Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Poltrona Underconstruction Ponto Cruz, Coleção Rendas, assinada por Pedro Franco em parceria com a artesã baiana Ana Caires.
Poltrona Underconstruction Ponto Cruz, Coleção Rendas, assinada por Pedro Franco em parceria com a artesã baiana Ana Caires.| Foto: Divulgação/A lot of Brasil

Nos tempos atuais, viemos observando uma grande indignação perante os acontecimentos que ocorrem junto à administração pública que, de fato, há tempos vêm ultrapassando todo o limite do bom senso. E, dada tal vontade de transformações e melhorias na administração pública, acredito ser necessário repensarmos dentro de valores individuais e da sociedade como um todo.

A questão “eu” permeia a boa conduta e passa sempre pelo ponto do preço x valor. Os valores que nos norteiam vêm de berço, da criação e independem da classe econômica. Afinal, há centenas de bons exemplos oriundos das classes menos favorecidas. Basta uma pesquisa e chegaremos a alguns casos de pertences devolvidos a seus donos mais abastados por profissionais de atividades de rua (lixeiros, taxistas etc).

Em tempos de muita reflexão (necessária) sobre mudanças, talvez originados pelo “respiro” que os últimos acontecimentos nos forçaram a ter, é imperativo que nos TORNEMOS a mudança que queremos ter.

Em nossas casas, em nosso trabalho, e mudanças que digam muito mais sobre a nossa relação com os outros, o verdadeiro valor da EMPATIA. Valores são aquelas GUIAS que nos conduzem no transcorrer da vida. No propósito no qual conduzo meu trabalho, minhas relações interpessoais.

São bens intangíveis um legado da diferença de nossa existência como contribuição ao planeta. Com maior ou menor envergadura, mas que efetivamente marcam nossa existência. Afinal, somos todos influenciadores de milhares de pessoas as quais transpassam nossa história no decorrer de nossa vida. Mas influenciadores de verdade, não “influenciadores” que impactam poucos segundos de nossa tela digital.

Por sua vez, ter PREÇO é tudo aquilo que é maior que nossos valores. Uma recompensa imediata que nos desvirtua de nossa linha guia. Como linha guia podemos dizer a soma de todos os instantes que delinearam nossa vida, todas as interfaces e ensinamentos que tivemos com nossos pais, e mais do que isso a Linha Guia que nos faz honrar nossa ancestralidade e antepassados, que impactam nosso ser mais do que podemos imaginar, tal qual delineado por Jung e seus conceitos de arquétipos.

E no mundo do design, como exprimimos nossos valores? Tal mudança pode e deve ser incorporada no âmbito criativo. Victor Papanek, filósofo e pensador dizia que o DESIGN pode ser a melhor ou a pior ferramenta do mundo. Quando ele é apenas uma ferramenta para gerar consumo, sem agregar maiores valores a cadeia, trata-se de uma má ferramenta.

Porém, quando o design se transforma em uma engrenagem que articula diferentes valores a cadeia produtiva, transforma-se em uma forte ferramenta para um mundo melhor. Um design que tenha como base criativa um elemento único e local, que amplifique o saber de artesãos, que gere competitividade para a indústria. Este já é um ótimo ponto de partida no sentido de um design de VALOR.

Há tempos, decidi que não trabalho com nenhuma indústria a qual me encomende um projeto único e exclusivamente destinado a atender uma função de uso. Afinal de contas, já temos produtos o suficiente para atender necessidades como o SENTAR, o ILUMINAR, o DEITAR.

Desenvolvo conceitos, os quais introduzam VALORES a produtos, que por sua vez ATENDAM a função de uso. Produtos que tragam uma memória afetiva, que eternizem um fazer tipicamente local, que exponenciem a história única de uma região.

A tal junção dou o nome de alma. Com todos esses valores intrínsecos acabamos por ter inclusive um produto mais próximo da desejada sustentabilidade. Afinal de contas, não descartamos algo que nos emocione.

A parte disso, conheço as estruturas, princípio e valores de cada indústria a qual me relaciono. Se não houver uma tangência dos mesmos, não sigo adiante. Obviamente que, ao me tornar intransigente em função de meus VALORES a princípio passei a restringir minha área de atuação. Porém, decidi trabalhar por meus VALORES a ter um PREÇO. Fica aqui o convite à reflexão, sobre como você pode se tornar a mudança que deseja.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]