i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

Amazônia sem clichês: o agro brasileiro depende da sustentabilidade

Cansou de ler sobre o produtor rural do demônio e o ambientalista que não liga para pobre morrer de fome? Há vida fora desses clichês – e nós entrevistamos.

  • Por Madeleine Lacsko
  • 28/08/2019 16:36
Amazônia sem clichês: o agro brasileiro depende da sustentabilidade
| Foto: ?????

Talvez porque a Amazônia seja algo que habita a imaginação apenas, não a experiência cotidiana da maioria dos brasileiros, é muito fácil criar lendas a respeito dela. Aprendemos algumas belíssimas na escola, que são inclusive patrimônio cultural brasileiro. O problema é que, na era das redes sociais, as lendas passaram a substituir fatos.

Tudo vira histeria, em narrativas de preferência contadas por gente que nada entende do assunto e, algumas vezes, até por gente requenguela que se vale do anonimato para ter coragem de dizer o que pensa. Vale para todo tipo de tema. A verdade começou a ser vítima preferencial nas fake news dizendo que vacina dava autismo, que agora apresentam ao Brasil suas vítimas fatais.

A relação entre o agro brasileiro e a preservação ambiental é um dos mitos mais cultivados tanto por políticos quanto por ambientalistas e representantes dos ruralistas. Na realidade, é tão complexa e complementar que o povo da cidade, maioria do Brasil, não compreenderia.

É claro que existe muita tensão no campo e muitos conflitos. O que não existe fora da imaginação é a formação de exércitos rivais. Nosso agro, que carrega o Brasil nas costas, não é feito de gente má que pretende acabar com o planeta e plantar soja até na jardineira do apartamento da sua mãe. Os ambientalistas, por outro lado, também não são os jihadistas da natureza intocada que não se importam com gente morrendo de fome e querendo trabalhar.

Nessa área, que traz tanto do sustento do país, o Poder Público também não é o mito do gigante adormecido, que deixa tudo acontecer. É um mediador eficaz, apoiado pela sociedade civil também por meio das Organizações Não-Governamentais. Não fosse assim, agro não daria tanto dinheiro até durante as maiores crises.

A verdade é mais chata do que o material lacrativo que se necessita para mitar nas redes sociais. E o problema todo da Amazônia este ano começou com a substituição de trabalho duro e silencioso por lacração para a massa. 

O Brasil é com certeza o país que mais pode dar exemplos ao mundo do convívio entre produção rural e sustentabilidade, mas isso depende de olho vivo. Se aparece bandido em Brasília, onde tem câmera e escuta até onde Deus duvida, imagine nos rincões da Amazônia. É preciso mostrar o tempo todo que há regras e deixar claro quais são as consequências de fugir delas.

Resolvi entrevistar alguém que entende do tema que é um mistério para mim e para a maioria dos brasileiros. Entrei em contato com Renato Farias, biólogo, diretor do Centro de Vida, uma ONG que atua na área amazônica do Mato Grosso com desenvolvimento sustentável. Morador de Alta Floresta há 40 anos, ele é filho de agricultores da região. Foi lá que estudou em escola pública e se formou. É junto de gente como ele, filha de quem ganha o pão com a terra, que trabalha para promover o desenvolvimento sustentável da região.

Convido você a abandonar os clichês e os preconceitos, esquecer a necessidade de mitar o tempo todo e compreender como é a rotina de quem vive na floresta mais importante do mundo. Aqui falamos de amor pela nossa terra, pelo nosso Brasil, pelas nossas raízes. Falamos de sonhos de futuro e necessidade de um mínimo de seriedade das autoridades públicas, todas elas em vários governos.

Conheçam um pouco da porção da Amazônia onde vive Renato Farias, um lugar em que agricultores bolsonaristas não querem mais incêndio e que ambientalistas são filhos de agricultores interessados melhorar a qualidade de vida de suas próprias famílias. Para quem está no meio do fogo, pouco importa o bate-boca dos políticos e seus seguidores fanáticos, interessa poder trabalhar e garantir o sustento também das próximas gerações.

Renato Farias, biólogo, diretor do ICV, em Alta Floresta, MT
Renato Farias, biólogo, diretor do ICV, em Alta Floresta, MT

Madeleine Lacsko - Eu li no site que o ICV faz um trabalho de preservação levando em conta a necessidade de desenvolvimento das pessoas e da região. Como exatamente vocês atuam?

Renato Farias - Eu sou morador de Alta Floresta há 40 anos, trabalho com meio ambiente desde 1994 e no ICV desde 2009. Todos nós lá somos filhos de agricultores, vinculados à agricultura, sociobiodiversidade e melhoria da qualidade de vida da população.

Em termos de agenda de trabalho, temos dois escritórios e uma atuação avançada.

O escritório de Cuiabá cuida das agendas políticas, levantamento de dados e transparência, trabalha junto ao governo. O escritório de Alta Floresta, fica no norte do Estado, no Portal da Amazônia e tem a maior equipe. Temos também operação em Cotriguaçu, no noroeste do MT.

A região Norte é mais consolidada, mais aberta, tem mais pecuária. Já a região noroeste, é mais extrativista, com áreas indígenas e assentamentos.

Nós temos uma “visão territorial”, discutimos a integração e como os atores que estão na região trabalham para o desenvolvimento a médio e longo prazos.

No final da década de 90 e início dos anos 2000 também tivemos um momento de crises ambientais. Houve alto índice de queimadas, chegamos a ficar sem pousos e decolagens, virou uma questão de saúde para as crianças.

Naquela época, criamos o programa “fogo emergência crônica”, que tinha o objetivo de- reduzir a zero as queimadas, um trabalho com o poder público e empresários locais, discutindo de forma mais ampla o efeito das queimadas. Acabamos desenvolvendo um trabalho bem relevante na discussão da pecuária

A nossa relevância nasceu de uma demanda: as ONGs e ambientalistas falavam de sustentabilidade, mas não mostravam como. 

Nós mostramos que era possível utilizar áreas que precisavam se restauradas e que o tipo de pecuária na região estava muito arcaico. As técnicas novas já estavam aí desde a década de 70.

Desenvolvemos parcerias com a Embrapa e parceiros locais. Áreas que estavam abandonadas ou degradadas poderiam render ao proprietário 10 vezes mais. Isso, sem falar numa redução de praticamente 90% de carbono por quilograma de carne. Isso gerou uma agenda local e hoje Alta Floresta é reconhecida ou está no cenário como uma das regiões com um dos melhores projetos na agenda de produção de carne bovina do mundo.

Até tivemos uma discussão sobre isso com o McDonald’s, que defendia não comprar nada que viesse da Amazônia. Não é não se comprar da Amazônia, mas como comprar, quais compromissos e critérios têm de ser estabelecidos para efetuar uma compra.

ML - Vocês têm projetos com o Fundo Amazônia?

É uma outra agenda bastante significativa, o Projetos Redes Socioprodutivas. Nós esperamos um pouco para entrar no Fundo Amazônia porque queríamos que ele estivesse mais estruturado. Fizemos um projeto de apenas 30 meses, curto prazo, pensando na renovação dele.

Atuamos em 6 municípios. Em 2, no norte do Estado, trabalhamos com agricultura familiar envolvendo 4 cadeias: leite, café, cacau e hortifruti para abastecer a região com alimentos de qualidade.

Nos 4 municípios do Noroeste, trabalhamos mais com extrativismo, o babaçu, que é uma palma muito legal e a castanha do Brasil, inclusive fazendo um processo de inovação ampliando a discussão entre pequenos agricultores e o setor privado sobre manutenção da floresta;

Esse projeto do Fundo Amazônia atua diretamente com 600 famílias, sem contar o potencial indireto e a capacidade de ampliação. Nós tratamos do seguinte arranjo: organização, produção, beneficiamento e comercialização. Não é só o trabalho nas propriedades, é o trabalho fora também, de comercialização. É o trabalho de comercialização e, consequentemente, o aumento de renda e, consequentemente a melhoria de qualidade de vida e da relação entre a produção e a conservação na região.

ML - O presidente disse que não precisamos do dinheiro do Fundo Amazônia...

RF - Sobre não precisar do recurso, é um pouco de efeito direto. É um trabalho que vem de doação, um trabalho que já está na região há 10 anos. Outras organizações também participam.

Não se precisa desse recurso para fazer esse apoio a milhares de famílias. Mas quais são as políticas públicas que vão vir para colaborar com essa agenda?

Chega a ser doído imaginar, por exemplo, que esse recurso não vai chegar. Um recurso de doação, com uma agenda gerida por brasileiros, dentro do BNDES, cheio de restrições, cheio de burocracias que a gente tem de cumprir, com análise posterior até 5 anos depois do fim do projeto.

Também temos de pensar que, aqui, esse é o recurso que vai no mercado, que vai nas cooperativas, nas associações, é o salário das pessoas. Não são pessoas “importadas”, não são consultores, são filhos de agricultores também

Tem uma certa simplicidade nessa retórica que deixou de ouvir quem está aqui na ponta. Acho que, se ouvir os agricultores beneficiados, mesmo os que votaram no atual governo. A questão não é essa, não é esse ou aquele governo, a questão é a necessidade que a gente tem de apoio a esses grupos nessa vastidão da Amazônia tão complexa, que é o nosso trabalho do dia-a-dia.

ML - O presidente Bolsonaro fez acusações sem provas de que ONGs estariam colocando fogo na mata para abalar o governo. Já houve algum indício disso? Como essa fala foi recebida pelo terceiro setor?

RF - Sobre essa fala de que as ONGs são responsáveis, eu confesso que nem sei o que te falo, porque é tão fora da realidade… Eu cheguei aqui há 40 anos, ainda no governo militar, estudei aqui em colégio público, com militar, com Educação Moral e Cívica, OSPB, essas coisas. Fiz universidade aqui, meus pais estão enterrados aqui, minhas filhas nasceram aqui. A gente tem uma agenda super positiva com o nosso território. É tão descabida essa fala...

Somos daqui, queremos o bem daqui, trabalhamos para que essa região se desenvolva muito e que ela seja igualitária, que respeite todos os tipos de grupos.

Quando nos dispomos a trabalhar num território, a gente acaba tendo que dialogar com todos os setores, não só com parte deles.

ML - Este artigo de vocês mostra as queimadas este ano. Tem alguma comparação com anos anteriores?

RF - É importante a gente saber que, em 2014 para 2015, houve uma significativa redução das operações de comando e controle. Isso, ao longo dos anos, vai emitindo sinais principalmente para aqueles grupos que pensam na irregularidade ou na ilegalidade, que é avançar sobre áreas, fazer queimadas, fazer grilagem.

Isso se intensificou no início do atual governo, principalmente pelas mensagens que o Ministério do Meio Ambiente acabou por colocar. A própria desestruturação desses órgãos federais. Na mensagem de que ia estruturar, mas vai demorar um tempo para isso. Mas e esse período? Como fica.

Se as ferramentas que nós temos para alertar as autoridades não resultam em nada, a tendência é que amplie o desmatamento e, na sequência, áreas que estão com fogo, ampliam.

A ampliação disso se dá vinculada a uma ausência e aos sinais dados. A questão principal são os sinais dados. Porque a imensidão da Amazônia, a complexidade que se dá e essa informação que chega, parece que tudo pode. Ou não pode, mas a gente não sabe como vai combater o que não pode. Esses sinais acabam alavancando de novo uma agenda negativa.

De 90 a 95% das queimadas nos últimos anos, sempre foram apresentadas como desmatamentos na linha da ilegalidade. O sinal tem que ser de ação e não o sinal de que estamos pensando ou vamos ver como isso vai ser no futuro.

ML - Há como reverter o que foi perdido com as queimadas?

RF - Uma coisa importante entender é que há um sentimento aqui na ponta que as pessoas não querem que o quadro se amplie. Há um trabalho por parte da sociedade e, quando a gente fala sociedade, não só sociedade civil, tem também o terceiro setor, que é compreendido de forma equivocada.

As ONGs apóiam também agendas das empresas ou dos governos como, por exemplo, a campanha do soro caseiro e a campanha do combate à pobreza. O Terceiro Setor existe para complementar a agenda do governo.

A sociedade local e o empresariado estão em busca de soluções. A grande questão de reverter o quadro são as cicatrizes que essa agenda de destruição vai deixar ao longo do tempo. Vincular a produção do país a uma agenda de sustentabilidade é o principal ativo que a gente tem.

Essa visão a meu ver muito equivocada de que a Amazônia poderia ser aberta para mais produção. A gente já tem uma área de tamanha vastidão com condição de produção a partir de uma melhora no modelo de produção. Então, eu acho que falta uma análise profunda sobre isso.

Eu acho que a gente vai sofrer tanto na questão da biodiversidade quando na relação do agronegócio. Vários ex-ministros do Meio Ambiente deram alerta sobre a preocupação com os nossos produtos no exterior. O Blairo Maggi (grande produtor rural e ex-ministro da Agricultura) falou que a gente tem de entender que não somos os únicos produtores do mundo: se a gente perde mercado, vem outro e ocupa. E a gente está passando a mensagem que esses produtos estão vindo de áreas com devastação da floresta amazônica.

39 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 39 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • Z

    Zyss

    ± 3 dias

    Fiz um questionamento e fui censurado, gazetinha deixando a Fiascko gerenciar o jornaleco como se fosse o seu twitter?RIP gazeta....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Ana Caroline

    ± 4 dias

    Bacana a entrevista, Madeleine. O Renato Farias trouxe bastante informação e (graças a Deus) não se enveredou na rota do fla-flu político, que parece intoxicar todo e qq assunto neste país nos últimos anos. É o que espero do jornalismo em sua essência: que não se deixe levar pela paixão às ideias e priorize os fatos, independente das conclusões decorrentes deles. Morei 4 anos no MS, mais perto do Pantanal do que da Amazônia, como é o caso do MT, e estando no Rio hoje percebo que as pessoas querem falar, desesperadamente, no afã de parecem engajadas (sei lá o motivo), mas não entendem patavinas do que ocorre nos grandes interiores do País. Chega a ser boçal.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Renata

    ± 4 dias

    Ótimo artigo, Já que esse presidente e essa la ideológica que o circunda têm paradigmas mentais da época da ditadura militar sobre a Amazônia. Dessa forma, já contamos com tecnologia para ter maior produtividade, bem como se sabe que é necessário plantar de forma sustentável. Afinal como bem lembrou o tecto, não somos os únicos a produzir e podemos perder mercado por adoção de práticas inadequadas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 4 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • Z

      Zyss

      ± 4 dias

      J. Campos: O novo agro mata a concorrência da Europa.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • J

      J. Campos

      ± 4 dias

      Ok, isso é balela. E qual é a verdade? O governo está no caminho certo? Está fazendo um bom trabalho em tornar o nosso agronegócio mais competitivo no mercado internacional?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • K

    Karina Miranda

    ± 4 dias

    Ótimo artigo. Bem escrito e esclarecedor. O que me entristece (ou me dá medo) é a qualidade dos comentários dos leitores. Comentários agressivos, bem ao estilo Bolsonaro. Que esses tempos sombrios passem logo. Obrigada pelo texto Medeleine.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    6 Respostas
    • A

      Admar Luiz

      ± 4 dias

      Meu objetivo é conquistar amigos. Nem que pra isso eu precise ser direto e muitos vezes até rude - pelo padrão esquerdista, claro, né?, rsrsrs - do que ser falso e hipócrita. Prefiro o bom debate do que agressões, coisas que esquerdistas não fazem - vá debater esquerda e direita numa dessa Universidades infestadas de radicais ideológicos, pra ver as agressões que irá sofrer. Quem dividiu o país, meu caro, foi o lulismo e suas narrativas falseadas como nota de três dólares. Do "nós contra eles". Esse ser "iluminado" que se diz o mais honesto do Brasil é que legou misérias aos brasileiros. Isso na economia, nas instituições e nos valores mais comezinhos de uma sociedade.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Admar Luiz: pra que? botar um alvo nas costas? mas o cpf a gazeta tem. pra mim essa historia de direita e esquerda é pra alimentar trouxas, no final todos os políticos são amigos, e quem perde os amigos por ideologia são vocês

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Admar Luiz

      ± 4 dias

      Esse tal de Sarta, esse deve ser nome fictício, não tem coragem de dar a cara com seu nome verdadeiro, é mais um puxa-**** do esquerdismo hipócrita que vigora por essas bandas. O que vcs não suportam é quando setem coragem de chamar as coisas pelo nome que elas tem. Vcs adoooram é os vaselinas, tipos, como Lula, Renan, Gleysi, Boulos, etc, etc. Aí quando alguém fala a verdade na lata, chama-o de agressivo, fascistas e sei lá mais o quê, Vão plantar batatas, esquerdistas caviar, batata não dá em gondola de supermercado, tá?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Só você que lambe botas do seu líder supremo, que não é manipulado, manipulado pra você são todos que não concordam com sua santa opinião porque para você só a sua opinião é a correta

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Z

      Zyss

      ± 4 dias

      Eu tinha de tipos como vc Karina, altamente manipuláveis pelos verdadeiros destruidores da pátria. Não se informam com fatos, apenas por opiniões de gente desqualifica como este tal Madeleine.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      ALEXANDRE JOSE D. GONCALVES

      ± 4 dias

      Ia dar um like, mas depois que veio a menção ao Bolsonaro percebi que você valoriza mais o jeito duro que ele toca seu governo ao invés de enxergar a verdade sendo dita, nossa soberania sendo defendida. Sugestão: repense sobre o que você mais valoriza! E não se esqueça que o "Bozo" é o que temos pro almoço! Contrário seria o "Poste"!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo Prestes

    ± 4 dias

    Bom, comprovou uma das afirmações do Bolsonaro, de que há uma enorme rede de ONGs recebendo dinheiro público, sem que se saiba exatamente quantas são e o que fazem. E o corte de verbas para essas ONGs causou uma forte reação contra o governo, pois todos que dependem de verbas estatais para viver parecem incapazes de entender o que significa “déficit fiscal”, “falta de dinheiro” e “reequilíbrio fiscal”. Querem continuar gastando como se o país tivesse obrigação de pagar, mesmo em crise orçamentária, alto desemprego e produção estagnada. Se fossem atividades com valor econômico, não precisavam do governo federal para sobreviver, produtores e prefeituras bancariam.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • E

      Eduardo Prestes

      ± 4 dias

      Sartan: Usou o argumento mais comum da extrema-esquerda brasileira: xingamentos... O outro argumento são os slogans panfletários (imperialismo, entreguistas, fascistas, blá, blá, blá). Depois querem votos...

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Seu líder sempre arranjando alguém para culpar, gente sem caráter tudo para manter a supremacia da sua ideologia

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 4 dias

    Madeleine, também morei no MT e sei como funcionava o Incra, Ibama, etc. Só corrupção e gente pedindo propina. Dito isto, o que se desnuda no seu texto - fora o bom-mocismo do onguista - se é que existe está palavra - é que o culpado das queimadas no norte brasileiro é - como não poderia deixar de ser - O BOLSONARO, né? Nesse oito meses de governo ele mandou “destruir “ a Amazônia. Queimem, desmatem, invadam , poluam. Credo! Que homem horrível! É o quê o nobre agricultor dono de umaONG da a entender, não? As leis continuam as mesmas que vigoraram nos governos lulopetistas - que bateram recordes de queimadas. É isso que o governo atual quer mudar. O resto é proselitismo rastaquera.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • J

      J. Campos

      ± 4 dias

      A CULPA É DO BOLSONARO? "...em 2014 para 2015, houve uma significativa redução das operações de comando e controle. ". Ou seja, a culpa é principalmente da crise fiscal em que a Dilma (e o PT) nos enfiou. ENTÃO O BOLSONARO NÃO TEM CULPA "O sinal tem que ser de ação e não o sinal de que estamos pensando ou vamos ver como isso vai ser no futuro." Ou seja, claro que o Bolsonaro tem sua parcela de culpa, ao nomear um ministro incompetente e suspeito que domina apenas a arte da oratória, mas tem dificuldade em sustentar com dados os seus discursos.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    Decio mango

    ± 4 dias

    Falacias...ONGS...e outras baboseiras...quem conhece a Amazônia sabe...que tudo isso e uma grande baboseira

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      É que o pais que você venera e anda orgulhoso com sua foto americanopata estão loucos para minerar lá então precisam tirar todos que estão no seu caminho para conseguir seu objetivo, por isso então se voltando para as ongs

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FRANCISCO BEDUSCHI

    ± 4 dias

    O que voce nao consegue dizer em dez pslavras nao adianta escrever um livro.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JP

    ± 4 dias

    ... para não ser injusto... o Constantino está cada vez mais amadurecido, mas ainda não chegou no nível de vcs três citados no post anterior. Assustador mesmo é o Alexandre Garcia! a idade não lhe fez bem. Pena!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Agora os bozonetes já criaram os rótulos quem discorda totalmente são esquerdista quem concorda um pouco mas não se ajoelha totalmente para sua divindade são isentões. só é pessoa de bem que adora o mito e nunca discorda dele

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Z

      Zyss

      ± 4 dias

      Constantino virou um isentão esquerdista (inventei), acho q é por isso q vc tá gostando....

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JP

    ± 4 dias

    Jornalismo objetivo, claro e bem fundamentado. Madeleine, você, o Mário e o Nogy fazem a assinatura da Gazeta valer cada centavo. Vocês são as luzes que iluminam o túnel traiçoeiro do radicalismo cego e obtuso. A propósito, meu sobrinho sofre sequelas terríveis de uma meningite perfeitamente evitável com vacinação. Meu cunhado não “confiava” em vacinas...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    4 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Decio mango: Lixo puro é que paga de bom mas não desgruda do sa.co dos americanos

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • D

      Decio mango

      ± 4 dias

      QUA QUA QUA...lixo puro

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Admar Luiz

      ± 4 dias

      Kkkkk, então esses caras aí são a sua referência, Mamma mia!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • M

      Madeleine Lacsko

      ± 4 dias

      ❤️ obrigadaaaaa

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • W

    Wilbur Archibald III

    ± 4 dias

    Aproveita o assunto e vai procurar pinguim em Goiás, tia!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MORALES

    ± 4 dias

    Que preguiça! Essa falta de pesquisa e profundidade de jornalistas que acreditam que os leitores estão interessados em suas crenças pessoais e não em argumentos sólidos cansam, desgastam, são patéticos. Quem paga por isso?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Eles nem leem só tem profundidade quem elogia o grande líder deles

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Alessandro de Paula Alvarenga

      ± 4 dias

      Sinal de que não leu a matéria até o fim... sem profundidade é você.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 4 dias

    A tia chata, começa o textão falando que é fake News a relação entre vacina e autismo. Minha filha, tem várias pesquisas e livros com dados provando que tem relação sim. É muita prepotência sua chamar um assunto sério desses de fake News. Com relação ao resto. Nem li.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    3 Respostas
    • W

      Wilbur Archibald III

      ± 4 dias

      Bozoides é remédio pro bozó?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Chatos são os bozoides que acham que só eles estão certos

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • P

      Paulo Pizani Junior

      ± 4 dias

      Ela se diz a rainha da zueira, mas para mim é a bagunceira do circo, faz barulho para acobertar o "padrinho" laxante do STL.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • K

    Klin

    ± 4 dias

    Outras partes do mundo ardem muito mais que a Amazônia. Porque só a Amazônia está no olho do furacão? Há muitos interesses escuros nesta estória.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 4 dias

      Porque só seu grade líder abriu a boca para falar b*****

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.