Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
comida japonesa tradicional
Lámen Tonkatsu do Fujii.| Foto: Anacreon de Téos

A popularização da comida japonesa entre os brasileiros levou a alguns caminhos mais, digamos, tortuosos. E o que deveria ser uma expansão daquela cultura gastronômica em sua essência acabou tomando outros rumos, alguns deles nada condizentes com o que se pratica por lá.

Sei de histórias de orientais que vieram para cá e se espantaram com o que é servido, com exageros de cremes ou agridoces, combinações que eles não cultuam por lá. Nem conhecem, para dizer a verdade. Vem tudo na esteira do que os norte-americanos fizeram com a comida oriental, influenciados, principalmente pela combinação entre doces e salgados, que eles adoram. E aqui no Brasil potencializou, porque o brasileiro também gosta disso, embora nem saiba que não está comendo comida japonesa.

Nos últimos tempos tenho registrado aqui nesse espaço o trabalho daqueles que vão na raiz dos sabores nipônicos. Não apenas nas raízes de gengibre, lótus ou bardana, mas raiz cultural, que os imigrantes trouxeram para cá e difundiram.

Por isso mesmo, jamais poderia deixar de incluir o restaurante Fujii neste rol. A casa, que funciona no Mercado Municipal de Curitiba há 17 anos, traz, em seu cardápio, toda a essência da culinária e dos costumes japoneses. Desde que Osvaldo Fujii se estabeleceu num pequeno espaço de 20 m², logo na entrada principal, ao lado da tradicional barbearia do seo Yoshida, sempre servindo pratos quentes, sushis e sashimis à la carte.

comida japonesa tradicional
Vinícius Fujii e a brigada de balcão e cozinha do restaurante Fujii, no Mercado Municipal de Curitiba. | Foto: Anacreon de Téos

Com a inauguração da nova praça de alimentação, em 2012, o Fujii ganhou um espaço maior e aí teve a chance de ampliar o cardápio, sempre desenvolvendo e aprimorando técnicas, em grande parte com ensinamentos de Toshiharu Tawamoto (conhecido como Sr. Henrique), um imigrante japonês que durante um bom tempo trabalhou no restaurante e passou muito de seus conhecimentos gastronômicos para a família, unindo às receitas caseiras e paladar de Ayami Fujii, esposa de Osvaldo.

Entre os favoritos

Com o passar do tempo e com a vinda da pandemia, o casal já não está mais no dia a dia do restaurante, permanecendo recluso na chácara da família, enquanto os filhos cumprem à risca o papel de manter a casa em alta.

Vinícius Fujii é que comanda a brigada atrás do balcão, enquanto a irmã, Nara Yumi, controla o caixa e também salão e delivery, entrosados para que tudo continue funcionando exatamente como nos primeiros tempos, sem americanizações ou abrasileirações. Japonês japonês mesmo.

E o resultado desse entrosamento é que o Fujii Cozinha Japonesa está entre os preferidos dos apreciadores da comida japonesa tradicional, sendo um dos mais frequentados de Curitiba, apesar da restrição de horário (só funciona durante o dia, seguindo o horário do Mercado Municipal).

comida japonesa tradicional
Misoshiro, de sabor intrigante e muito atraente. O segredo? Alho negro. | Foto: Anacreon de Téos

E foi exatamente para constatar as razões de tal sucesso que retornei ao restaurante dias atrás, depois de algum tempo sem ir.

Continua impecável, conforme as informações de amigos e pessoas próximas me garantiam.

Como costumo fazer, deixei a inspiração por conta do sushiman e dos cozinheiros. E aí começou o show de sabores, com um Missoshiro, algo que adoro – que é aquela sopa de missô, basicamente feita com missô, soja, hondashi, tofu e alguns complementos, que podem ser até conchas de vôngole. Mas este não era comum, o tradicional, que já é bem gostoso. Esse missoshiro é feito na calda do alho negro, aquele alho que passa por processo de controle de temperatura durante 15 dias, concentrando sabor único e ficando com coloração completamente preta e sabor levemente adocicado. Pensei em repetir, mas daí lembrei o que ainda poderia vir pela frente e sosseguei.

comida japonesa tradicional
Kamá torô de blue fin espanhol, parte gorda do Hon maguro, que fica mais próxima da cabeça do peixe e Buri torô (barriga de olho de boi). Sashimis personalizados. | Foto: Anacreon de Téos
comida japonesa tradicional
Dupla de pargo, Dupla de buri torô, Dupla de tamagoyaki da casa (aquela espécie de omelete prensada), Ginkan uni (ouriço do mar), Gunkan hiyashi wakame (alga), Niguiri de cavalinha, Niguiri blue fin kamá torô, Blue fin akami (parte mais magra) e Niguiri de trilha.| Foto: Anacreon de Téos

Veio, então, a seleção de sashimis do dia. Porque lá, como é tudo super fresco, a escolha dos itens depende do que chegou dos fornecedores. Teve, então, Kamá torô de blue fin espanhol, parte gorda do Hon maguro, que fica mais próxima da cabeça do peixe e Buri torô (barriga de olho de boi).

Aí, a sequência de niguiris do dia: Dupla de pargo, Dupla de buri torô, Dupla de tamagoyaki da casa (aquela espécie de omelete prensada), Ginkan uni (ouriço do mar), Gunkan hiyashi wakame (alga), Niguiri de cavalinha, Niguiri blue fin kamá torô, Blue fin akami (parte mais magra) e Niguiri de trilha.

Para finalizar, uma incrível combinação de sabores: Mariscos brancos no dashi, o caldo bem consistente e o sabor dos mariscos diferenciado. É raro por aqui, mais suave do que o mais comum entre nós e vem especialmente do Rio Grande do Sul.

comida japonesa tradicional
Mariscos brancos no dashi. | Foto: Anacreon de Téos

E lámen, por que não?

Na ocasião, dei uma espiada no cardápio de comida japonesa tradicional apresentado à mesa e achei algumas coisas bem interessantes. Como tempurás, guiozas, teppan yakis, yakisssoba, guiu domburi, katsudon e os lámens, que eu, particularmente, venero.

Mas ficou por isso mesmo, não havia como conseguir provar tudo de uma só vez. Por mais que o desejo atentasse.

Fiz, então, um breve registro de check in nas redes sociais, acumulando o material para a publicação desse post aqui. Mas aí vieram os comentários dos seguidores e muitos deles (especialmente os descendentes de japoneses) sinalizaram positivamente e cravaram: “sem contar que lá no Fujii tem o melhor lámen da cidade”.

Tive de retornar, claro. Não poderia publicar aqui algo que não estivesse completo. Portanto, lá fui eu de novo. Eram duas as opções do cardápio: Shoyu lámen, a R$ 29,50, (caldo à base de frango, peixes e legumes, macarrão fino, fatias de chashu – a barriga de porco -, ovo cozido de gema ainda mole, naruto – massa de peixe -, wakame e moyashi) e Lámen Tonkotsu Missô, R$ 39,50, (caldo mais encorpado à base de porco, de cozimento lento, missô, macarrão, fino, fatias de chashu, ovo cozido de gema ainda mole, lascas de alho douradas, folha de tinguensai - bok choy ou couve chinesa -, gergelim e alga nori).

Escolhi o segundo, imaginando sabores mais densos. Enquanto não chegava, veio uma tigelinha com raízes de bardana e de cenoura e alguns sashimis.

comida japonesa tradicional
Bardana e cenoura. | Foto: Anacreon de Téos

Quando chegou o lámen, o perfume do prato já antecipava o que iria acontecer. Estava delicioso, primoroso, a fatia de porco macia, a se desmanchar com a pegada do hashi, a gema ainda cremosa, a cebolinha, o alho e o gergelim dando crocância, a folha suculenta, uma obra de arte.

Junto com a tigela veio uma colher, para sorver o caldo depois de comer os sólidos. No Japão eles costumam beber na própria tigela e eu sabia que não poderia desperdiçar aquela preciosidade. Caramba, foi um dos melhores sabores que já senti nos últimos tempos. Que caldo complexo, que combinação harmoniosa de itens a resultar num gosto só, quase umami, se é que não chegou a ser.

Saí já querendo voltar.

Quando a família Fujii se estabeleceu no Mercado Municipal de Curitiba, o objetivo era preservar preparos tradicionais de caldos e técnicas da comida japonesa tradicional, buscar sempre as melhores matérias primas e respeitar e executar os pratos da melhor forma possível.

E isso eles estão fazendo desde então e até os dias de hoje. Se ficou com água na boca, pode comprovar.

O restaurante também trabalha com delivery. Funciona de terça a sábado, das 11h30 às 16h, e domingos, das 11h30 às 15h (fecha sempre nos últimos domingos do mês).

Fujii Cozinha Japonesa

Mercado Municipal de Curitiba - Box 194

Avenida Sete de Setembro, 1865 - Centro

Telefone e WhatsApp: (41) 3114-8393

Instagram: https://www.instagram.com/fujii.cozinhajaponesa/

Cardápio para delivery: www.goomer.app/fujii-cozinha-japonesa

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]