i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Ir e Vir de Bike

Ver perfil

Ecovia retira placa e deixa ciclistas “invisíveis” na rodovia

  • PorAlexandre Costa Nascimento
  • 18/02/2014 17:07
Alerta para os motoristas é retirado pela Ecovia: ciclistas ainda mais "invisíveis".
Alerta para os motoristas é retirado pela Ecovia: ciclistas ainda mais "invisíveis". | Foto:
Alerta para os motoristas é retirado pela Ecovia: ciclistas ainda mais

Alerta para os motoristas é retirado pela Ecovia: ciclistas ainda mais “invisíveis”.

Na contramão do que manda o bom senso, a Ecovia, concessionária que administra a BR-277, mandou retirar a sinalização que alertava os motoristas sobre a presença de ciclistas na rodovia que liga Curitiba ao Litoral. As placas haviam sido instaladas há cerca de um mês pela Secretaria de Trânsito de Curitiba (Setran), no trecho urbano da via, para indicar o tráfego constante de usuários de bicicletas. A iniciativa ocorreu após a morte de dois ciclistas em menos de uma semana no trecho administrado pela concessionária.

Segundo fontes da Setran, a Ecovia teria resistido desde o início à iniciativa, chegando, inclusive, a ameaçar ingressar com ações jurídicas contra a Prefeitura pela instalação da sinalização. Mas, ao invés disso, a concessionária preferiu tomar um atalho e simplesmente mobilizou uma equipe de funcionários que retiraram a sinalização do local. A operação foi realizada no último fim de semana, coincidentemente, no mesmo período em que a capital paranaense sediava a 3.ª edição do Fórum Mundial da Bicicleta, que reuniu especialistas em mobilidade do mundo todo para discutir formas de tornar ruas e estradas mais seguras para quem pedala.

Contrainformação: post da Ecovia confunde e dá a entender que uso do acostamento por ciclistas não é permitido, enquanto a Legislação assegura este direito.

Contrainformação: post da Ecovia confunde e dá a entender que uso do acostamento por ciclistas não é permitido, enquanto a Legislação assegura este direito.

No mesmo dia em que retirou as placas, a concessionária postou em seu perfil nas redes sociais uma mensagem incentivando o uso das bicicletas. Mas, ignorando a legislação, deu a entender que não é permitido o uso do acostamento das vias por ciclistas. O post desinforma e confunde, ao mesmo tempo em que atropela o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que em seu Art. 244 §1º e Incisos subsequentes, permite o deslocamento de ciclos em vias de trânsito rápido ou rodovias onde há acostamento ou faixas de rolamento próprias, como é o caso da BR-277.

Campanha da Ecovia: respeite os mananciais e ignore os ciclistas.

Campanha da Ecovia: respeite os mananciais e ignore os ciclistas.

A resistência da Ecovia à bicicleta é histórica. Apesar do intenso fluxo de ciclistas na rodovia — tanto de atletas profissionais e amadores quanto de trabalhadores –, a concessionária prefere instalar placas incentivando a preservação dos guaxinins, deixando a vida humana em segundo plano.

Em março de 2012, após o acidente que vitimou o ciclista Demétrius Kirach, a concessionária chegou a divulgar nota alegando que “rodovia não é lugar de ciclistas”.

Posteriormente, o próprio gerente de engenharia e atendimento ao usuário da Ecovia, Davi Terna, admitiu que o posicionamento era equivocado e reconheceu o direito dos ciclistas — atletas, trabalhadores e turistas — trafegarem no acostamento da rodovia. Nada porém foi feito para garantir a segurança desses usuários.

A retirada das placas, qualquer que seja o argumento da concessionária, é apenas mais um capítulo simbólico da má vontade e omissão da empresa, situação essa que fica cada mais evidente diante do esforço em sufocar qualquer iniciativa que garanta a segurança dos ciclistas, ao invés de buscar soluções e promover um ambiente mais seguro para todos.

Outro lado

Através de nota de sua assessoria de imprensa, a Ecovia justifica a retirada da placa alegando que ela fora instalada de forma indevida e não autorizada em trecho sob sua concessão. “Entre as obrigações da concessionária está a de zelar pelos bens que integram a concessão, adotando todas as medidas cabíveis para sanar o seu uso indevido e não autorizado, de acordo com as Cláusula XLIII, 1.  e XXIV, 1., h e 2. – a, f, t – dispostas no Contrato de Concessão nº 076/97. É importante ressaltar que, qualquer que seja a sinalização, esta precisa ser devidamente autorizada pelo órgão competente, no caso o Departamento de Estradas de Rodagem (DER).”, diz a concessionária.

“Esclarecemos ainda,que a implantação da placa estava em desacordo com as regulamentações técnicas, definidas no Manual de Sinalização Rodoviária expedido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit)”, conclui a nota da concessionária.

Conheça os termos de uso do conteúdo do blog Ir e Vir de Bike

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.