Bolsonaro e ministros do Planalto mantêm seus supersalários em sigilo
Bolsonaro e ministros do Planalto mantêm seus supersalários em sigilo| Foto: Alan Santos/PR

A ocupação de cargos de alto escalão por militares no governo Bolsonaro rende poder e também salários elevados, batendo no teto constitucional. Alguns superam os R$ 50 mil. Não fosse a aplicação do abate-teto, a despesa seria ainda maior. Mas parte dos supersalários ainda está oculta porque o governo mantém em sigilo a renda dos militares da reserva.

A maior renda bruta é do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, almirante de esquadra da Marinha. São R$ 63 mil, fora os jetons que recebe da Nuclebrás e da Empresa de Pesquisa Energética, no valor de R$ 7 mil – fora do cálculo do teto. Com um redutor constitucional de R$ 25 mil, no mês de abril, restou o valor líquido de R$ 29,2 mil. O Portal da Transparência não detalha a remuneração porque os valores pagos pelo órgão de origem não foram informados.

A segunda maior renda é do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, general exército. Ele recebeu bruto R$ 51 mil, com abate-teto de 13 mil. Após todos os descontos, restaram R$ 27 mil. Os valores pagos pelo órgão de origem não foram divulgados.

O secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência, almirante de esquadra Flávio Augusto Viana Rocha, teve renda bruta de R$ 41,8 mil. Parte da remuneração resulta do Cargo de Natureza Especial que recebe como “secretário especial”. Recebeu R$ 40,4 mil líquido porque contou com R$ 10,9 mil de férias.

Renda de reservistas em sigilo

Nessa mesma faixa salarial estão os integrantes da cúpula da “ala militar” no Palácio do Planalto, todos militares da reserva – os generais Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Braga Netto (Casa Civil) e o vice-presidente, Hamilton Mourão. O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, tem remuneração semelhante. O presidente Jair Bolsonaro, que tem renda como capitão reformado, também chega ao teto remuneratório.

Não é possível saber os detalhes da remuneração dos líderes na “ala militar” porque o salário dos militares da reserva está em sigilo. Mas o blog fez um cálculo a partir do abate-teto de cada um deles. Considerando os cargos civis que ocupam e a renda como reservistas, Mourão recebe R$ 62 mil; Azevedo, R$ 62,9 mil; Heleno, R$ 61,4 mil; e Braga, R$ 60,4 mil. Bolsonaro ganha R$ 41 mil.

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou, em setembro do ano passado, que o Poder Executivo divulgue a remuneração dos seus servidores aposentados e pensionistas, como mostrou reportagem do blog. Os dados dos servidores ativos já estão no Portal da Transparência, que é abastecido pela Controladoria-Geral da União (CGU).

O TCU analisou denúncia feita pela ONG Fiquem Sabendo – agência de dados independente especializada na LAI –, que defendia o direito de acesso do cidadão à remuneração de servidores aposentados e pensionistas da União.

Questionada sobre o sigilo dos dados, a CGU afirmou ao blog que está em fase final de “homologação das fontes de dados. A expectativa é receber os dados nos próximos dias. Confirmado o recebimento, publicaremos as informações de todos os órgãos no Portal ainda em agosto, quando então as remunerações dos militares da reserva e reformados também estarão disponíveis”.

Cargos “civis” aumentam renda

A renda dos militares é reforçada com os cargos de confiança que ocupam no governo federal. São três tipos de gratificações: os Carlos de Natureza Especial (CNE), os Cargos de Direção e Assessoramento Superiores (DAS) e a Gratificação da Gabinete Militar (RMP). Os CNEs pagam R$ 17,3 mil. Os DASs 4, 5 e 6 valem R$ 10,4 mil, R$ 13,6 mil e R$ 16,9 mil, respectivamente. O RMP fica em R$ 1,7 mil.

Mas o pagamento não é integral. O militar recebe a remuneração do posto que ocupa acrescida de 60% do respectivo cargo em comissão. Os valores dos cargos são incluídos no cálculo do abate-teto.

O major brigadeiro Ary Soares Mesquita, secretário de Assuntos de Defesa e Segurança Nacional no GSI, por exemplo, ocupa um DAS-6. O general de divisão Douglas Bassoli, secretário-executivo do GSI, conta com um CNE. Os dois recebem pouco mais de R$ 40 mil bruto. O almirante de esquadra Almir Garnier Santos, secretário-geral do Ministério da Defesa, com renda de R$ 40,4 mil, também conta com um CNE.

Mais dois militares do GSI recebem DAS-6 – o general de Divisão Luiz Fernando Estorilho Baganha, secretário de Segurança e Coordenação Presidencial, e Antônio Capistrano de Freitas, secretário de Coordenação de Sistemas. Baganha tem renda bruta de R$ 39,6 mil, enquanto Freitas recebe R$ 35 mil.

Um grupo que faz assessoria direta ao ministro da Defesa recebe DAS-5 mil. São os assessores especiais Vincent Dang, major brigadeiro; Carlos Chagas Vianna Braga, vice-almirante; e André Bastos Silva, general de brigada. O chefe de gabinete do ministro da Defesa, Edson Diehl Ripoli; tem direito ao mesmo cargo.

Militares em funções de civis

Mesmo cargos tradicionalmente ocupados por civis estão preenchidos por militares no Palácio do Planalto, e com ótima remuneração. Paulo Santa Barba e Flávio Botelho Pelegrino, ambos coronéis, ocupam os cargos de assessor especial e chefe de Comunicação Social da Casa Civil, respectivamente, com direito a DAS-6. Eles recebem salários de R$ 34 mil e R$ 32 mil bruto – salários de generais. (Veja a lista completa dos principais cargos e maiores salários)

O vice-almirante Marcelo Barreto Rodrigues tem um DAS-5 como chefe de gabinete da Secretaria-Geral, outra secretaria que vinha sendo ocupada por civis em governos anteriores. O diretor de Prevenção da Corrupção na CGU é o coronel Márcio Pessanha Gonçalves.

Mas as maiores críticas à ocupação de espaços civis por militares vieram com a atuação do general de divisão Eduardo Pazuello como ministro da Saúde, no momento em que o país vive a sua maior crise nesta área no último século. O principal motivo: Pazuello não é médico. No Portal, ele ainda aparece como secretário-executivo, o seu cargo inicial, com direito a gratificação militar.

Outro posto com características fortemente civis é a Secretaria de Governo, encarregada da articulação com a sociedade civil e da coordenação política do governo, o que envolve a negociação com parlamentares. Além do ministro Luiz Eduardo Ramos, general de exército, o assessor parlamentar da secretaria, Fábio Tayarol Marques, também é militar – capitão de mar e guerra. Ele tem um DAS-6.

TCU apura possível militarização

Levantamento realizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) apurou que o governo federal conta com 6.157 militares em cargos civis, incluídos os cerca de 2 mil militares da reserva convocados pelo INSS para reduzir a fila dos pedidos de aposentadoria. Quando Bolsonaro assumiu a Presidência, havia 2.765 militares nesses postos. O objetivo do TCU era apurar se havia militarização da União. Mas o tribunal não apontou ilegalidade nessa prática.

Os salários dos militares no governo

nomepostocargounidadebruto R$líquido R$
BENTO COSTA ALBUQUERQUE almirante de esq.semministro de Minas e Energia63.13029.201
LUIZ EDUARDO RAMOSgen de exércitosemministro da Secr de Governo51.02627.035
FLAVIO AUGUSTO VIANA ROCHAalmirante de esq.NES* sec de Assuntos Estratégicos 41.83040.474
JAYME TEIXEIRA PINTO FILHO***vice-almiranteDAS-5¹Centro de Apoio a Sist de Def41.51327.478
ARY SOARES MESQUITAmajor brigDAS-6²Secretaria de Def e Seg Nac40.99229.182
DOUGLAS BASSOLIgen de divisãoNES*sec-exec do GSI da PR40.86827.127
ALMIR GARNIER SANTOSalmirante de esq.NES*sec-geral do Min da Defesa 40.60125.222
LUIZ ESTORILHO BAGANHAgen de divisãoDAS-6Sec de Segurança do GSI39.66127.251
VINCENT DANGmajor brigadeiro DAS-5ass esp do ministro da Def39.35830.518
HUDSON PECANHA MURADbrigadeiro do arDAS-5Depto de Tec da Info e Com36.86526.009
EDSON DIEHL RIPOLIgen de divisãoDAS-5chefe de gab do min da Def36.06326.045
ANTONIO CAPISTRANO DE FREITAScontra-almiranteDAS-6sec de Coord de Sist do GSI35.52126.500
CARLOS CHAGAS VIANNA BRAGAvice-almiranteDAS-5ass esp do min da Defesa35.41826.271
MARCELO BARRETO RODRIGUESvice-almiranteDAS-5chefe de Gab Sec-Geral35.41826.961
JOAO TADEU FIORENTINItenente-brigRMP**chefe de Log e Mob da Def35.15923.231
CESAR AUGUSTO NARDI DE SOUZAgen de exércitoRMP** chefe de Ass Estrat da Def34.20023.823
PAULO EDSON SANTA BARBAcel do exércitoDAS-6 ass especial da Casa Civil33.87023.959
ANDRE BASTOS SILVAgen de brigadaDAS-5 ass esp do ministro da Def33.60323.936
ALEXANDRE CHAVES DE JESUScontra-almiranteDAS-5 dir do Depto de Adm da Def33.52824.973
FLAVIO BOTELHO PEREGRINOcoronelDAS-6Com Social da Casa Civil31.93922.836
FABIO TAYAROL MARQUEScap mar e guerra DAS-6 ass Parlam da Sec de Gov31.58023.044
CLAUDIO ALENCAR DE OLIVEIRAcoronelDAS-4³coord de Tec Estrat e Prod30.50022.965
ANDRE LUIS MAIA BARUFFALDIcoronelDAS-4³gerente de Infraest da Def29.85421.244
MARCOS ANDRE DA SILVA ALVIMgen de divisãoRMP**chefe de Log e Mob na Def29.70720.579
ANDRE LUIS RUSSO MALICIAtenente-coronel DAS5assessor especial do GPPR29.66121.062
JORGE ANTONIO SMICELATOgen de divisãoRMP**dir do Depto de Ensino29.62420.476
RICARDO RODRIGUES CANHACIgen de divisãoRMP**chefe de Política e Estratégia29.62420.929
GIOVANNI MAGLIANO JUNIORcoronelDAS-5dir do MJSP/SENAD/DGA29.58721.920
MARCIO PESSANHA GONCALVEScoronelDAS-5Prev da Corrupção/CGU29.58721.094
EDUARDO PAZUELLOgen de divisãoNES*sec exec do Min da Saúde29.53423.005
(*) Cargo de Natureza Especial - R$ 17.341
(**) Grat. de Gab. Militar - R$ 1.734
(***) militar da reserva
(¹) DAS-5 - R$ 13.623
(²) DAS-6 R$ 16.945
(³) DAS-4 R$ 10.373
O militar recebe a remuneração do posto mais 60% do cargo
Fonte: Portal da Transparência da Presidência
63 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]