i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Mario Vitor Rodrigues

Foto de perfil de Mario Vitor Rodrigues
Ver perfil

O segundo ponto de inflexão rubro-negro

  • Por Mario Vitor Rodrigues
  • 26/11/2019 23:43
Foto: internet
Foto: internet| Foto:

Trata-se de um problema geracional. Uma questão de referência. Há coisa de poucas semanas — portanto antes deste último fim de semana, marcante na história do Flamengo —, pipocou um debate no mínimo inusitado para quem, como eu, já não consegue disfarçar os fios brancos: qual time rubro-negro é melhor, o de agora ou aquele liderado por Zico no início dos anos 1980?

Não tenho nada a ver com isso, sou tricolor de dar cambalhota na arquibancada, mas, confesso, fiquei incomodado. Se entendo o papel da imprensa esportiva, disposta não é de hoje a criar falsos debates para segurar a audiência? Entendo. Outra coisa é o próprio Júnior fazer média e opinar que a equipe atual, se reforçada pelo Galinho, superaria o timaço responsável pela conquista de três brasileiros, uma Libertadores e de lambuja o Mundial — contando com a sua inestimável colaboração.

Anote aí, você, que me lê, tão ávido por enaltecer o presente que periga injustiçar o passado: Raul, Leandro, Figueiredo, Mozer e Júnior, Andrade, Adílio e Zico, Tita, Nunes e Lico não apenas construíram um momento hegemônico no futebol brasileiro. Hegemonias já houve várias. Aquele Flamengo impôs um ponto de inflexão no nosso futebol. Tanto assim que colaborou com o desenho de uma seleção brasileira festejada até hoje em todo o mundo, mesmo sem ter conquistado a Copa de 1982.

O conjunto liderado por Gabigol, Bruno Henrique e William Arão não merece um lugar na mesma prateleira daquele comandado por Arthur Antunes Coimbra, todavia também cortou o baralho.

É batata, o Flamengo não pode vencer sem que seus fãs citem frases de Nelson Rodrigues em louvor ao clube. Beber da fonte de um confesso torcedor rival para validar a própria alegria não deve ser fácil, mas nesse caso faz sentido: em primeiro lugar, o texto é insuperável. Bem melhor que o dos cronistas atuais. Depois, Nelson e seu irmão Mário Filho — talvez a pessoa mais importante na construção das mitologias em torno do Fla —, vivenciaram um período bem menos cáustico do que este. Época em que elogiar o rival, além de ser elegante, não era incomum. E ainda servia como apoio para enaltecer o próprio time de coração.

Pois, por meio deste Flamengo, eis a segunda mudança de curso no nosso esporte predileto: o definitivo fim do equilíbrio.

Os comentários e as postagens de rubro-negros nas últimas horas, exaltando “o manto sagrado” e tentando construir uma espécie de fábula em torno de seus sucessos, não conversam com a realidade. Se o campeonato Brasileiro foi vencido com um pé nas costas, isso nada teve a ver com São Judas Tadeu. Tampouco com uma garra incomum dentro de campo. Teve a ver, isso sim, com o fato de o Flamengo, hoje, ser um clube rico. Tão rico que foi capaz de mudar a sua história durante a competição, por meio de reforços decisivos no time e no comando. Inclusive com jogadores aptos a disputar torneios europeus.

É inexorável: os belos textos de Nelson Rodrigues não teriam razão de ser nos tempos atuais. Para além da ausência de quem os compreendesse, o dramaturgo não teria como se valer de disputas renhidas, nas quais o resultado nem sempre é garantido. Em sua época, os times grandes se equivaliam e os pequenos incomodavam. Isso quando não levantavam, eles também, taças e troféus.

Ao ler essas linhas, o flamenguista pode se sentir injustiçado. Não deveria. O Flamengo não tem nada a ver com esse quadro, apenas coube a ele emoldurá-lo.

O Flamengo não tem culpa por ser o clube popular de maior torcida no Brasil, fato que por si só lhe confere vantagens financeiras inalcançáveis por seus rivais. O Flamengo não tem culpa se soube gerir suas dívidas e recursos justo quando a indústria do futebol começa a mudar, abarcando volumes de dinheiro até outro dia fora de cogitação. O Flamengo não tem culpa se, inexplicavelmente, a Rede Globo optou por estabelecer patamares díspares na distribuição de cotas de tevê, aprofundando ainda mais um vão inevitável.

Não é de hoje que os principais campeonatos na Europa vivem o que só agora estamos começando a testemunhar. A diferença é que lá os modelos são outros, tanto de gestão quanto de premiação, na estrutura dos clubes e na capacidade financeira dos torcedores.

Que o debate comece, os demais clubes busquem melhorar suas políticas internas e a televisão reveja a distribuição em plataformas como o pay-per-view. Até lá, a menos que um novo ponto de inflexão surja — como o possível advento do clube-empresa, possibilitando a chegada de capital estrangeiro pesado —, não faz sentido imaginar o fim do reinado rubro-negro.

O Flamengo, insisto, não tem nada a ver com isso.

7 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 7 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • A

    ALVARO JOSE JUNQUEIRA NUNES

    ± 16 dias

    Comentário inteligente, o articulista deveria se dedicar à crônica esportiva, deixe a política de lado!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • T

    Thiago

    ± 16 dias

    Perda de tempo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Max Atanazio

    ± 16 dias

    Falaram em rebelião contra o Flamengo. Como se rebelar contra um time que dá mais audiência do que final de Copa do Mundo e que no fim de semana teve o maior público com telões no maraca? O dinheiro não é louco!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Max Atanazio

    ± 16 dias

    Falaram em rebelião contra o Flamengo. Como se rebelar contra um time que dá mais audiência do que final de Copa do Mundo e que no fim de semana teve o maior público com telões no maraca. O dinheiro não é louco!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • T

    Tadeu Rodrigo Becker Gois

    ± 16 dias

    Parabéns. Um texto lúcido no meio de tanta bajulação e euforia, principalmente por parte da mídia.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • W

    wellyngton martins

    ± 16 dias

    o sr mrv não importa o tema, sempre remando contra a maré. incrível.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 16 dias

    P0hda-c

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.