Passageiros terão de despachar a bagagem sozinhos em sete aeroportos brasileiros

Anúncio foi feito pela Infraero; medida começará a ser implementada no segundo semestre

Serviço de autodespacho de bagagem deve ser implantado em Curitiba até o fim do primeiro trimestre de 2019. Foto: Pixabay

A partir do segundo semestre deste ano os viajantes que utilizarem sete aeroportos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) vão poder despachar suas bagagens sozinhos. Curitiba está entre os terminais escolhidos para as primeiras implantações. A cidade vai receber o serviço de autodespacho (Self Bag Drop, em inglês) até o primeiro trimestre de 2019.

>> Além da bagagem, aérea começa a pesar passageiros antes do embarque

Recife, em Pernambuco, será a primeira cidade a ter o sistema implantado, já no segundo semestre de 2018. Em seguida, junto com Curitiba, estão na lista de implantações os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Belém, no Pará, Goiânia, em Goiás, e Maceió, em Alagoas.

Menos filas

Com a instalação dos terminais de autodespacho, todo o processo de check in deve ser simplificado: os passageiros poderão fazer o processo nos terminais de autoatendimento e, em seguida, despachar suas malas sem precisar ir até o balcão das companhias aéreas. De acordo com a Infraero, os viajantes poderão fazer o autodespacho “de maneira rápida e fácil, além de melhorar a capacidade de atendimento do aeroporto e das empresas aéreas”.

Esse tipo de serviço já está disponível em outros aeroportos ao redor do mundo. Grandes cidades como Amsterdã, na Holanda, e Hamburgo, na Alemanha, adotam esse tipo de sistema há vários anos. No Brasil, o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, tem o mesmo serviço disponível desde agosto de 2017 para quem faz conexões.

Outra novidade

Além do autodespacho, a Infraero anunciou ainda o check in compartilhado. Depois que esse sistema for implementado, os passageiros não precisarão mais encontrar os totens de atendimento de sua companhia aérea especificamente. Isso porque os terminais disponíveis para check in serão capazes de realizar o procedimento para todas as companhias aéreas. Essa medida, segundo o órgão, “otimizará os espaços e dará mais opção a quem embarca nos aeroportos da Infraero atendidos pela solução”.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário