Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Investir em startups é para todo mundo?
Investir em startups é para todo mundo?| Foto: Unsplash, Frank Busch/Reprodução

Investir em startups é para todo mundo? Essa é uma pergunta recorrente que recebo em entrevistas e palestras que participo, o que já indica o tom da resposta para ela. Nunca falamos tanto no mercado sobre startups, investimento, acesso as soluções e a importância que essas empresas têm na economia do país.

Logo, a minha resposta é: atualmente aprender a investir em startups tem que ser para todo mundo. Diferente de 2010, quando eu falava sobre startups e poucas pessoas sabiam o que era isso, muitos investidores não entendiam na prática como seria essa “aposta” e os próprios empreendedores brasileiros ainda estavam em busca de mais conhecimento e respostas em relação aos caminhos que poderiam vir a seguir.

A boa notícia é que mais de uma década depois, quando comecei a levar esta bandeira por onde quer que eu fosse, a realidade é outra, e não apenas o ecossistema como um todo está mais maduro, como as oportunidades mais elaboradas e consistentes.

Este resultado é basicamente fruto da percepção das pessoas no geral que já compreenderam a força deste mercado, o poder do equity e da rentabilidade que podem obter a médio e longo prazo.

Além disso, neste processo, o que podemos observar ainda é o fato das transformações que estão ocorrendo no mercado e modificando, de forma definitiva, as empresas criadas com conceitos e práticas tradicionais. Bato na tecla que todos deveriam entender sim sobre e como fazer investimentos em startups, pois todas as grandes empresas passarão a funcionar como startups.

Este raciocínio por si só vale, sem dúvida, um investimento por parte do leitor (a) para aprofundar (caso ainda não o tenha feito) neste universo de possibilidades e resultados que têm se apresentado no mercado como um todo. Se as maiores empresas do Brasil estão se movimentado para se tornarem cada vez mais tecnológicas, inovadoras e escaláveis – características de uma startup, essa estratégia passa então a ser um indicativo valioso do que podemos esperar no futuro próximo.

Você não gostaria de ter investido no começo do Nubank, que no IPO se tornou o banco mais valioso da América Latina? Este é o ponto. Quando você está inserido neste universo, faz parte do ecossistema de alguma forma, se dedica a entender e refletir sobre o mercado, certamente encontrará a sua “tribo” ou grupo que vai te ajudar a se sentir mais confiante em fazer os primeiros aportes. De forma consciente, você entenderá quais são os riscos e possíveis ganhos e terá a chance real de investir em negócios grandiosos como o exemplo que acabei de citar.

Agora, se você ainda não entendeu que o mercado está em pleno processo de transformação e que você precisa dar início à sua jornada o quanto antes, a minha dica é que você visite minhas redes sociais para ter acesso de forma aprofundada a tudo isso que falei. Lá você vai encontrar meus livros, programas, artigos, entrevistas e cursos. Bons negócios, a partir da sua nova visão e mentalidade investidora!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]