Primeiro Hard Rock Hotel do Brasil abrirá no norte do Paraná

Resort terá 196 quartos, lago de água termal e spa; expectativa é atender cerca de 1 mil hóspedes por dia

Arquitetura e padrão do Hard Rock Hotel do Paraná seguem o padrão das outras unidades dos EUA. Foto: Divulgação.

O primeiro Hard Rock Hotel do Brasil abrirá as portas no Paraná: será na Ilha do Sol, no norte do Paraná, com mais de 200 quartos e acessível somente de barco pelo Rio Tibagi. A previsão de inauguração do hotel é em 2020.

A data prevista de abertura e novas informações sobre o projeto foram divulgadas nesta terça-feira (27) pela empresa que está tocando a incorporação no Brasil.

Localizado em uma ilha no município de Sertaneja, no meio da represa de Capivara, a 75 quilômetros de Londrina, o Hard Rock Hotel ocupará as instalações inacabadas do que seria o Maluí Resort, um empreendimento lançado em 2010 como aposta do condomínio Ilha do Sol para atrair turistas e vender lotes para a construção de casas de alto padrão.

No entanto, a obra seguiu em marcha lenta até o ano passado, quando o incorporador do resort fechou um aporte com o grupo Venture Capital Investimentos (VCI), que passou a representar o Hard Rock Hotel no Brasil.

De acordo com um dos proprietários do condomínio Ilha do Sol, Nelson Neves Filho, o Maluí Resort já estava praticamente pronto quando o Hard Rock assumiu a gestão. “Quando eles chegaram aqui, a obra estava em torno de 90% pronta, na fase de acabamento, pintura, e até mesmo o mobiliário já estava aqui. Eles estão ampliando o projeto original”, explica. Neves Filho acredita que a abertura deve ocorrer até mesmo antes do prazo anunciado, em meados de 2019.

Estrutura

O Hard Rock Hotel Ilha do Sol terá 196 quartos divididos em quatro categorias (a partir de 41 metros quadrados cada), 40 chalés e 16 “Villas” integradas à natureza — esses são chalés de 92 metros quadrados com dois quartos cada. A estrutura se assemelha a unidades já abertas pela rede, como as de Punta Cana (República Dominicana), Cancún (México) e Orlando (EUA), com a decoração característica da rede.

As obras do resort no Paraná começaram em 2010, mas a parceria com o Hard Rock foi fechada no ano passado. Foto: Divulgação.

O projeto aponta também a instalação de três restaurantes, sendo um deles “Signature”, assinado por uma rede ou chef renomado; um ‘rooftop’ (um bar na cobertura do prédio); três piscinas para adultos e crianças; um lago de água termal a 46 graus e outro com pequenas ilhas e chalés construídos na beira do lago, além de uma ampla área de eventos com 1.585 metros quadrados. A expectativa é de que o resort atenda a até 1 mil hóspedes por dia.

Os hóspedes do resort terão à disposição o Rock Spa & Salon e o centro de fitness Body Rock, que são duas grandes estruturas com piscina, hidromassagem, salas de massagem, sauna, tratamentos estéticos e uma academia completa. Além disso, o local terá uma praia particular de água doce, três quadras poliesportivas, playground para crianças e caminhos elevados no meio do bosque, com instalações para descanso como balanços, redes e barracas suspensas nas árvores.

Outra característica do resort será a infraestrutura para esportes aquáticos como wakeboarding, esqui, vela e outras atividades, praticados a partir de um deck localizado ao lado do trapiche, por onde chegarão os hóspedes. Haverá também um circuito de brinquedos, tirolesa e trilhas.

Música

O palco sobre o rio Tibagi será semelhante a este, de frente para a praia artificial. Foto: Divulgação.

Apesar de ser um resort com um viés de ecoturismo, o Hard Rock tem como marca em seus hotéis a temática musical. Ou seja: apresentações de artistas e bandas também estarão no caminho dos hóspedes. O resort terá um grande espaço para shows chamado de “Woodstock” e um palco flutuante construído sobre o Rio Tibagi.

O presidente do grupo VCI, Samuel Sicchierolli, explica que a ideia da Ilha do Sol é atender a um público variado. “Os hóspedes terão uma experiência única, com lazer e diversão para todas as idades. A Ilha do Sol é um retiro em meio à natureza para quem busca descanso e tranquilidade”, conta.

O acesso ao resort será feito de barco a partir de um trapiche em Primeiro de Maio, onde já existe um atracadouro que serve a todo o condomínio. De acordo com o projeto, este espaço será totalmente revitalizado com a implantação de áreas de estacionamento para carros e ônibus, recepção do hotel e docas de serviço.

Veja abaixo onde está localizado o Hard Rock Hotel Ilha do Sol e a projeção de como será o espaço, a ser inaugurado em 2020:

O projeto do Hard Rock Hotel Ilha do Sol é cerca de 2 mil metros quadrados maior do que o previsto no Maluí. Foto: Divulgação.

A Ilha

A Ilha do Sol foi formada a partir da construção da barragem de Capivara, na divisa do Paraná com São Paulo, em meados dos anos 1970. O rio Paranapanema foi represado para a construção da Usina Hidrelétrica de Capivara, entre os municípios de Porecatu (PR) e Taciba (SP).

Anos depois, no final da década de 1990 e começo dos anos 2000, um grupo de empresários locais comprou a ilha e loteou a área de 30 alqueires. Mas, reservou a parte mais alta do espaço para a construção de um resort próprio no começo, segundo Gilmar Donizete da Silva, diretor da Teixeira Hollzmann – sócia da incorporadora. “O projeto nem era para ser tão grande assim, mas agora será conhecido mundialmente”, comemora.

O Maluí Resort foi lançado originalmente no final de 2010, e um ano depois já tinha parte da estrutura pronta. Na época, o sócio-proprietário da empresa que coordenou os investimentos, Marcos Holzmann, afirmou que já tinha vendido 900 das 1.100 cotas colocadas para comercialização.

Os proprietários compravam uma fração do apartamento que dava o direito de uso de quatro semanas no ano, sendo uma em alta estação, uma na média temporada e duas na chamada baixa estação. A administração do hotel alternaria as reservas para que todos os clientes pudessem aproveitar a estrutura.

As obras do então Maluí Resort foram paralisadas em 2016 e retomadas no ano passado, após a negociação com a VCI. Foto: Divulgação.

As obras do Maluí Resort, que deveriam terminar em 2013, seguiram em um ritmo mais lento até serem praticamente interrompidas com a crise econômica de 2016, por conta da queda de investimentos. “Coincidentemente, quando a Holzmann saiu ao mercado em busca de investidores, a VCI estava procurando locais no Brasil para a implantação do Hard Rock Hotel. A primeira opção deles seria um resort no estado do Rio de Janeiro, mas eles gostaram do que apresentamos do Maluí e resolveram investir” conta Gilmar ressaltando que a rede já estava em busca de uma ilha para construir uma grande estrutura no país.

A negociação com a VCI começou no final de 2016, e foi acertada no começo de 2017. Após um ano de obras paradas, a construção do resort foi retomada com a definição do novo nome. Ao todo, segundo a Teixeira Holzmann o Hard Rock Hotel Ilha do Sol terá consumido R$ 90 milhões, sendo R$ 60 milhões da primeira fase da incorporação e mais R$ 30 milhões da sociedade com o VCI.

Ainda segundo Gilmar Donizete da Silva, uma equipe do Hard Rock virá ao Brasil no mês que vem para consolidar o projeto que já existia com o que pretendem fazer, e possivelmente mudar o formato de comercialização das unidades. “Ainda não sabemos se eles irão manter o formato que estávamos fazendo, ainda não temos conhecimento de como será daqui para frente”, explica.

Investimento

O Hard Rock Hotel Ilha do Sol é a aposta da rede norte-americana de restaurantes, cassinos e hotéis que já tem 26 resorts pelo mundo, e está desembarcando no país com três projetos orçados em mais de R$ 300 milhões. Fora o Paraná, estão previstas unidades em Caldas Novas (GO) e Fortaleza (CE).

Além da unidade do Paraná, o resort de Fortaleza também está sendo erguido a partir de uma obra que já estava em andamento. O único empreendimento que será construído do zero é o de Caldas Novas (GO). Fontes do setor hoteleiro apontam que já há estudos para uma quarta unidade, a ser implantada em Natal (RN).

Embora o investimento nos resorts seja do fundo brasileiro, a Hard Rock fará a gestão dos hotéis. A ideia é garantir um padrão global. Segundo Sicchierolli, uma das dificuldades para colocar em pé a parceria com a rede americana foi justamente a padronização dos quartos e áreas comuns, o que exigiu adaptações nas unidades que já estavam em construção.

>> Veja como será a expansão da rede de hotéis e resorts do Hard Rock no Brasil.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário