i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Leonardo Coutinho

Foto de perfil de Leonardo Coutinho
Ver perfil

Brasil, América Latina, mundo (não necessariamente nesta ordem)

Pobre Amazônia

  • Por Leonardo Coutinho
  • 26/06/2020 21:20
Foto aérea de região de mineração ilegal no estado de Roraima, 12 de maio de 2020
Foto aérea de região de mineração ilegal no estado de Roraima, 12 de maio de 2020| Foto: Chico BATATA / GREENPEACE / AFP

É verão na Amazônia! Ou o início da estação seca, para ficar bem claro para os incautos que pensam que a região vive uma monotonia climática. O oposto é o “inverno amazônico”. A estação que é demarcada por chuvas torrenciais.

O verão amazônico oferece as condições para a temporada das queimadas e derrubadas. Com os números de focos de incêndio e as clareiras vistas desde o espaço também começa a comoção pela destruição da maior floresta tropical do planeta.

É algo que realmente faz todo sentido. Por que continuar desmatando a Amazônia? Ano após ano, justamente nessa mesma época, o mundo volta a prestar atenção na floresta. Pena que, no geral, a reação se foca nos sintomas e não nos problemas.

Um grupo de congressistas americanos já reagiu prevendo a catástrofe. No início de junho enviaram uma carta para seus pares brasileiros pedindo providências para evitar o aumento do desmatamento. Em seguida, um grupo de 29 instituições financeiras firmou um documento entregue ao governo brasileiro sinalizando a intenção de retirar seus investimentos do país caso o Brasil não mude suas políticas em relação a Amazônia.

A tática do boicote segue o rastro das queimadas, mas funciona?

De longe. Bem de longe da floresta, os seus defensores acreditam no conto que diz que a Amazônia é um paraíso que oferece as mais perfeitas condições para quem nela vive nela extrair da natureza sua subsistência. O chamado extrativismo.

Desde Chico Mendes, governos são influenciados por ongueiros e seus financiadores a acreditar que a base do desenvolvimento sustentável é o extrativismo. Já se passaram três décadas do assassinato do líder seringueiro e o movimento ambientalista ainda mantém o discurso quase inalterado.

Apesar dos bilhões de dólares despejados na região, em nome do desenvolvimento sustentável, a área desmatada na Amazônia dobrou no mesmo período. Ou seja, mesmo com 30 anos de intensas campanhas de preservação, a floresta perdeu a mesma quantidade de árvores que nos 500 anos anteriores, quando ninguém prestava a menor atenção para floresta.

Isso quer dizer que o ambientalismo foi 100% ineficiente? Claro que não. Se nada tivesse sido feito, o estrago teria sido muito maior. Mas achar que a estratégia está correta pode desperdiçar chances que garantam o futuro da floresta e de seus milhões de habitantes.

Da mesma forma que a Amazônia não foi protegida, os amazônidas não alcançaram o almejado desenvolvimento. Basta um passeio pelos principais bairros de Belém ou Manaus, por exemplo, para constatar a precariedade das redes de coleta de esgoto. Uma "imersão" nas áreas periféricas das duas maiores capitais da região revela o grau de pobreza e falta da infraestrutura. Pelo interior, o quadro é ainda mais tenebroso.

No ranking do saneamento, as capitais amazônicas ocupam posições retardatárias quando comparadas com as demais de fora da região. Manaus coleta apenas 12% do esgoto produzido por seus 2,1 milhões de habitantes. Taxa semelhante à de Belém (13%) que tem uma população de 1,5 milhão de pessoas. Nas últimas posições estão Macapá, com 10%, e Porto Velho, com 5% de coleta.

Quando o assunto é Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), fica evidente o preço que a população local paga pelo subdesenvolvimento que é imposto em nome de uma suposta preservação ambiental. Dos dez municípios brasileiros com pior IDH do Brasil, oito estão no bioma amazônico e os outros dois dentro da chamada Amazônia Legal.

Quando é que o mundo vai se incomodar com a precariedade da vida na Amazônia?

A tragédia do coronavírus na região deveria ter servido para demonstrar exatamente isso. O dado mais recente indica que a taxa de mortalidade pela Covid-19 por grupo de 100.000 habitantes na região norte é onze vezes maior que a medida na região Sul, 50% maior que a do Nordeste e quase o dobro da taxa nacional.

O subdesenvolvimento amazônico ampliou o poder do coronavírus.

Propor boicotes para os produtos amazônicos ou brasileiros é o mesmo que virar as costas para região e para as pessoas que nela vivem. A criminalização das atividades econômicas legais, colocando-as no mesmo escaninho daquelas feitas fora da lei, tem um efeito paradoxal. Afeta apenas quem atua sob as regras da lei. Bandidos não ligam a mínima para o boicote.

A Amazônia precisa de mais produtores na legalidade. Mais empresas investindo em produtos legais. Quanto mais prêmio for oferecido para quem atua na regra, mas atraente será produzir dentro da lei.

Os congressistas americanos, os investidores europeus e os editores estrangeiros não fazem a menor ideia de que quem cumpre a lei na Amazônia abre mão do uso de pelo menos 80% de sua propriedade. De forma grosseira seria como dizer para uma corretora que ela só pode operar com 80% dos recursos que tem em sua carteira. Ou dizer para o editor do The York Times só poderia imprimir suas notícias em uma fração de 2/10 de cada página. Soaria bizarro.

Mas quem cumpre a lei na Amazônia se submete a isso e não ganha prêmio algum por gerar benefícios globais pela imobilização de se capital. Nem ele. Nem a sociedade amazônica, nem o Brasil são compensados por isso.

Mas na hora que a fumaça sobe no verão, o mundo inteiro quer entregar para os produtores legais, para a sociedade amazônica e para o Brasil a fatura pela "destruição da floresta".

Na década passada, o Brasil colecionou anos seguidos de redução brutal nas taxas de desmatamento. Mostrou para o mundo que era possível produzir com baixo impacto. Mas ao invés do país e os produtores serem premiados, eles receberam uma segunda penalidade. ONGs e governos estrangeiros dobraram a pressão. Alguns propuseram moratórias para produtos brasileiros e outras lançaram uma campanha pelo desmatamento zero.

Imagine o produtor que a vida inteira cumpriu a lei, mantendo muito mais que 80% de área preservada em suas propriedades ficando impedido de ampliar sua área produtiva, prevista na lei mais restritiva da Terra, porque os iluminados de Brasília, Nova York ou Oslo resolveram dobrar a aposta pela "preservação da floresta".

Todo o esforço de trazer novos produtores para um pacto sob um novo modelo de produção ficou sob risco pelo ativismo ambiental sem limites.

Mais devastador que as motosserras é o sectarismo. O verão chegou e com ele virá a gritaria. A Amazônia perderá mais uma oportunidade e tudo voltará ao normal com as próximas chuvas. Pobre Amazônia.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • M

    Momento Fletor

    ± 9 dias

    De nada adianta procurar e/ou nominar culpados; a raiz dos maiores problemas ambientais em todo o mundo é uma só: o excesso populacional. Enquanto não houver controle sobre o crescimento da raça humana, o IDH só tende a cair cada vez mais, em qualquer lugar. Vide a Europa atualmente, com suas levas de migrantes!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mauricio Nadolny

    ± 9 dias

    Certificações de manejo florestal e de cadeia de custódia reconhecidas internacionalmente proporcionam a legalidade nas operações e o tão almejado prêmio: reconhecimento e aceitação no mercado e agregação de valor aos produtos. Uma certificação séria e reconhecida induz a "auto fiscalização" dos empreendimentos. O próprio empreendedor se encarrega de cuidar da legalidade de seu negócio, sob pena de perder a certificação, tonando desnecessária a intrincada, corrupta e desacreditada "legalização" governamental.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mauricio Nadolny

    ± 9 dias

    Excelente artigo Luciano! Em poucas linhas você caracterizou muito bem a questão ambienta e social da região potencialmente mais rica do Brasil. Esse parágrafo é emblemático: "A Amazônia precisa de mais produtores na legalidade. Mais empresas investindo em produtos legais. Quanto mais prêmio for oferecido para quem atua na regra, mas atraente será produzir dentro da lei." E para isso, Luciano, existe uma possibilidade de avanço para solução: Certificação Florestal, tanto em áreas particulares como, principalmente, em áreas públicas através de concessões florestais. (continua)

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    SERGIO AUGUSTO E AMED E SILVA

    ± 9 dias

    Parabéns pelo artigo lúcido e focado. Há que se utilizar o potencial agro-florestal da Amazônia, investindo fortemente em tecnologia, para com a geração de riqueza correspondente tornar lógica a preservação da Floresta. Ricardo Salles é o primeiro Ministro do Meio Ambiente a ousar expor seu pensamento "fora da caixa" e foi massacrado, injustamente, por isso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JULIO CESAR DA SILVA

    ± 9 dias

    O agronegócio brasileiro é precioso, culpar a agricultura e a pecuária pela destruição da Amazônia consiste em uma falácia, pois os Estados de São Paulo, Paraná , santa Catarina,minas geraisv Matogrosso, sai campeões de produção e preservação ambiental, o problema na Amazônia e a corrupção e a exploração predatória e ilegal dos recursos naturais!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    Geraldo F.

    ± 9 dias

    Governos petistas gastaram mais de 1,5bi na construção de um estádio elefante branco e uma ponte que liga nada a lugar nenhum., Poderiam ter gasto isto fazendo saneamento básico., Porém imaginar que petistas pensam no povo humilde é uma utopia pois eles pensam somente no próprio bolso e da companheirada.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Carlos Eduardo Lopes Nunes

    ± 9 dias

    Perfeito!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Alexandre Paranaense

    ± 9 dias

    Infelizmente o Salles e o próprio Bolsonaro estão sendo muito infelizes na condução da Amazonia, inclusive com risco do Tratado Mercosul-Comunidade Européia, depois de 20 anos de tratativas, ser cancelado. Não adianta criar caso, tem que ter diplomacia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcos eisenschlag

    ± 9 dias

    O problema amazônico e' o ouro sem controle que atravessa as fronteiras e vai se depositar ultramar em uma bela mesa de mogno amazônico onde e' admirado por um "iluminado" que escolhe um editor do jornalzinho dos Agnelli para que lhe escreva um editorial sobre a devastação da floresta pela indústria da carne e como deixar a regiao intocada e principalmente sem controles fiscalizatórios e' o melhor para todos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sidnei

    ± 9 dias

    Otima matéria. Deveria ser traduzida para o inglês e difundida na Europa EUA.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 9 dias

    É Coutinho, esqueceste de mencionar o Min. do Meio Ambiente, né? Salles tenta fazer o que vc exatamente defende no seu artigo. A Amazônia só será desenvolvida e preservada quando for usado todo o seu potencial de gerar riqueza para seus habitantes e de modo sustentável. O resto é conversa mole de pseudos ambientalistas que querem o atraso da região e a permanente pobreza de sua população. Eles querem só extrativismo politicamente correto. Enquanto isso, o esgoto corre a céu aberto. Aguá tratada? Tomem as dos rios. É tão bonitinho, né? E a turma dos vermelhinhos não votaram contra o Novo Marco do Saneamento? Como são patriotas, hein?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • O

    odimn pesch badotti

    ± 9 dias

    A legislação ambiental brasileira é uma das maiores causas do problema. Seguramente a mais restritiva do planeta. Basta dar um googlemap nas plopriedades rurais da Europa e EUA. Praticamente ZERO APP (área de preservação permanente) e ZERO (0) de RESERVA LEGAL . IBAMA já emitiu zilhões de multas e continua emitindo neste governo. Operações de fiscalização bilionárias com helicópteros e camionetes ligadas aos satélites. Agora até drone !!! Quantas vezes foram eniados agrônomos, biólogos e engenheiros ? NUNCA!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz Augusto Ribeiro do Valle

    ± 9 dias

    Exelente artigo.Enfim alguem lúcido. Poderia ainda citar a violência, com indices estarrecedores em mortes por 100.000 habitantes, uma verdadeira banalização da vida. A Amazônia e o país pagam um preço autíssimo pela tese, não comprovada, do aquecimento global. A região possui areas de terras férteis e clima adequado para produção agropecuária, que devidamente aproveitadas,trariam progresso para sua população.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulista

    ± 9 dias

    Artigo 100% realista, espero que os inocentes úteis e os mal intencionados acordem para a realidade e se juntem a todos em um projeto de desenvolvimento para a região e o povo da Amazônia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    DENISSON HONORIO DA SILVA

    ± 9 dias

    Luciano, foste condencente com as criticas destes ambientalistas. Diria que o país é soberano e que deve explorar como quiser aquela região. Aonde foi parar o tal dinheiro do fundo amazonico? Para deixá-la intoncada precisa de muito mais. E onde for possivel explora-la, devemos fazê-lo. Vão deixar de comprar nossa soja?carne?milho?O mundo está preparado para isso? Sejamos sinceros, é uma falácia. Pergunte para os chineses se eles vão entrar nessa onda ambientalista. A agricultura americana e europeia podem competir com o Brasil?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.