i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Madeleine Lacsko

Foto de perfil de Madeleine Lacsko
Ver perfil

Reflexões sobre princípios e cidadania

Após escândalo machista nos EUA, Sleeping Giants finge defender mulheres no Brasil

Exposto pela própria fundadora e ultrapassado por novas tecnologias, o grupo anônimo tenta investir num novo ramo: patrulha.

  • Madeleine LacskoPor Madeleine Lacsko
  • 12/11/2020 15:07
Após escândalo machista nos EUA, Sleeping Giants finge defender mulheres no Brasil
| Foto:

"Quando uma ideologia fica bem velhinha, vem morar no Brasil", cravou Millôr Fernandes. O Brasil também é o refúgio preferido, de acordo com os filmes de Hollywood dos anos 80 e 90, dos que pretendem recomeçar a vida sem o peso da reputação que fizeram por merecer. Temos casos famosos como Ronald Biggs, que viveu confortavelmente por aqui após o assalto ao trem pagador e o mafioso Tommaso Buschetta, que refez a vida com uma jovem brasileira.

Adotar velharia como novidade e limpar reputação é especialidade da casa. Por isso o Sleeping Giants se mete, por aqui, a bancar o defensor de mulheres e da reputação de empresas. Nos EUA, a fundadora saiu do projeto denunciando machismo e já inventou um outro jeito de que anunciantes e veículos se encontrem de acordo com seus princípios.

Em julho, houve um ruidoso pedido de demissão da fundadora do projeto, Nandini Jammi, que disparou críticas e prints mostrando o comportamento predatório de seu ex-sócio Matt Rivitz. Ela postou um longo relato pessoal questionando se a decisão de roubar as ideias dela e escanteá-la, foi por ser mulher, por ser de origem indiana ou por falta de caráter mesmo. Qualquer que seja a resposta, ela é mulher, indiana e recomendou a todos os que se preocupam com machismo e racismo o desengajamento imediato do Sleeping Giants.

Nandini Jammi chegou a dar uma entrevista em maio à revista Exame dizendo que o grupo dos EUA não é responsável pelo brasileiro, que foi criado de forma autônoma, mas eles rezam na mesma cartilha. “Só soubemos da página depois que ela já estava criada e fomos procurá-los para dar algumas diretrizes. Mas não poderíamos comandar essas páginas em outros países, não sabemos as especificidades da cultura de cada lugar”, disse a fundadora que abandonou o Sleeping Giants à revista Exame.

A julgar pelo que eu li do relato de Nandini Jammi, os Sleeping Giants brasileiros aprenderam direitinho o método do fundador. Enquanto falam que defendem mulheres, se desdobram em esforços para pisotear e escantear mulheres na vida real. No Brasil, até pessoas que se julgam feministas ainda acham que o Sleeping Giants defende mulher. Enquanto houver otário, malandro não morre de fome.

Fiz contato com Nandini Jimmi e pedi autorização dela para traduzir o relator completo, mas ela preferiu que não e não autorizou a publicação. É um direito dela que respeito. O relato público esta em inglês aqui. O método parece com o que aplicaram comigo nas redes sociais e, em alguns meios, chama-se de gaslighting, expressão que vem da peça de teatro Gas Light, de 1943. Nela, um homem quer achar um tesouro em casa sozinho e se livrar da esposa, então decide convencer o mundo que ela é louca.

O ponto da peça que originou a expressão "gaslighting" é quando o marido corta o gás que abastece as luzes da casa para usar só a do sótão na procura do tesouro. Quando a mulher percebe e o questiona, ele nega, diz que não aconteceu nada e ela está vendo coisas. Todo o relato da fundadora do Sleeping Giants é coalhado dessas situações. No meu caso específico, reclamei da tentativa de intimidação nas redes sociais. Os anônimos simularam um pedido de desculpas em que negaram intimidar e dizem "ter apenas feito uma pergunta sobre o meu posicionamento". Detalhe: no mesmo tweet da pergunta, eles postaram o link do artigo com o meu posicionamento.

Agora novamente fazem o comportamento característico, segundo a psiquiatria, dos estratagemas de sociopatas. Transgridem costumes, violam leis, abusam das pessoas mas têm lábia e tentam minimizar o que fizeram, comparando a coisas mais leves. Os anônimos dizem "apenas perguntar o posicionamento de empresas", quando chantageiam essas empresas pelas redes sociais com exigências diretas. Há quem acredite.

Outro ponto é a rapidez de mudança na indústria da internet, que não foi acompanhada pelo Sleeping Giants. A ideia de criar o movimento parte de uma questão real que ainda se tenta resolver. Nandini Jammi já fundou com Claire Atkin outra empresa com uma solução bem mais avançada para marcas, agências e veículos de comunicação, a Check my Ads. É uma forma inovadora de fazer o casamento entre os princípios de uma marca e o tipo de discurso que ela patrocina. O melhor: não recorre a anonimato, chantagem nem a esculhambar mulher em rede social.

Os anúncios em redes sociais trazem um benefício enorme para o mercado da comunicação: métricas precisas. Mas, como toda nova tecnologia, há ainda inúmeros pontos a ajustar. O principal deles é que os algoritmos das redes sociais são programados de uma forma que direciona a maioria dos cliques e anúncios para o pior lixo que se possa imaginar, num volume tão grande que já sentimos a tensão na sociedade. Não é por maldade nem de propósito, há uma explicação financeira.

O negócio das redes sociais não é informação, é vender publicidade direcionada aos clientes certos. Escrevi detalhadamente sobre diversos aspectos desse novo mercado aqui na minha coluna da Gazeta do Povo e no livro Tratamento de Choque. Isso gera uma mudança importante no mercado publicitário que é a ausência de relação entre anunciante e veículo, já que todo mundo que posta algo virou um "veículo" na definição técnica. Surge então uma questão nas duas pontas, a de anunciar em algo que é contra os valores da marca ou ostentar um anúncio que é contra os valores do veículo.

O problema fica ainda mais grave porque as redes sociais dependem de estimular a radicalização em qualquer tipo de tema para maximizar lucros. Para conectar uma marca com a pessoa que dará o clique de compras, é preciso recolher o máximo de informações possíveis da pessoa. Portanto, a prioridade é manter a pessoa conectada e interagindo. Como se faz isso? Direcionando a cada um o conteúdo que nos provoca mais emoções excitantes, entre as quais estão medo, ódio e indignação.

Em alguns anos, qual foi o resultado? Quem mais cresce nas redes é quem mais enfia o pé na jaca em qualquer situação. Exemplo prático para você testar em casa: 70% dos vídeos do YouTube são vistos por recomendação da plataforma, ou seja, o que passa automaticamente depois que você achou o que queria ou aquele colocado na sua primeira página. Faça qualquer busca, qualquer uma. Lá pelo quarto vídeo você já estará vendo alguém que vai considerar maluco. Os seguintes vão piorando. A gente acha absurdo e compartilha. Está feito o circo e é preciso desmontar essa lona.

Uma vez, o YouTube cismou de colocar anúncios de um prostíbulo nas minhas transmissões. As explicações técnicas eram sofisticadas, mas o resultado concreto é que um monte de gente tinha o print com o meu rosto e o banner de um prostíbulo. Como ninguém quer essa situação, surgem várias iniciativas de lapidar o mercado, entre elas o Sleeping Giants dos Estados Unidos.

Qual era a ideia? Utilizar algo que estava muito em voga até uns 5 anos atrás, que era a militância por impulsionamento e enxame, numa ação de mostrar a empresas em que buracos seus anúncios eram automaticamente enfiados. Não era difícil, por exemplo, que uma indústria farmacêutica acabasse gastando rios de dinheiro anunciando em transmissões de canais anti-vacina sem ter a menor ideia.

Antes de todos esses escândalos políticos internacionais de fake news, a gente acreditava que número de cliques ou volume de postagens indicavam real mobilização da sociedade. Talvez realmente indicassem mais porque as tecnologias de automatização e as estratégias de mobilização eram mais precárias. O fato é que juntava-se a indignação como fato de várias empresas serem surpreendidas ao ver que seus anúncios estavam até em lugares que as atacavam frontalmente.

Os Sleeping Giants justificavam seu anonimato porque se voltavam contra sites picaretas, criados só para promover absurdos, a melhor forma de ganhar dinheiro nas redes. Ocorre que as próprias redes sociais também estão trabalhando em mecanismos para que os anunciantes tenham controle sobre as verbas. Obsoleto, o Sleeping Giants tenta sobreviver mudando de estratégia: sob o escudo de um discurso moral, ataca empresas e indivíduos sem explicar o nexo entre fala e ação.

Não vou debater o viés ideológicos dos fundadores. É óbvio que há um viés, mas não a forma como tratam mulheres não segue a ideologia que pregam. Aqui falamos de viabilidade financeira. As redes sociais já estão ajustando seus algoritmos pressionadas por vários governos no mundo e também criaram mecanismos muito interessantes de filtros de anúncios tanto para marcas quanto para os veículos tradicionais que fizeram canais.

A tecnologia avança para que muito rápido ninguém anuncie em site picareta sem querer e nenhum veículo receba anúncio de picareta automaticamente. Que papel sobra para o Sleeping Giants? Patrulha. Em vez de avisar empresas que elas patrocinam sem querer negócios suspeitos, os anônimos agora querem decidir quadro de funcionários, punições administrativas e relações comerciais de empresas reais.

Nandini Jammi, a fundadora do Sleeping Giants escanteada pelo sócio, já deu o passo além na tecnologia. A empresa dela, Check My Ads, continua na mesma esfera de atuação, a de detectar dissonânica e casualidade na relação entre anunciante e veículo. Isso é feito como um serviço contratado pelas próprias empresas, agências, marcas, influencers e veículos de comunicação. O foco é diferente e muito mais inovador: verificar quais são as melhores oportunidades de investimento em consonância com os valores da empresa.

Claro que também há o outro lado, o de explicar novas formas de atuação num mercado tão dinâmico e quais são as ações que podem colocar uma marca em risco. A empresa faz manuais de atuação dos profissionais e também treinamentos para uma atuação eficiente num mundo de extremos. E nós ainda estamos andando de Sleeping Giants. Por isso me ufano do meu Brasil: o mundo nos dá um foguete, mas continuamos agarrados ao Gurgel.

21 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 21 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • A

    ANDRE LEVY SCARPIM WINNIKES

    16/11/2020 19:25:04

    Apesar de não gostar do Sleeping Giants. Pelo fato de Madeleine Lacksko me bloquear no Twitter demonstra ser uma pessoa desequilibrada e que não aceita opiniões contrárias, uma jornalista que apenas gosta de impor sua opinião

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo Fernandes Quadra

    16/11/2020 11:20:53

    PARABÉNS MADELEINE! UMA AULA DE JORNALISMO INVESTIGATIVO SUBSTANCIOSO, COM IMPARCIALIDADE E SEM CABRESTO. O EXCESSO DE MATERIAL TÓXICO E REPETITIVO VAI OBRIGAR A UMA DEPURAÇÃO EM NOME DA CREDIBILIDADE, COMO CONDIÇÃO DE SOBREVIVÊNCIA. PROGRESSIVAMENTE OS FREQUENTADORES DAS REDES VÃO APRENDENDO A RECONHECER OS FILTROS IDEOLÓGICOS QUE DESFIGURAM OS FATOS.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Niva Alice de Oliveira Barbosa Guedes

    15/11/2020 14:09:24

    Ótimo texto!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcelo M

    15/11/2020 9:43:48

    Nao julgar o viés é um erro, pois daí, da esquerda autoritária antidantidemocrática e arrivista, vem a distorção criminosa e o ataque covarde, não de algoritmos desajustados. Erra a colunista, protegendo o criador ao justificar a ação criminosa da criatura...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    PR

    13/11/2020 21:04:19

    Excelente texto!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • T

    Thiago

    13/11/2020 10:30:19

    Salvo engano, ameaça é crime de ação pública. Na superfície isso significa que o processo é movido pelo MP, no fundo fignifica que o crime até é também contra o ameaçado, mas é principalmente contra toda a sociedade. Então quem sofre ameaça pode e deve dar queixa do crime. Mas nesse caso é um erro apostar no Poder Judiciário como fonte da solução. Ñ porque muitos juizes são cúmplices dos Gigantes (embora isso seja verdade) mas porque numa sociedade de mercado o Estado pode pouco contra boicotes de consumidores. E é bom não dar a ele poder nessa seara. O remédio maior contra campanhas de boicote é contrabalançar as mesmas com apoio aos que não cedem. E expor as milícias, como faz este txt.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • W

    Walter

    13/11/2020 10:23:26

    É assim que os progressistas atuam. Vendem uma imagem, por meio de narrativas, a fim de angariar seguidores (trouxas). Ganham dinheiro e influenciam em interesses políticos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jarbas Paranhos

    13/11/2020 10:16:10

    Nandini Jammi esta postando sobre o caso da Gazeta: https://twitter.com/nandoodles/status/1327043934724497410?s=20

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Ren Wysocki

    13/11/2020 4:14:53

    Madeleine o perfil Do twitter Anaões adormecidos lançou a suspeita que Gregório Duvivier pode ser o dono do Sleep Giants Brasil. Temos que desmascarar esse perfil covarde e esquerdista.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • S

      Suzel Belmonte

      14/11/2020 2:03:43

      Também acho que ele é um dos que estão por trás disso tudo.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Eduardo Duarte

    13/11/2020 2:29:36

    Adorei a lucidez. Espero que a sociedade acorde para o mal que é esse movimento de crianças mimadas que só conseguem as coisas com birra, e não com diálogo, debates e argumentação.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • O

    oscar araya

    12/11/2020 22:49:39

    Perfeito artigo!! Parabéns!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Leandro Silva

    12/11/2020 22:42:14

    Também assinei a Gazeta só por causa desses linchadores virtuais covardes.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Aldo Vieira

    12/11/2020 22:27:35

    Eu me tornei assinante por causa do Sleeping Giants e a perseguição ao Constantino e ao Gazeta. É a obrigação de todo mundo que ama a liberdade de expressão ocidental se posicionar contra iniciativas autoritarias de policiamento ideologico antes que acordemos em 1984!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    SERGIO RODRIGUES MARTINS

    12/11/2020 22:25:12

    Texto esclarecedor ! Parabéns Madeleine!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    12/11/2020 22:14:56

    A gazeta não deveria deixar a amiga do Luciano ayan puxar esse coro. Essa mulher tem um passado pavoroso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sandra eberle de Carvalho

    12/11/2020 21:27:31

    Excelente matéria , me orgulho de ser assinante desse jornal que tem excelentes colunistas como a Madaleine e Rodrigo Constantino.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Mauricio Portela dos Santos

    12/11/2020 21:20:42

    Enquanto a GAZETA DO POVO estiver com essa postura serei assinante. Parabéns, liberdade de expressão não tem dono.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    All Jr

    12/11/2020 20:23:54

    Arrebentou! Parabéns! Sucesso!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    Emerson

    12/11/2020 19:26:20

    Numa torcida danada para que o castelo de areia destes bodes expiatórios desmoronasse e que viesse a público os verdadeiros financiadores destes movimentos de gente para lá de desocupada e baderneiros de plantão.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    André Sena Pereira

    12/11/2020 19:11:07

    O jeito de combater essa podridão do sgB ( o 's' e o 'g' em minúsculo), é pela lei e pela mídia descentralizada. Pra mim um bando terrorista. Maravilha Madeleine.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.