i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Filipe Figueiredo

Foto de perfil de Filipe Figueiredo
Ver perfil

Explicações para os principais acontecimentos da política internacional

Pandemia

A negligência com o novo coronavírus e as diversas faces de Israel

  • Por Filipe Figueiredo
  • 10/04/2020 10:57
Judeus ultraortodoxos mergulham utensílios de cozinha em água fervente para purificá-los, em preparação antes da Pessach, feriado que celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito. Jerusalém, 8 de abril de 2020
Judeus ultraortodoxos mergulham utensílios de cozinha em água fervente para purificá-los, em preparação antes da Pessach, feriado que celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito. Jerusalém, 8 de abril de 2020| Foto: MENAHEM KAHANA / AFP

Israel é um tema que, ano após ano, chama mais a atenção dos brasileiros. Seja por questões políticas, com o conflito com a Palestina, por presença no noticiário, como a questão de Israel, ou por motivos religiosos e culturais. Nesse último aspecto é significativo o interesse motivado por questões ideológicas em alguns setores neopentecostais. A bandeira do Estado de Israel tornou-se presença cativa na conhecida Marcha Para Jesus, por exemplo. É importante ter noção, entretanto, de que algumas visões romantizadas ou muito passionais são superficiais, e o modo como o novo coronavírus está sendo encarado contribui para mostrar a variedade da sociedade israelense.

Ainda no início de fevereiro, Israel já havia suspendido voos chegando da China, de Hong Kong, de Macau, da Tailândia e de Singapura. O primeiro caso em Israel foi confirmado no dia 21 de fevereiro. Na semana seguinte, voos do Japão e da Coreia do Sul foram proibidos e o governo pediu a suspensão de todas as viagens não essenciais. No mesmo período, qualquer pessoa suspeita de estar infectada foi colocada em isolamento por duas semanas. Já no dia 3 de março uma escola com mais de mil alunos foi temporariamente fechada, já que dois casos foram de estudantes locais. No dia 9 do mesmo mês, toda pessoa chegando do estrangeiro deveria ficar confinada.

Providências

Alguns dos leitores mais atentos talvez se lembrem de que foi o período da mais recente eleição do país. As providências foram mantidas e os mais de cinco mil eleitores confinados puderam votar em cabines isoladas. Ainda no dia 12 de março, o governo determinou o fechamento das escolas e das universidades; no dia 15, proibiu reuniões de mais de dez pessoas; no dia 16, o Ministério da Saúde autorizou tratamentos experimentais contra o novo vírus. No dia seguinte, o parlamento autorizou que o Shin Bet, o serviço interno de inteligência, monitorasse os celulares dos infectados e dos confinados, para garantir que estavam cumprindo as exigências.

Foi quando o vídeo de um homem violando o isolamento sendo detido por policiais em roupa protetora viralizou nas redes sociais. No dia 25 de março foi a vez de medidas ainda mais rígidas, incluindo multas, depois de um sábado movimentado nas praias e parques. E tudo isso foi feito junto com suspensões de viagens, dispensa de funcionários, diminuição do ritmo da economia, o governo pagando pensões para pessoas que estão temporariamente desempregadas; no último dia 30, o governo do premiê Benjamin Netanyahu anunciou um pacote econômico de mais de 22 bilhões de dólares, cerca de 6% do PIB total do país.

No dia 18 de março, o Ministério da Defesa assumiu a coordenação da compra de equipamento e materiais em relação à pandemia. O conhecido Mossad, o serviço de inteligência externa de Israel, tema desde teorias da conspiração até debates sérios, providenciou cem mil testes rápidos em algumas horas e mais de um milhão em alguns dias, equivalente para testar mais de 10% de toda a população do país. O governo, na última semana, assegurou um grande carregamento de hidroxicloroquina da Índia, país polo de produção química mundial. A droga, prescrita para malária, lúpus e artrite, tem sido estudada como tratamento contra o novo coronavírus.

Mesmo tomando todas essas medidas, Israel passa por um crescimento de casos do novo coronavírus. Mesmo em uma curva menos acentuada do que o Brasil ou os EUA, a situação ainda assim é preocupante. E o quê explica isso? De um lado, temos um vasto complexo técnico-científico em Israel tomando providências para lidar com a pandemia, herança da fundação secular do país. Um amplo sistema público de educação primária e secundária, com nove universidades públicas e diversos laboratórios também com financiamento público. Um deles, o Migal, anunciou que em breve testará uma vacina contra o novo coronavírus, "adaptada" de uma vacina já existente.

Junto com esse sistema educacional, Israel conta com robusto sistema público de saúde, considerado um dos melhores do mundo. Cada cidadão israelense precisa ser associado a um dos quatro fundos de saúde estatais; caso deseje, também pode ter um plano de saúde privado, que é o caso de apenas cerca de um quarto da população. Muitos hospitais privados são gerenciados por organizações de caridade ou não-lucrativas, cenário similar ao brasileiro. A junção dos sistemas de ensino e do sistema de saúde faz com que Israel desempenhe papel importante em pesquisa médica, de biotecnologia, farmacologia e também pesquisas com células tronco.

Aqui as visões começam a migrar. Quando se pensa em pesquisas com células tronco, muitos pensam na relação do tema com o aborto de gestação, que é legalizado em Israel desde 1978. O procedimento de aborto de gestação é inclusive coberto pela saúde pública. Cerca de trinta mil abortos de gestação são realizados todo ano. Israel também é polo de pesquisa de usos medicinais da maconha, com a cannabis medicinal legalizada desde a década de 1990. Dois aspectos da sociedade secular israelense que podem chocar muitos desse lado do Atlântico. Se quisermos ir além, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é reconhecido e as leis sobre armamento civil são rígidas.

O ministro ultraortodoxo

Convivendo com essa sociedade israelense secular, com um Estado social e leis consideradas progressistas por muitos, está uma sociedade israelense extremamente religiosa e reclusa. Entre 20 e 30% da população de Israel se identifica como muito religiosa, sendo que 12% da população se identificam como ultraortodoxos, ou haredi. Nas últimas décadas, esses grupos têm se tornado politicamente ativos, com os partidos ortodoxos compondo a base da governo de Netanyahu, como exposto diversas vezes aqui nesse espaço. Um desses partidos ortodoxos é o Judaísmo Unido da Torá, cujo líder é Yaakov Litzman, de orientação hassídica.

O nome talvez seja familiar pois Litzman é o atual Ministro da Saúde de Israel, cargo que ocupou entre 2009 e 2013 e desde 2015. O interesse dos ortodoxos no ministério está ligado à saúde reprodutiva e direitos LGBT, questões de ordem moral e religiosa, sem relação com a gestão de saúde pública. E sua maneira de lidar com a pandemia gerou uma queda de braço com os seculares e gestores hospitalares. No dia 29 de março, dezenas desses escreveram uma carta para os dois principais líderes partidários do parlamento, Netanyahu e Benny Gantz, pedindo para o ministro ser substituído por um profissional. Como já citado, foi o Ministério da Defesa que capitaneou os preparativos de saúde.

Litzman foi no sentido contrário, inclusive. No dia 19 de março, em uma entrevista, disse que "Estou certo de que o Messias virá até a Páscoa e nos salvará da mesma maneira que Deus nos salvou durante o êxodo e fomos libertados. O messias virá e salvará todos nós". Ele disse isso em resposta a uma pergunta sobre um confinamento de Páscoa, rejeitando a medida; detalhe é que a medida foi adotada. No dia 2 de abril, Litzman e sua esposa foram diagnosticados com o novo coronavírus e ele foi conduzido ao isolamento. Três dias depois, ele violou o isolamento, sendo visto em uma sinagoga. E esse comportamento não é isolado. Na verdade, é comum e acaba fortalecido quando um ministro age assim.

Quando comenta-se que os casos em Israel estão em ascensão, é importante colocar um aspecto em contexto. O país tem, hoje, dez mil casos confirmados. Desses, 60% são da comunidade ultraortodoxa, sendo que eles são apenas 12% da população. Dos 1.442 casos em Jerusalém, 1.068 são ultraortodoxos, 74%. Isso é resultado não somente do comportamento negligente do ministro, mas também de outros fatores culturais. Menos velocidade de informação, já que muitos não usam a internet; famílias grandes, vivendo em espaços reduzidos; o descumprimento de medidas de distanciamento e o contínuo funcionamento de escolas religiosas e de sinagogas, dentre outros.

No dia 3 de abril foi determinado o fechamento da cidade de Bnei Brak, subúrbio na cercania de Tel-Aviv, uma cidade com 90% da população ultraortodoxa. Em uma nota pessoal, um local onde um estrangeiro passear na calçada desperta eventuais olhares de curiosidade, ainda mais de bermuda. Dos cerca de 200 mil habitantes, em uma das cidades mais densamente populosas do mundo, até 38% podem estar infectados sem terem sido testados. Apenas funcionários de serviços essenciais podem entrar e sair da cidade, e com autorização do governo. Uma medida drástica, mas, segundo o governo, necessária, para evitar que a Páscoa acabe servindo para o espalhar do vírus.

Rua da cidade de Bnei Brak, Israel, durante a pandemia do novo coronavírus, 3 de abril de 2020. Grande parte da população da cidade israelense contraiu covid-19
Rua da cidade de Bnei Brak, Israel, durante a pandemia do novo coronavírus, 3 de abril de 2020. Grande parte da população da cidade israelense contraiu covid-19| JACK GUEZ / AFP

No dia 5 de abril, o presidente Reuven Rivlin precisou pedir paz e fraternidade aos seus cidadãos, já que os seculares acusam os ultraortodoxos de não seguirem as orientações de saúde pública e causarem prejuízos ao sistema de saúde. É a segunda vez em pouco tempo que a população ultraortodoxa torna-se o centro das atenções em Israel. Primeiro, o debate sobre o serviço militar ortodoxo, no centro de três eleições em um ano. Um lembrete de que Israel não é uma coisa monolítica ou profética, mas uma sociedade complexa com   diversas faces, desde os comunistas seculares dos primeiros kibutz até os haredim que vivem em Jerusalém por séculos.

24 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 24 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • E

    Eduardo

    ± 62 dias

    Filipe, tenho minhas dúvidas se as informações que você trouxe sobre Israel condizem com os fatos e iniciativas que estão ocorrendo nesse País. Em 25 de março, o Ministro da Defesa de Israel veio a público defender o confinamento vertical. Os leitores podem confirmar isso no link https://www.youtube.com/watch?v=u9XE3UL-hMc . Então, as informações desse artigo parecem contradizer o que um dos mais importantes membros do Governo Israelense afirmou recentemente. E não era o Ministro da Saúde. Então, seria importante que a Embaixada de Israel referendasse, ou não, suas informações, Filipe, para não induzir os leitores a erro. Tudo o que não precisamos neste momento são textos com desinformação.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Plínio

    ± 63 dias

    Se o colunista fosse um judeu ortodoxo diria que é preferível morrer à abandonar sua fé. Não devemos julgar este povo pelos nossos parâmetros, mas pelos deles.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Lucas Antony

    ± 69 dias

    Parabéns pelo texto, você é um dos melhores colunistas da GdP

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Gustavo Augusto Druziki

    ± 70 dias

    A lei de armas em Israel não é restritiva como refere. Desde 2018 todos os cidadãos que passaram pelo treinamento militar obrigatório podem requerer uma licensa para comprar, e tem relativa facilidade em licensa para portar. Colunista também não sabe muito sobre o Mossad :-)

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bernardo

    ± 70 dias

    .ytuytuty

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    salcutrim

    ± 70 dias

    Israel é o maximo. Sou fan

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    D. L. Paiva

    ± 71 dias

    Para quem venceu a Guerra dos Seis Dias, esse vírus é fichinha...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcelo Henrique

    ± 71 dias

    Deixar a população exposta fará a imunização mais rápido. Pensem o que quiser. Eu vivi o front do H1N1 como médico de pronto socorro e médico de família. Eu vi infectologistas pedirem isolamento social naquela época e fui contra. Assim como fui contra agora e protestei. Osmar Terra tem total razão. Era pra ser só quarentena como na pandemia de H1N1(só que melhorado). Agora o país foi destruído para a comemoração política dos irresponsáveis opositores do governo. Lula tbm minimizou o H1N1.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • E

      Eduardo

      ± 62 dias

      E o mundo pode estar errado mesmo, Rubens. Os países europeus fizeram lockdown radical. A Itália começou em 9 de março. O virus incuba entre 1 e 14 dias, antes de os sintomas se manifestarem. Assim, na melhor das hipóteses, a itália deveria ter tido o pico, no máximo, 14 dias depois do início do lockdown. ou seja, 23 de março. Só que os eurpoeus entraram abril adentro com crescimento exponencial da covid. A explicação única que se impõe para isso é aquela que o Osmar Terra deu: os casos do final de março e início de abril foram todos produzidos dentro de casa, em que pessoas doentes contaminaram seus familiares. Os europeus se comportaram como gado tocado para o matadouro sem dar um mugido.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      Rubens Farias

      ± 71 dias

      Então o mundo inteiro está errado, pois o isolamento está acontecendo em todos os lugares sejam capitalistas ou comunistas. Acho que prefiro acreditar no resto do mundo.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bernardo

    ± 71 dias

    O texto afirma que 100 mil testes seriam suficientes para testar 10% da população de Israel. Porém, Israel tem cerca de 9 milhões de habitantes e portanto 10% equivale a mais ou menos 900 mil pessoas. O jornalista precisa melhorar na matemática antes de criticar Israel.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    3 Respostas
    • B

      Bernardo

      ± 70 dias

      Roberto Gois: você está certo. Falha minha

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      Roberto Gois

      ± 71 dias

      Roberto Gois: acho que você não leu direito.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      Roberto Gois

      ± 71 dias

      "providenciou cem mil testes rápidos em algumas horas e mais de um milhão em alguns dias, equivalente para testar mais de 10% de toda a população do país" Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/filipe-figueiredo/negligencia-novo-coronavirus-diversas-faces-israel/ Copyright © 2020, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    APARECIDO SOARES ANDRADE

    ± 71 dias

    E como que está o coronavírus nos territórios Palestinos?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • R

      Rubens Farias

      ± 71 dias

      Honre o pseudônimo leia mais, onde que palestinos são de esquerda?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • M

      Maquiavel

      ± 71 dias

      Se o jornalista for esquerdista, dirá que está tudo sob controle!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • I

    Irineu Berestinas

    ± 71 dias

    Meu Caro Filipi, a charada a ser decifrada no seu artigo (um texto revelador de capacidade cultural, indiscutvelmente), registre-se, está nos judeus ultraortodoxos e o desafio que empreendem ao confinamento, e as consequências, é claro...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    EDUARDO SABEDOTTI BREDA

    ± 71 dias

    Belo texto, esclarecedor. Excelente leitura para um feriado em isolamento.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Júlio Lins

    ± 71 dias

    Excelente texto! Deu para aprender um pouco.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Austríaco-PR

    ± 71 dias

    Artigo interessante. Mas, será que a histeria deveria estar acima de questões religiosas? Não gosto das restrições às liberdades individuais, que foi justificada por esta Gripezona. Temos que aprender com este evento e proibir, no futuro, que os estados sejam capazes de tomar esta decisão.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 71 dias

    Puxa, todos os países estão aumentando o número de casos do vírus chinês, enquanto isso na China ninguém mais morreu! E à imprensa tem coragem de mencionar isso... bando de comunistas! Vão fazer jornalismo na China então,

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 71 dias

    Todos aqueles que abençoarem meu povo, por MIM serão abençoados, todos aqueles que amaldiçoarem meu povo, por MIM serão amaldiçoados!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Leandro

    ± 71 dias

    Israel não está muito preocupado com isso. A história deles sempre foi difícil e sempre eles se destacam, por qual motivo será?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.