Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

As viagens do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pelo país e mundo afora em jatinhos da Força Aérea Brasileira (FAB), com gastos sob sigilo, deixaram também um rastro de despesas com diárias e passagens aéreas para assessores e seguranças – um total de R$ 840 mil. Foram pagas 605 diárias, sendo 480 nos deslocamentos ao Amapá, sua base eleitoral. Apenas uma viagem, em julho, rendeu 128 diárias. O senador fez 54 voos em jatinhos, 18 para o seu estado.

O festival de visitas a obras no reduto eleitoral do senador durante o recesso parlamentar custou R$ 78 mil em diárias aos cofres públicos. Seis assessores e policiais legislativos ficaram de 13 a 17 dias no Amapá. Como nem todos puderam viajar na mesma data, foram gastos mais R$ 7,5 mil em passagens aéreas. Alcolumbre viajou no dia 19, à bordo do seu Legacy. No dia 22, capacete de operário na cabeça, ele visitou o Hospital Universitário do Amapá, com mostrou em vídeo nas redes sociais.

O levantamento foi feito pelo blog a partir de dados oficiais do Senado Federal. O blog já detalhou as 95 viagens feitas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e as 230 do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – a residência do deputado no Rio de Janeiro foi o destino de 46 deslocamentos.

Em dezembro, aconteceu mobilização semelhante. Foram pagas 88 diárias e 12 servidores do Senado que acompanharam Alcolumbre no seu interminável roteiro de visita a obras no Amapá. O custo das diárias chegou a R$ 57 mil. Dia 27 de dezembro, ele postou vídeo com imagens aéreas de uma vila habitacional em Macapá. “Desembarcam conosco, neste sábado, o ministro Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, para juntos assinarmos o contrato de construção de 1,5 mil novas unidades no Conjunto Miracema”, escreveu o senador, exibindo o seu prestígio em Brasília.

As viagens de Alculumbre custaram, em 2019, R$ 615 mil em diárias e R$ 217 mil em passagens aéreas. As diárias para o Amapá ficaram em R$ 362 mil. Com salário entre R$ 22 mil e R$ 29 mil, alguns servidores da Presidência do Senado tiveram um belo reforço salarial. A secretária especial de Comunicação, Giulia Carrera, foi contemplada com 88 diárias num total R$ 109 mil. A chefe do Cerimonial, Ana Tereza Meirelles, recebeu 58 diárias no valor de R$ 82 mil. O policial legislativo Alessandro Morales, ganhou R$ 62 mil. Três policiais legislativos, que cuidam da segurança do presidente, ficaram com cerca de R$ 60 mil cada um.

Viagens e diárias internacionais

O presidente do Senado viajou para Nova Iorque, Roma, Orlando e Madri no ano passado. Na viagem para os Estados Unidos, ele e o presidente da Câmara foram e voltaram nas mesmas datas, 12 e 16 de maio. Mas cada um utilizou um jatinho da FAB. Não havia espaço para tantos assessores, relatou a assessoria de imprensa da Câmara.

Nessa viagem foram pagas 29 diárias internacionais no valor total de R$ 48 mil. As passagens de Ana Meirelles e Alessandro Morales custaram R$ 10,3 mil cada uma. A de Giulia ficou por R$ 6,2 mil. O senador participou da entrega do Prêmio Pessoa do Ano, bem como de jantar com presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, oferecido por empresários americanos.

Em outubro, Alcolumbre integrou a comitiva presidencial à cerimônia de canonização da Irmã Dulce, no Vaticano. Ele foi acomodado no avião do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, mas apareceram outras despesas – 33 diárias no valor de R$ 56 mil para cinco assessores e seguranças. Ana Meirelles e Giulia Carrera receberam 12 mil cada uma. Mas ainda tinham as passagens aéreas – mais R$ 25 mil de dinheiro público para bancar o turismo religioso das autoridades.

Alcolumbre jantou com distribuidores Honda na Flórida

No final de novembro, o presidente do Senado usou o jatinho da FAB para participar da Convenção de 40 anos da Associação Brasileira de Distribuidores Honda, em Orlando, na Flórida. Estava acompanhado dos senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Kátia Abreu (PDT-TO). Afirmou a empresários brasileiros que o Congresso Nacional busca reformas que tragam a retomada da capacidade de investimento do Estado brasileiro. As 17 diárias para quatro servidores custaram R$ 40 mil.

Mal chegou da Flórida e seguiu para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 25), em Madri, na Espanha. Foi acompanhado dos senadores Fabiano Contarato (Rede-ES), Eliziane Gama (Cidadania-MA) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), integrantes da Comissão do Meio Ambiente do Senado. Além do jatinho, houve despesas com diária para quatro assessores, num total de R$ 32 mil. Ana Meirelles recebeu R$ 10,6 mil.

A assessoria da Presidência do Senado não respondeu aos questionamentos feitos pelo blog sobre a necessidade de tantos assessores de Alcolumbre nessas viagens, mas afirmou que o Decreto 4.244/2002 assegura ao presidente do Senado Federal a utilização de aeronaves da FAB para o deslocamento em agendas fora de Brasília e fora do Brasil, se necessário for.

56 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]