i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Lúcio Vaz

Foto de perfil de Lúcio Vaz
Ver perfil

O blog que fiscaliza o gasto público e vigia o poder em Brasília

Bolsonaro patrocina ofensiva para destravar projeto de mineração em terra indígena

  • Por Lúcio Vaz
  • 27/05/2019 20:12
Presidente Jair Bolsonaro durante transmissão de live direitos dos povos indígenas para redes sociais. Foto: Carolina Antunes/PR
Representantes de povos indígenas são recebidos por Bolsonaro no Palácio do Planalto.| Foto: Carolina Antunes/PR

Defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, a regulamentação da mineração em terras indígenas está prestes a ser destravada no Congresso. O deputado federal General Peternelli (PSL-RS) apresentou em abril último um requerimento pedindo a formação de comissão especial para dar parecer a um projeto de lei – já aprovado pelo Senado – que dispõe sobre a exploração de recursos minerais no subsolo e rios de áreas indígenas.

Entre idas e vindas, a proposta está estacionada na Câmara dos Deputados há mais de 20 anos e, por razões óbvias, tem potencial para mexer com fauna e flora preservadas em regiões remotas do país, sobretudo na Amazônia.

Integrante do partido do presidente, Peternelli defende o projeto. “Temos que permitir a mineração em terra indígena. O país tem dificuldades econômicas, e nós temos uma reserva mineral extraordinária. Por que não utilizar essas reservas, quer estejam em terras indígenas, quer não estejam, em proveito da população brasileira?”

O discurso segue a linha de Bolsonaro, que está disposto a encampar a proposta. Ele afirmou em 17 de abril: “em Roraima, tem trilhões de reais embaixo da terra. E o índio tem o direito de explorar isso, de forma racional, obviamente. O índio não pode continuar sendo pobre em cima de terra rica”. Um mês antes, no Canadá, o ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou que o governo examina a possibilidade de estender o acesso de mineradoras a áreas hoje restritas, citando áreas indígenas e de fronteira. Isso após consulta às populações indígenas e ao Congresso.

As áreas já reservadas por mineradoras nacionais e internacionais para pesquisa e lavra em terras indígenas somam 370 mil quilômetros quadrados – o equivalente ao território do Mato Grosso do Sul. A área reservada representa um terço do total das terras indígenas do país. A empresa com maior área reservada para pesquisa, a Mineração Silvana, conta com 65 mil quilômetros quadrados – quase a totalidade para ouro. São 734 áreas distribuídas em seis estados no Norte e no Centro-Oeste. Em segundo lugar está a Vale S/A, com 21 mil quilômetros quadrados, sendo 18 mil para ouro.

Quem autoriza a mineração?

O projeto de lei 1.610/1996 estabelece que a autorização para a mineração em terras indígenas deve partir do Congresso. A medida agrada às mineradoras, mas provoca polêmica. General Peternelli discorda: “Primeiro, nós temos que permitir que ocorra essa mineração em terra indígena. A partir daí, vai seguir a legislação brasileira, vai ter que tirar a licença ambiental, ajustar com os demais órgãos. E não vejo necessidade de que, para cada coisa, peça uma autorização ao Congresso. Imagina que, para cada local que vai ser explorado, o Congresso precisará dar um parecer. As autoridades competentes para isso podem dar esse parecer”.

O Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo vinculado à Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é contrário à mineração em terras indígenas, como afirma o secretário-executivo da entidade, Cleber Buzatto. “Nós entendemos que a mineração tem efeitos danosos ao meio ambiente e aos próprios povos indígenas, seja no aspecto social ou cultural. O que estamos vendo em Minas Gerais [risco de novos rompimentos de barragem, como ocorreu em Brumadinho] é um retrato do que poderá acontecer em relação aos povos indígenas. O ideal é não haver mineração em terras indígenas”.

Buzatto reconhece que é competência do Congresso Nacional, prevista na Constituição federal, autorizar a mineração em terras indígenas. Mas destaca que o projeto de lei “não pode se sobrepor a outras legislações vigentes no país, a exemplo da Convenção 169 da OIT, que foi ratificada no Brasil e tem valor supralegal, equiparada a uma emenda constitucional. Nós defendemos que é um direito dos povos decidirem se querem ou não projetos de mineração em seus territórios. A Convenção 169 provê o consentimento livre, prévio e informado a cerca de projetos de desenvolvimento dos povos indígenas”. O CIMI defende que a regulamentação da mineração em terras indígenas ocorra como parte do PL 2057/2001, que trata do novo Estatuto dos Povos Indígenas.

Em entrevista ao blog, em maio de 2017, o diretor de Assuntos Minerários do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Marcelo Tunes, manifestou a posição das mineradoras sobre a possibilidade de a comunidade indígena vetar o acordo de exploração do seu subsolo, mesmo com a aprovação do Congresso. “Em se tratando de um bem da União, a decisão sobre a exploração de uma determinada área cabe à União. Eu considero muito adequado que seja pelo Congresso Nacional. E acredito que não seria o caso de ter um veto por parte dos povos indígenas”. Procurado pelo blog, o Ibram não quis se pronunciar sobre o tema após o início do governo Bolsonaro.

Deputado General Peternelli defende projeto. Assista:

Agronegócio e pecuária em terras indígenas

A expansão de projetos do agronegócio e pecuária extensiva em terras indígenas é outra polêmica que chegou com o governo Bolsonaro. O deputado Peternelli defende esse modelo: “Hoje já temos vários indígenas que produzem em suas terras uma agricultura muito saudável, uma pecuária espetacular. Temos os Parecis, em Mato Grosso, que vão produzir mais de R$ 150 milhões em soja. Temos em Rondônia uma produção de café muito positiva. Lá tem também uma pecuária com um volume superior a 50 mil cabeças de gado. Isso é muito válido. Eu vejo que as autoridades devem contribuir para esse aspecto, dando autonomia a eles”.

O secretário-executivo do CIMI critica esse modelo de negócios em terras indígenas. “A produção indígena é extremamente diversa, rica, e é essa diversidade que o governo deveria incentivar, e não tentar usar os instrumentos de Estado para forçar os povos a assimilar um único modelo de produção que atende aos interesses de grandes corporações multinacionais, que aproveitam esse modelo para comercializar os seus pacotes de tecnologia, muitas vezes voltadas para a destruição ambiental, o uso intensivo de agrotóxicos. Esse pacote de destruição não é a melhor alternativa para os povos indígenas”.

Mineradoras usam subsidiárias no Brasil

Reportagem publicada no blog em maio de 2017 mostrou que mineradoras brasileiras subsidiárias de empresas estrangeiras contam com extensas áreas para pesquisa mineral em terras indígenas ou no seu entorno. Muitas dessas multinacionais não apareciam nos registros do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) sobre as atividades minerais nas terras dos índios. Mineradoras nacionais também usavam empresas associadas para ampliar em milhões de hectares a sua área de atuação.

A Anglo American Níquel Brasil, por exemplo, requisitou mil quilômetros quadrados para pesquisa de níquel no Pará em 1995. Um volume pequeno considerando o porte da empresa, com ativo de R$ 8 bilhões em 2016. Ela é controlada pela Ambras Holding SARL, de Luxemburgo, e pela Anglo American International Holdings Limited, da Inglaterra.

Mas a Anglo American Níquel tem duas subsidiárias, a Mineração Itamaracá e a Mineração Tanagra. Juntas, as duas fizeram requerimentos para pesquisa de ouro numa área total de 23 mil quilômetros quadrados – um pouco mais do que o território de Sergipe – no Pará, Rondônia, Roraima e Amapá. Questionada pela reportagem sobre as atividades das suas subsidiárias, a Anglo American respondeu que as empresas Tanagra e Itamaracá concentram suas atividades exclusivamente na pesquisa mineral. Sobre os requerimentos apresentados diretamente, informou que desistiu de oito projetos. Outros dois foram cancelados.

20 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 20 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • D

    Decio mango

    ± 7 horas

    Esta comunistada do atraso acha que indio deve viver em um zoologico....vao se tratar

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 7 horas

      O certo mesmo é entregar tudo para o da foto que você carrega ai

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Ricardo Fanti

    ± 9 horas

    Ah, os indígenas. Não são tão inocentes, mas oportunistas como todo ser humano. Ganham salário para frequentar universidades; não fazem questão de se formar; quando chega o fim do curso, fazem outro vestibular para continuar ganhando salário do governo. E o pt queria fazer valer o voto do índio por dois; por que será? Tudo, inclusive esse projeto, tem que ser olhado sem romantismo, mas tecnicamente. E, definitivamente, ninguém tem dívida histórica com ninguém. Tudo é Brasil e a sociedade precisa progredir, dentro da lei e do que for lógico preservar desde que com bons argumentos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    FERNANDO LUIZ POZZOBON

    ± 10 horas

    Olha, índio como sempre conhecemos é coisa do passado. Por que não integrar o índio a sociedade transformando-os em cidadãos comuns, claro obtendo as vantagens da terra rica.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paul Gachet

    ± 12 horas

    Qual é a necessidade de usar um título de matéria tão apelativo? Os progressistas, que nunca pisaram numa floresta tropical, teriam chilique ao se deparar com uma formiga cabo verde e desabariam ao dar de cara com uma barata da Amazônia, querem manter o índio como objeto do seu fetiche, insistindo em dividir a população brasileira.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Renata

    ± 12 horas

    Mais um tema polêmico fora de hora. Ele deveria se focar em reformas. Gasta energia com coisas que não deveria se preocupar agora. É como a fixação por nióbio, sendo que o mercado já está atendido com i volume oferecido.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • A

      ALEXANDRE JOSE D. GONCALVES

      ± 7 horas

      O pensamento e as atitudes de um presidente não devem ser unidimensionais. Será que não dá para andar e mascar chicletes ao mesmo tempo? Que amplie-se o leque de boas atitudes para ajudar o Brasil a crescer.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 12 horas

    Tirem todas as "modernidades" desses índios. Os que ainda ficarem nas condições de índio recebem o devido tratamento legal. Os demais, com TV, celular, veículos, geladeiras, etc. e tal, devem receber um pé na bunddda.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • S

      Sartan

      ± 6 horas

      Mas o homem branco vir aqui e ocupar tudo pode? E o coitado do índio não pode ter nem uma TV? Na minha opinião o índio estava aqui primeiro então eles tem algum direito inclusive um pouco de modernidade.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    AMAURI

    ± 13 horas

    Bozo sempre com ideias contra o meio ambiente. Por causa dessa ganância sem fim, estamos sendo cada vez mais punidos pela NATUREZA, que infelizmente não perdoa ninguém.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulo Afonso Pasquotto de Lima

    ± 13 horas

    Índio quer apito, celular e Hilux. Parem de tratá-los como animais e deixem que virem cidadãos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    4 Respostas
    • H

      Helena Maria de Souza

      ± 0 minutos

      Desde que o mundo e mundo que quem nao consegue defender sua terra, mulheres e criancas vira escravo. pode parecer insensibilidade mas os indigenas que aqui viviam perderam. O Brasil nao existia antes dos europeus chegarem aqui. O Brasil e uma invencao portuguesa e este tdrritorio pertence aos brasileiros. Se os indios nao querem ser brasileirod, tudo bem.Que sejam mantidos em reservas. Antropologos e missionarios vao viver de que sem eles? Alguem acredita mesmo que as ONGs estrangeiras estao interessadas nos nativos? As riauezas sao nossas, vamos explora-las.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • L

      LUIMAR SZCZEPANSKI

      ± 11 horas

      Baseado em que voce faz essas afirmações. Não precisa ir a Amazonia para conhecer a situação dos indios basta ir a Nova Laranjeiras para conhecer a pobreza extrema da comunidade indigena. Ou melhor, va na rodoferroviaria de Curitiba, tem uma tribo inteira ali.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      Renê M. P. Mendes

      ± 11 horas

      Vamos explorar nossas riquezas antes que outros países o façam.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • S

      Sartan

      ± 12 horas

      Se ele quer modernidade tá liberado o homem branco sugar tudo, mas se ele não quiser modernidade não adianta vocês bozominons vão achar outro pretexto e esta tudo certo.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • D

    Diz

    ± 14 horas

    Enquanto não se resolve, os indígenas continuam morrendo de desnutrição e doenças básicas provocadas pela falta de higiene e ignorância. Deitados eternamente em terras esplêndidas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • P

      Paul Gachet

      ± 12 horas

      Exatamente porque o progressista insiste em tutelar e tratar o índio como criança. Por exemplo metade do que o SUS gasta com indígenas vai para ONG, idem em outras áreas. As verbas de saúde per capita, são 7x maiores, do que para os demais. Isso explica essa tutela que o CIMI e outras querem manter. Enquanto o índio for objeto poucos ganham.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    MBP

    ± 15 horas

    Extração, vegetação e índios podem conviver juntos, transformando área de pobreza em riqueza para o País e Oportunidades, Educação e saúde para os índios.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Felipe Augusto Corbellini de Souza

    ± 20 horas

    Mineração em nome do Brasil deve ser protegida. Demoramos para liberar lavra sobre essas terras que são brasileiras antes de serem indígenas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    RICK

    ± 21 horas

    Não precisa porque tem que cortar os privilégios antes. Depois que não tiver mais regalias para cortar daí pode-se iniciar a discutir um projeto desses.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.