i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

À milanesa

Foto de perfil de À milanesa
Ver perfil

Da cantina ao restaurante estrelado, tudo sobre a gastronomia italiana, direto de Milão. Venha aguçar o seu paladar mesmo que "virtualmente". Bom apetite!

Alta Gastronomia

Avessos ao delivery, chefs estrelados apostam em novas receitas e mesas ao ar livre para driblar a crise

  • Fernanda MassarottoPor Fernanda Massarotto
  • 26/07/2020 09:14
O estrelado restaurante vegetariano Joia se rendeu às mesas ao ar livre
O estrelado restaurante vegetariano Joia se rendeu às mesas ao ar livre| Foto: Reprodução Facebook

Em uma recente entrevista Gwendall Poullenec, 40 anos, há dois diretor internacional do Guia Michelin, afirmou que a pandemia veio para mudar até mesmo os rigorosos requisitos da famosa bíblia da gastronomia mundial. "Veremos restaurantes estrelados que irão passar a oferecer os serviços de take-away ou delivery. E nós, como guia, reconheceremos a qualidade dos pratos, seja ele servido no restaurante ou não", relatou o francês ao caderno Cook, do jornal italiano Corriere della Sera.

A mudança alardeada por Gwendall Poullenec já é uma realidade em alguns países e nomes como o do chef René Redzepi, duas estrelas com o seu Noma, em Copenhagen, anunciou que o tradicional hambúrguer fará parte do seu requintado menú. A pergunta que não quer calar é: os restaurantes estrelados irão se render a um cardápio simples? A resposta varia e muito. Mas a grande maioria ainda acredita que a alta gastronomia deva ser preservada. "Ir a um restaurante estrelado faz parte de um ritual. É mais que degustação. É um prazer", comenta Pietro Leemann, chef suíço, que comanda o Joia, único vegetariano na Itália a contar com uma estrela Michelin. "Por trás de um prêmio do gênero, há uma filosofia adotada pelos chefs. Pratos elaborados, ingredientes escolhidos a dedo, muito estudo e até muita reflexão".

Sala Joia
Uma dos ambientes do restaurante vegetariano Joia, em Milão, do chef Pietro Leemann | Divulgação

A reflexão a qual se refere Leemann virou quase um lema entre os seus colegas. Com as portas fechadas por mais de 3 meses, de 11 de março a 13 de junho, os restaurantes italianos, estrelados e não, tiveram de adotar medidas criativas para resistirem à crise. De acordo com a Fipe (Federação Italiana de Serviços Públicos) no mês de junho, o faturamento dos restaurantes e bares ficou abaixo do esperado, cerca de 50%, e dos proprietários entrevistados, somente 18% estão satisfeitos com os resultados da reabertura. 

Alta Gastronomia X Delivery 

O Bu:r, do ítalo-holandês Eugenio Boer, tem apenas 7 mesas e capacidade para 20 pessoas
O Bu:r, do ítalo-holandês Eugenio Boer, tem apenas 7 mesas e capacidade para 20 pessoas | Divulgação

Crise para uns, oportunidades para outros. O medo de frequentar espaços públicos e evitar aglomerações devido aos riscos de contaminação parecem não assustar o italiano. A prova disso é a adesão a um estilo informal: mesas a céu aberto. O menu vegetariano, leve e saudável de Pietro Leemann agora pode ser degustado também ao ar livre. "A pandemia nos ensinou que comer bem é uma necessidade. Frutas, verduras e legumes são tão saborosos quanto outros alimentos. Nunca se deu tanta atenção aos ingredientes e como são preparados", observa o chef estrelado que durante a quarentena se refugiou em sua casa de campo na Suíça, criou novas receitas e se valeu das mídias sociais para divulgar um pouco da sua culinária saudável.

O recesso da vida agitada dentro das cozinhas foi também frutífero para outros dois chefs italianos. O ítalo-holandês Eugenio Boer, premiado com a sua primeira estrela Michelin, em 2017, no comando do Essenza, fechou o seu badalado Bu:r e se dedicou a cozinhar para a mulher Carlotta. "Pela primeira vez pude parar e viver uma rotina tranquila", conta ele que acabou dando vida a um serviço de delivery para a região metropolitana de Milão. "Minha culinária tem um pouco de tudo. Digo que se contamina até porque vive sempre entre a Holanda e a Itália. Revisitei muitas das receitas e decidi que irei continuar com um cardápio diferenciado para quem não quiser sair de casa".

Boer porém adverte que a alternativa não deve ser vista como uma extensão do que ele oferece no seu restaurante de alta gastronomia. "É preciso deixar bem claro que no Bu:r o cliente tem acesso ao que chamamos de culinária fine dining, única e exclusiva. O que propomos no delivery são pratos mais simples ou seja, os tradicionais da cozinha italiana como macarrão com massa fresca ou a pappa al pomodoro que  é feita de pão envelhecido e sobras de molho de tomate", complementa o ítalo-holandês que não teve problemas em instituir as regras de prevenção contra o vírus impostas pelo governo. A capacidade, 20 pessoas, foi mantida já que o restaurante sempre optou por ter poucas mesas, 7. "Em relação ao distanciamento social não houve problemas. O layout foi concebido com vasta distância para manter a privacidade".

Enrico Bartolini recebeu em 2019 a terceira estrela Michelin pelo seu restaurante de mesmo nome em Milão
Enrico Bartolini recebeu em 2019 a terceira estrela Michelin pelo seu restaurante de mesmo nome em Milão| Reprodução Facebook

Assim como o colega Boer, Enrico Bartolini, não sofreu com a redução de lugares em seu estreladíssimo restaurante localizado dentro do MUDEC, o Museu da Cultura de Milão. O chef, nascido na Toscana, foi o único italiano a ser premiado no final do ano passado pela Michelin com a terceira estrela. Um recorde, fruto de muito trabalho, curiosidade e, é claro, talento. "Respeitar o distanciamento jamais nos preocupou. Nosso ambiente é muito íntimo com apenas 8 mesas bem separadas. Obviamente, nossos garçons e maitre passaram a usar máscaras e luvas para que os clientes se sintam seguros", explica o italiano que contabiliza 8 estrelas, 5 delas por locais abertos por ele próprio.

Em um território povoado por grandes nomes como Carlo Cracco, Andrea Berton e Massimo Bottura, o jovem Enrico se destaca por uma culinária clássica e tradicional com uma visão contemporânea. Nos mais de dois meses de lockdown, ele se refugiou em sua casa. "Há mais de 25 anos, entre escola e trabalho, jamais havia tirado férias tão longas", confessa ele. "O dia-a-dia de um chef começa cedo e termina muito tarde. Sempre na cozinha. Voltei a fazer minhas compras, fiquei mais tempo com meus filhos e passei a preparar almoço e jantar...ou seja, passei a cozinhar para mim".

Reflexões a parte, Enrico Bartolini se mostra confiante com o futuro do seu restaurante. E acredita que os colegas estrelados terão menos dificuldade em contornar a crise. Tudo graças à alta gastronomia. "Nossa filosofia é satisfazer o cliente com criatividade e originalidade. A ida a um restaurante, principalmente premiado, não se resume somente ao que oferece em matéria de culinária. Conta também o serviço e o ambiente. Uma experiência exclusiva", relata o chef que não compartilha da ideia de incluir o sistema de entregas em seu local.


1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    FRANCIELY

    ± 0 minutos

    qualquer restaurante italiano tem mesa na calçada. Aqui a gente evita isso por falta de segurança! vergonha!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]