i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Leonardo Coutinho

Foto de perfil de Leonardo Coutinho
Ver perfil

Brasil, América Latina, mundo (não necessariamente nesta ordem)

América Latina

O labirinto boliviano tem uma saída

  • Por Leonardo Coutinho
  • 18/09/2020 20:12
O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, que fugiu para a Argentina em 2019.
O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, que fugiu para a Argentina em 2019.| Foto: AFP

A presidente interina da Bolívia desistiu de disputar a eleição presidencial de 18 de outubro. Jeanine Añez divulgou um video no qual justifica sua decisão. Deixava de lado a candidatura para cuidar da democracia. Foi exatamente o que ela disse. A então senadora, que assumiu a presidência depois que Evo Morales fugiu do país e da crise institucional que ele e seu partido criaram depois da descoberta de fraudes na eleição de 2019, havia recebido exatamente o papel de guardiã da combalida democracia boliviana. O mundo democrático esperava apenas uma coisa de Jeanine: uma transição democrática. Como condutora do processo, Jeanine descartou que se candidataria ao cargo que ocupava interinamente. Uma decisão certeira em um país convulsionado por Morales e sua base cocaleira.

Mas ela mudou de ideia. Lançou-se candidata e passou a ter como seus principais críticos aqueles que deveriam ser seus aliados. Repetindo o manual da oposição venezuelana, que vive aos tapas, os bolivianos partiram para a briga. Luiz Fernando Camacho, o herói dos protestos que agitaram o país, foi carbonizado pelos opositores concorrentes que apenas deixaram o novato falar livremente para revelar suas debilidades.

Carlos Mesa, que sem a fraude da eleição do ano passado teria ido ao segundo turno contra Evo, não abriu mão do que ele considera ser um direito: ser o candidato da oposição. Tudo levava a crer que contra os cocaleiros de Evo Morales a oposição precisaria costurar uma aliança entre a dupla Mesa-Camacho – embora fosse improvável uma chapa que os unisse.

Com Jeanine Añez querendo ficar mais cinco anos no poder, a oposição entrou em guerra. Outro ex-presidente, Jorge Tutu Quiroga, entrou na batalha pela Casa Grande do Povo, a sede do governo boliviano.

Com tanto opositor querendo o poder, coube a Evo Morales ativar a máquina de propaganda dentro e fora da Bolívia para reforçar sua mensagem de vitimismo e apontar um laranja para representá-lo na eleição. Ficou fácil.

Com tanto opositor brigando entre si, Luis Alberto Arce Catacora, que serviu a Morales como ministro, lidera as pesquisas. Jeanine, sem chances de chegar ao segundo turno, amargava a terceira posição, com sete pontos a menos que o segundo colocado, Carlos Mesa. Ficou fácil para ela desistir da campanha.

Em seu vídeo, ela envia a mensagem equivocada de que seu movimento serve para impedir que o MAS, partido de Evo Morales, vença. Uma bobagem que só dá tamanho àquele que enterrou o país na crise institucional, tornou a economia ainda mais dependente da cocaína e fraudou as eleições.

O gesto correto de Jeanine tem outro efeito que, infelizmente, os demais candidatos opositores colocaram em segundo plano. O sistema eleitoral boliviano, assim como o português e o espanhol, organiza-se pelo método desenvolvido no século XIX pelo belga Victor D'Hondt: o partido que recebe mais votos no primeiro turno leva o maior número de cadeiras no Parlamento.

Ainda que o MAS provavelmente não vença as eleições no segundo turno, o fato de toda a oposição ao movimento socialista-cocaleiro estar dividida indica que o partido de Evo Morales provavelmente terá a maioria dos deputados e senadores. Antes da renúncia de Jeanine, algumas projeções apontavam para até metade das cadeiras nas mãos do grupo comandado por Morales, o que faria da vida do futuro presidente algo verdadeiramente infernal.

Por mais que tenha sido justificada de maneira equivocada e tenha ocorrido tão tardiamente, a inflexão da presidente interina terá um efeito positivo na composição do Parlamento, o que ajudará o novo presidente a sofrer menos pressão dos parlamentares fiéis a Morales.

A saída do labirinto boliviano pode ser uma união da oposição iniciada por Jeanine. Resta apenas um mês para uma reengenharia das forças. Com base nas pesquisas, Mesa sabe que ele é o único com chances. Tuto e Camacho terão que se enquadrar. Mas depois de tanto escracho em praça pública, vai ser curioso ver como eles vão curar as suas feridas e como vão montar (ou não) uma colisão para chegar ao governo com a melhor configuração possível.

Derrotado, Evo Morales seguirá tentando tocar fogo na Bolívia. Sabe que quanto pior por lá, melhor para ele. A crise econômica boliviana tem contornos assombrosos, e a Covid-19 não dá sinais de arrefecimento. De sua toca na Argentina, onde se escondeu para não responder por crimes que vão de estupro a terrorismo, Morales sabe que o próximo presidente terá muitas chances de fracassar. E ele fará tudo para seja assim.

Com a Bolívia em frangalhos, Evo Morales e seu bando vão reaparecer como solução. Uma receita clássica latino-americana.

6 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 6 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • A

    Alexander

    ± 0 minutos

    Tudo isso é o atraso de uma América Latina. Viva a Europa; viva os EUA!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Edney

    ± 3 dias

    A AL, no seu eterno flerte pelo socialismo, fatalmente será tragada pelo Fórum de São Paulo quando a venezualização continental enfim se consolidará. Essa e a próxima geração estarão condenadas antes da redenção que só virá depois de 50 anos de fome, medo e opressão. É o que merecemos e é o que teremos e seremos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Márcio de Abreu campana

    ± 4 dias

    Que os vermelhos não voltem ao poder nunca mais !!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz Ernesto Bulau Dable

    ± 4 dias

    Excelente artigo Conheço a Bolivia É isso mesmo que está acontecendo

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 4 dias

    É, prezado, a Argentina que o diga, né não?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Carmo Augusto Vicentini

    ± 4 dias

    Triste América Latina. Viraremos presas fáceis para os comunistas chineses.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.