i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Camila Farani

Foto de perfil de Camila Farani
Ver perfil
Posicionamento de marca

Como construir uma marca que contribua para uma causa maior

  • Camila FaraniPor Camila Farani
  • 04/10/2020 08:00
Como construir uma marca que contribua para uma causa maior
| Foto: Unsplash

Ter uma causa maior por trás de sua marca é importante - não apenas para a percepção do consumidor sobre o que sua marca faz -, mas também para que você se sinta retribuindo ao mundo um pouco do que ganhou e também para que seus colaboradores sintam-se privilegiados em trabalhar na sua empresa.

Quando você alinha sua marca a coisas boas, as pessoas rapidamente percebem e, na grande maioria das vezes, sentem orgulho de fazer parte de seu rol de clientes.

Uma pesquisa intitulada "A força do propósito", desenvolvida pela consultoria Zeno neste ano, aponta que quando os consumidores percebem verdadeiramente que uma marca ou empresa possui um propósito forte, a probabilidade de defendê-la e protegê-la no caso de ela cometer um erro em seu posicionamento é seis vezes maior.

Outro número relevante trazido à luz pelo estudo é que o índice de recomendação para amigos e familiares é 4,5 vezes maior nestes casos.

No entanto, a consultoria Carole Cone on Purpose divulgou outra pesquisa, indicando que apenas 24% de seus entrevistados de negócios relataram ter um propósito embutido em seus negócios. E embora seja verdade que você não deve adicionar um ideal de impacto social com a intenção única de chamar atenção ou conquistar de forma artificial o coração de seus consumidores, é importante avaliar: O que minha marca representa? Como ajudamos o mundo? Como posso conectar meu lucro com um propósito maior?

Aqui estão alguns pontos a serem considerados nesse momento necessário de autoavaliação. O texto foi escrito por Jennifer Spencer, CEO da Energent Media, para o Entrepreuner.com

1. Como seu produto pode realmente ajudar outras pessoas?

Um exemplo poderoso de um empresário que usa seus serviços para o bem é o incorporador imobiliário Christopher Senegal, que está lutando contra a gentrificação em um bairro de Houston chamado Liberty Square.

Antes de falar como Senegal tem feito isso, vale explicarmos que gentrificação é um fenômeno que afeta uma região pela alteração das dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou construção de novos edifícios.

Estas mudanças fazem com que haja aumento dos custos de bens e serviços, dificultando a permanência de antigos moradores de baixa renda. Senegal tem identificado formas de se envolver no processo. Aos 33 anos, ele começou a construir moradias de classe média no bairro quando viu os padrões de desenvolvimento nas áreas circundantes.

Percebeu que fazer isso manteria a cultura da comunidade intacta, ao mesmo tempo em que melhorava o bairro e aumentava o dinheiro dos impostos, o que melhoraria as escolas. Ele fez questão de não só trazer os moradores que eram da região de volta dos subúrbios, mas também apenas contratar moradores da vizinhança e montar uma equipe de profissionais afro-americanos: sua equipe de construção, corretores de imóveis, credores preferenciais, agentes de seguros e inspetores são todos da comunidade.

2. Como você pode aumentar a conscientização sobre causas importantes?

As mídias sociais oficiais da sua marca ou mesmo as campanhas publicitárias são uma oportunidade ideal para mostrar ao mundo o que você se propõe a representar. A gigante multinacional Protect & Gamble, por exemplo, criou uma campanha publicitária chamada “We See Equal”, que deixou claro seu posicionamento em relação à igualdade de gênero no local de trabalho.

Mas não basta publicizar, é preciso colocar em prática seus princípios. Dos gerentes da P&G, 45% são mulheres, que ocupam também um terço dos cargos do conselho. A lição que a P&G nos deixa é a de investir dinheiro em publicidade e mídias sociais que mostrem como você está realmente tentando fazer a diferença para um mundo melhor.

Kris Ruby, CEO do Ruby Media Group, publicou recentemente um artigo sobre ativismo de marca e como os consumidores esperam mais das marcas atualmente. Segundo a executiva especialista em social media, isso deve incluir ações como usar a consciência da marca para impactar positivamente a comunidade onde a empresa está situada e participar de movimentos sociais relevantes.

3. Como você pode implementar a defesa social em seu modelo de negócios?

A forma que você escolhe fazer seus negócios também é essencial para conseguir transmitir de forma honesta quais os impactos sociais exercidos por sua empresa. Além de conscientizar toda sua equipe e, conforme as possibilidades, seu público consumidor, é preciso se certificar de que cada etapa de suas práticas de negócios está alinhada com seu propósito.

Um exemplo disso é o e-commerce Everlane, que está trabalhando para aumentar a transparência de sua produção de vestuário, tornando públicos até mesmo detalhes envolvendo a forma de precificar as peças. A empresa tem feito isso compartilhando imagens dos bastidores de suas fábricas, explicitando processos de produção, e divulgando os custos exatos envolvidos na confecção de cada peça de roupa.

Com condições injustas em muitas grandes companhias de roupas internacionais, uma posição como esta prova o compromisso da Everlane com a causa e mostra seu desejo de promover o aumento da conscientização.

De uma vez só, pode parecer difícil de implementar uma mudança tão drástica quanto essa em seu modelo de negócios, bem menos poderoso que o da Everlane. No entanto, considere pequenas mudanças que poderiam ser executadas sem grandes prejuízos para suas taxas de lucro, já que eles não são tão vultosos quanto os das gigantes do vestuário.

Analise colocar em prática ações possíveis, como por exemplo, fiscalizar quem são e quanto ganham os trabalhadores envolvidos na produção de suas roupas, impedindo que donos de pequenas fábricas explorem imigrantes ou paguem salários ínfimos aos colaboradores. Mostre aos clientes o quanto você se preocupa com os processos que envolvem a produção de suas peças. Não esqueça: seu público está observando tudo o que você faz. Prove que você luta em prol das causas humanitárias, mostre que eles podem confiar em você.

4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 4 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • L

    Luiz Alberto

    ± 24 dias

    Muito bom artigo. Uma empresa para se posicionar bem no mercado precisa ser transparente, ter produtos de qualidade, respeitar o consumidor, seus funcionários e a comunidade em geral. Deve ser participativa e igualitária nos métodos e processos. E, sobretudo, se afastar dessas ideologias de ocasião que mais provocam o ódio e o ressentimento em vez de propagar a união, a fraternidade o entendimento.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • E

      EURICO BORGES DOS REIS

      ± 24 dias

      Gostei muito Empresas duradouras tem uma boa relação com sua comunidade A pergunta Chave que qualquer empresa, que queira alcançar voo que não seja o de galinha : A comunidade a nossa volta , sentiria nossa falta se deixássemos de existir?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • M

        Maquiavel

        ± 25 dias

        Para mim o que importa é preço baixo e qualidade do produto, o resto é mimimi...

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • F

          F.Neto

          ± 25 dias

          Se isso é realmente importante aos consumidores, devemos parar de consumir produtos chineses.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          Fim dos comentários.