i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Arquibancada Virtual

Foto de perfil de Arquibancada Virtual
Ver perfil

Egocêntrico, Renato Gaúcho não deixou saudades no Atlético

  • PorDaniel Malucelli
  • 30/11/2017 10:04
Renato em ação pelo Atlético contra o Botafogo, no Brasileirão de 2011. Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Renato em ação pelo Atlético contra o Botafogo, no Brasileirão de 2011. Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo| Foto:

A passagem de Renato Gaúcho como treinador do Atlético em 2011 durou menos de dois meses. Tempo suficiente para o folclórico personagem do futebol brasileiro colecionar polêmicas e distribuir pérolas, muitas em virtude da sua indisfarçável vaidade e egocentrismo. Mas a melhor história do treinador ocorreu depois da sua saída, em 2013. Através de uma brincadeira bastante criativa, a torcida do Furacão provocou o técnico com um cartaz da filha, trajando um biquini do Atlético. O bullyng viralizou e foi destaque entre atleticanos. Lembre de outras fábulas de Renato, como comandar o Rubro-Negro do sofá de casa, treinador que entrou mais uma vez para a história do Grêmio ao conquistar o tricampeonato da Libertadores, nesta quarta (29). Detalhe: no seu melhor estilo, o treinador pediu estátua para ele na frente da Arena do Grêmio e sugeriu feriado em Porto Alegre para os gremistas festejarem o título continental e, claro, os colorados comemorarem a volta à Série A.

 

******

“Da formiga para o elefante”
RENATO GAUCHO - DEMICAO - CURITIBA - 01- 09- 11- ESPORTES

Renato Gaúcho comandou o Furacão em 14 partidas no ano do rebaixamento do clube para a Série B. Foram quatro vitórias, cinco empates e cinco derrotas – com aproveitamento de 40%. Assumiu o time na lanterna do Brasileirão, foi eliminado pelo Flamengo na Sul-Americana na primeira fase e pediu demissão com o Rubro-Negro na penúltima posição do Nacional. Mesmo assim, o treinador declarou ao site UOL dois anos depois que mudou o Atlético da “formiga para o elefante”.

******

Comandado o time do sofá de casa no Rio

Antes de estrear como treinador atleticano, o ex-atacante deu dicas e até ordenou substituições por telefone de sua casa, no Rio de Janeiro, para o interino Leandro Niehues durante a partida contra o Internacional. “Batemos um papo por telefone no intervalo e o Renato concertou nosso time. Fizemos até a substituição do Kléberson que ele pediu”, contou na época Niehues.

 ******

Fransérgio de atacante

Uma das inovações de Renato Gaúcho foi escalar o volante Fransérgio como atacante. Na época, o treinador declarou: “Ele tem todas as características de atacante. Sabe fazer o pivô e pode ter certeza que vai evoluir”. Atuando na função, o jogador anotou apenas um gol. Atualmente, Fransérgio continuou como volante atuando pelo Marítimo e Braga, ambos de Portugal.

 ******

Renato psicólogo
IVONALDO ALEXANDRE

O treinador afastou na época o profissional Gilberto Gaertner do time profissional e sem papas na língua disparou: “O melhor psicólogo para o meu grupo sou eu”. O Conselho Regional de Psicologia do Paraná não gostou da atitude de Renato, ameaçou processar o Atlético e pediu a retração do clube com os profissionais.

******

Morro García

O atacante uruguaio – contratação mais cara da história do clube – estreou com Renato Gaúcho, mas não deslanchou. Morro anotou seus dois únicos gols com a camisa atleticana ainda sob o comando do treinador, ambos marcados na partida contra o Botafogo.

******

Pedido de demissão

Renato Gaúcho não hesitava em dizer que o Atlético estava pagando pelos seus erros passados. Depois de perder para o xará mineiro na Arena da Baixada, o técnico pediu demissão alegando ter que resolver problemas pessoais. “Foi uma decisão minha. Tenho de resolver problemas particulares que já tinha no Grêmio. Quero que fique claro que não existe convite de outro clube”. Renato só voltou a treinar outro clube dois anos depois do Furacão.

******

Provocações no reencontro

TORCEDOR DO ATLETICO - ESPORTES - CURITIBA - PARANA - 31/10/2013 -

Carol, a obra criativa de A obra criativa do torcedor Renato Carpinski

Quando o Furacão recebeu o Grêmio comandado por Renato, em 2013, a torcida rubro-negra não perdoou. Um torcedor levou para o estádio até um cartaz com o tamanho real da filha do técnico, Cartol Portaluppi, vestida – com pouca roupa – de rubro-negra. Durante a partida, os torcedores provocaram chamando o ex-atacante de ‘sorgro’. A obra criativa foi do torcedor Renato Carpinsk.  “O pessoal queria fazer algo engraçado. Aí surgiu essa ideia. O Renato tem um ciúme tremendo da Carol”, argumentou ele à época.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.