Bar do Celso: Cerveja India Pale Lager
| Foto: Divulgação

Não é de hoje que o meio cervejeiro fala de India Pale Lager, ou IPL, para os íntimos. Mas foi apenas em 2020 que essa tendência de uma receita de India Pale Ale feita com leveduras de baixa fermentação ganhou espaço no guia de estilos da Brewers Association (BA), a associação das microcervejarias dos Estados Unidos. Uma justa inclusão, mesmo que tardia. A novidade em relação ao estilo é que muitos produtores tem explorado seus limites, testando novas ideias, o que só aumenta a felicidade dos cervejeiros loucos por novidades.

Mas o que quer dizer tudo isso? Bem, uma India Pale Ale é um estilo que surgiu no século 18 na Inglaterra e se tornou uma versão mais amarga e lupulada da Pale Ale tradicional. Esse estilo foi resgatado pelos cervejeiros americanos no período de Renascimento da Cerveja Artesanal, que acontece a partir de 1970, e, desde então, não parou de crescer. Hoje, é certamente o tipo de cerveja artesanal mais vendido no mundo, deu origem a inúmeras variações e não dá sinal de que vá parar por aí.

O IPL pode ser considerado uma dessas variações que tem como base a troca do tipo de fermentação da cerveja de alta fermentação (Ale) para baixa fermentação (Lager). Isso porque toda a cerveja Ale produz, em maior ou menor qualidade, um aspecto frutado que, no caso da IPA, é bastante relevante e “arredonda” a cerveja. Também pode diminuir a percepção do amargor e pode causar um certo ruído, interferindo nos aromas e sabores do lúpulo, ator principal desse estilo. Ao se fermentar em baixa fermentação elimina-se esse frutado, dando origem a uma cerveja ainda mais focada no lúpulo e de amargor mais impactante.

É claro que a intensidade desse amargor também pode variar. A Swamp, instalada no Boqueirão, tem como uma das suas cervejas a deliciosa Mangroove, que tem amargor limpo e reduzido (51 IBU), assim como o álcool (5,1%), o que a encaixaria como uma Session IPL. Já a Bastards, de Pinhais, tem a sua já clássica Piná a Vivá, uma Double IPL, com 8,5% e 70 IBU.

Justiça seja feita, uma das primeiras dessas “cervejas invertidas” em Curitiba foi a Jan Kubis, da Dum Cervejaria. Uma das primeiras do país também, se não a primeira. A receita original era uma American Pale Ale baseada na clássica americana Sierra Nevada APA.

E New England India Pale Lager, existe? Sim. E estão sendo produzidas em um bom volume nos Estados Unidos. Por aqui também há quem experimente essa nova brincadeira, como a Cervejaria Avós, de São Paulo (SP). Uma das mais recentes produções é a A Véia Viaja 2. Aliás, a Avós só faz cervejas Lagers. Uma grande aposta que não precisa ser nada careta.

Swamp Mangroove

Cerveja India Pale
| Divulgação

Estilo: Session IPL
Cervejaria: Swamp (Curitiba)
Embalagem: 473 ml
Teor alcoólico: 5,1% ABV
Preço: R$ 22,90

Bastards Piná a Vivá

Cerveja India Pale
| Divulgação

Estilo: Double IPL
Cervejaria: Bastards (Pinhais)
Embalagem: 355 ml
Teor alcoólico: 8,5% ABV
Preço: R$ 15,90

Jan Kubis

Cerveja Jan Kubis
| Divulgação

Estilo: American Pale Lager (APL)
Cervejaria: Dum Cervejaria (Curitiba)
Embalagem: 600 ml
Teor alcoólico: 5,3% ABV
Preço: R$ 22,90

A Véia Viaja 2

Cerveja India Pale
| Divulgação

Estilo: NE IPL
Cervejaria: Cervejaria Avós (São Paulo)
Embalagem: 330 ml
Preço: entre R$ 25 e R$ 35

* Os preços são aproximados. Beba com moderação e nunca antes de dirigir.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]