisa.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário