i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Francisco Razzo

Foto de perfil de Francisco Razzo
Ver perfil

Uma nova religião política

  • Por Francisco Razzo
  • 13/11/2019 00:01
Mathieu Bock-Côté, apresentando seu livro “Le Nouveau Régime – Essais sur les enjeux démocratiques actuels”, na livraria Quartier, no Quebec.
Mathieu Bock-Côté, apresentando seu livro “Le Nouveau Régime – Essais sur les enjeux démocratiques actuels”, na livraria Quartier, no Quebec.| Foto: Asclepias/Wikimedia Commons

Dois momentos históricos marcam mudanças decisivas no posicionamento da esquerda com relação à sua metodologia revolucionária: Maio de 1968 e a Queda do Muro de Berlim, em 1989. Embora o vocabulário do atual debate público continue viciado — como se a Guerra Fria estivesse, com o perdão do trocadilho, bem quente entre nós —, o fato é que estamos já cansados de saber que a teoria marxista clássica, baseada na luta de classes como motor da história, é incapaz de explicar os atuais conflitos que tecem nossa vida em sociedade. O proletariado — a razão de ser da antiga ideia de revolução — nem sequer existe mais como o sujeito da emancipação. Vale uma provocação leninista: O que fazer?

Para a esquerda, um espectro ronda não só a Europa: o espectro do conservadorismo. Como explicar sua ascensão? Se trata de uma “patologia” no seio da democracia? Por que muitos intelectuais têm se preocupado tanto com a estabilidade da democracia? Há, de fato, uma nova tentação totalitária? Por que tantas fobias: xenofobia, homofobia, transfobia, islamofobia, eurofobia...? Enfim, que tipo de esperança ainda nos resta — se é que cabe à política oferecer esperanças? Por favor, não pense o leitor que eu responderei essas perguntas aqui. Na verdade, gostaria de relembrar um importante momento da longa novela chamada modernidade, com seus ardentes defensores e críticos: as esperanças utópicas.

Em vez de pensar suas bases políticas à luz da economia, a esquerda passou a obedecer à gramática das políticas identitárias

Se contra os socialistas utópicos Marx havia se esforçado para dar arcabouçado científico ao comunismo, os marxismos passaram quase que o século 20 inteiro se alimentando de desastrosas esperanças utópicas. O futuro não trouxe a terra prometida. Não, não deturparam Marx. Foi apenas uma questão de tempo para que a história demonstrasse que o marxismo não tinha fôlego para explicar a própria história. Os intelectuais marxistas afirmavam compreender o sentido da história. Garantiam também, sem receios de errar, um reino de paz perpétua entre homens. Ficou na promessa. O final feliz não veio. Não se erradica o mal pela raiz sem erradicar o homem. Foi uma aposta ousada.

A inevitabilidade escatológica do comunismo, uma etapa que seria superada depois de alguns anos de ditadura do proletariado, foi revelada com montanhas de cadáveres por onde passou. O final feliz da história segue sendo um absoluto mistério — e que assim seja!

Hoje, em vez de pensar suas bases políticas à luz da economia, a esquerda passou a obedecer à gramática das políticas identitárias e do multiculturalismo, que consiste no catecismo de uma nova religião política. Pelo menos essa é a tese do livro do Mathieu Bock-Côté, O multiculturalismo como religião política, recém-publicado pela editora É-Realizações.

Uma rápida nota biográfica: Mathieu Bock-Côté é um sociólogo canadense, nascido em 1980 e ligado ao movimento conservador naquele país. Ele é formado em filosofia pela faculdade de Montreal e mestre e doutor em sociologia pela Universidade de Quebec. Foi uma grata surpresa saber que um de seus livros fora publicado aqui no Brasil.

Bock-Côté tem duas qualidades impressionantes: texto erudito e claro. Fora que não cai em polêmicas vazias. Sobretudo porque se trata de um autor muito consistente em suas análises — aceite ou não suas premissas, não se pode negar seu poder de síntese. Ele oferece ao leitor um excelente retrato das transformações ideológicas nas últimas décadas — tanto da esquerda quanto da direita. Matieu Bock-Côtê traz uma série de autores importantes para o debate público, tais como Tocqueville, Raymond Aron, Jacques Ellul, Leszek Kołalowski, François Furet, Marcel Gauchet, Alain Finkielkraut, Christopher Lasch e outros.

Referindo-se à atual esquerda, ele busca as raízes históricas para explicar a mudança desse novo comportamento revolucionário: “não é apenas o valor do exemplo soviético que é questionado, mas também o valor teórico do marxismo tal como predominara na intelligentsia ocidental. Desde a década de 1950, ele já não é considerado muito convincente”. Seu objetivo consiste em mostrar como a crise do marxismo ortodoxo cedeu espaço para a renovação multiculturalista e identitária, já que “o marxismo clássico entra em pane teórica e se torna cada vez menos apto a explicar as mutações do âmbito social”. Ele também explica como a direita tem regido a isso.

Para Matieu Bock-Côtê o utopismo foi reabilitado na agenda progressista a partir da década de 1960, mas em uma esquerda que será “profundamente transformada”. Como “o marxismo funcionava nos moldes de uma autêntica verdade revelada” e “a revolução marxista impele à revolução”, a utopia continuou uma tentação sempre presente na modernidade. Contudo, como experiência utópica, a “singularidade do marxismo foi pretender acoplar-se à racionalidade científica”. Não conseguiu. Foi substituído pelo igualitarismo identitário. Quem realmente coloca a democracia em risco?

Segundo ele, ao descrever o fascínio de Marx para classe intelectual, “o marxismo tinha tudo para agradar os meios intelectuais, aos quais garantia, pelo domínio de algumas equações teóricas e silogismos falsamente complexos, o controle do software necessário ao deciframento do movimento histórico”, mas, conclui, “ao conjugar o cientificismo e o profetismo”, o marxismo “permitia assim que a intelligentsia se arvorasse em classe anunciadora do futuro radioso, em classe mediadora da história em seu devir”. Mas alguma coisa mudou. O que não mudou foi o fato de que os progressistas não conseguem esconder o seu delírio de grandeza. Querem implodir a velha sociedade para criar o novo homem.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • J

    JOSE CARDOSO

    ± 114 dias

    Não consigo associar Democracia com Capitalismo. Vejam o caso da China. Uma potência Capitalista com regime Comunista. Liberdade e capital são distintos. Porquê nos confundem com essa associação.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    José Buffo Filho

    ± 114 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    5 Respostas
    • R

      Rômulo Viel

      ± 114 dias

      Deve ser por que o texto aborda esse tema, oras...

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      ale

      ± 114 dias

      Nilson Macan: No brasil nunca teve algo sequer parecido com comunismo e o numero de adeptos do PCB é desprezivel. Quem não sabe disso é ignorante ou está mal intencionado.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • V

      Vitor Chvidchenko

      ± 114 dias

      Ô esquerdão patético, vai negar que os resultados do marxismo foram desastrosos no mundo todo? Vai negar que os países mais ricos e desenvolvidos do mundo são os mais capitalistas? Ignorância e fanatismo é triste, mesmo.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • J

      josé roberto knauber

      ± 114 dias

      Mais um religioso!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • N

      Nilson Macan

      ± 114 dias

      estude a revolução russa, que vai te esclarecer. se não gostar de ler, há uma série, na Netflix - TROTSKI, que vai te dar algumas idéias sobre a implantação do comunismo na rússia.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Claudio L.

    ± 115 dias

    O Marxismo é um lixo. Uma teoria que não considere explicitamente o custo com a depreciação de ativos, (custo este que Marx convenientemente não repassou ao proletariado) é uma teoria falimentar. Qualquer estagiário do terceiro ano de economia sabe disso. Quanto maior a empresa, maior esse custo. Imagina esse custo no balanço de um país. Enterrem Marx para sempre. Só produziu falência e milhões de cadáveres.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • V

      Vitor Chvidchenko

      ± 114 dias

      Isso sem falar no conceito da mais-valia, furadíssimo. Ele parte do princípio que o valor de um produto está ligado ao tempo e esforço necessário para o operário fabricá-lo - e não a percebção subjetiva de valor que o consumidor possui daquele produto, que é o correto. Enfim, Marx é um desastre em Economia.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Roberto

    ± 115 dias

    Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    5 Respostas
    • V

      Vitor Chvidchenko

      ± 114 dias

      Você não entendeu nada do texto. O autor está justamente CRITICANDO essa turma progressista e sua inconsistência. Pelo amor de Deus, você não consegue entender o que lê, não? Que brabeira.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • J

      josé roberto knauber

      ± 114 dias

      Seu deus Karl Marx e seu profeta Lenin te reservam 100 virgens na eternidade se morreres nessa tua ignorância!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      Roberto

      ± 114 dias

      Esse comentário foi removido por não estar de acordo com os Termos de Uso.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • @

      @ruygiraldes

      ± 114 dias

      Na verdade, esse leitor só estava querendo soltar seu grito reprimido, porque ler a matéria ele não leu!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • B

      Bruno Carneiro

      ± 115 dias

      Meu Deus cara...vc é obtuso, pra dizer o minimo...leia de novo o texto, ate entender.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]