Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Mignon com molho trufado e tagliatelle artesanal de carvão ativado, um dos pratos do Festival de Mignon do restaurante Gianttura.
Mignon com molho trufado e tagliatelle artesanal de carvão ativado, um dos pratos do Festival de Mignon do restaurante Gianttura.| Foto: Divulgação

O curitibano adora. Não tem chef ou restaurateur que não diga da pressão que sofre quando abre uma casa nova ou lança um cardápio para ter algumas opções de mignon.

E a maioria não sai muito do tradicional, pedindo sempre os mesmos molhos ou os mesmos acompanhamentos. Por isso fiquei intrigado quando soube que o chef Hermes Custódio, do Gianttura Restaurante, se propôs a promover um Festival do Mignon. Ele, certamente, não ficaria naquele lugar comum dos tantos outros que existem por aí. Primeiro, por ser um cozinheiro muito experiente e talentoso. Segundo, porque o nome do restaurante, Gianttura, significa a “união do improvável” e foi isso que pautou a inauguração da casa, pouco tempo atrás (confira aqui o que publiquei na ocasião).

E então a expectativa se confirmou. Saiu mesmo um cardápio com base no filé mignon, inclusive com todos os itens, mais entrada e sobremesa, só que com algumas interpretações bem próprias do cozinheiro para a elaboração de cada um.

Uma entrada incrível no Festival de Mignon do Gianttura: Fatias de mignon curado, pesto de abobrinha, gema no sous-vide em vinho tinto e pó de marisco.
Uma entrada incrível no Festival de Mignon do Gianttura: Fatias de mignon curado, pesto de abobrinha, gema no sous-vide em vinho tinto e pó de marisco.| Foto: Divulgação

Mas vamos começar do princípio, com as entradas selecionadas. São duas, Bruschetta de cogumelos e queijo parmesão ou Fatias de mignon curado, pesto de abobrinha, gema no sous-vide em vinho tinto e pó de marisco. Adivinhe qual escolhi: a segunda, claro. A primeira é interessante, bom sabor, mas é mais ortodoxa.

A outra foi uma das melhores sensações de sabor que tive nos últimos tempos, principalmente com mignon. Ele é cozido na cura, passa aquele sabor característico, e é bem escoltado pela abobrinha. Mas daí que vêm os ups. O primeiro, a gema. Cozida em vinho tinto a 51,5º no sous vide. E quando servida, tem o entorno escuro, cor de vinho, e o interior ainda escorrendo. O outro item personal é o pó de marisco, também mais ousado, como só se poderia imaginar do chef; o bichinho é desidratado a 100ºC e batido no liquidificador até virar pó. Daí, espalhado por cima de tudo. Vá por mim, esse prato vale a pena pedir e creio que vai ser incorporado ao cardápio permanente do restaurante.

Beef Wellington, receita (quase) tradicional.
Beef Wellington, receita (quase) tradicional. | Foto: Divulgação
Mignon grelhado, com crosta de salsão e risoto Malbec.
Mignon grelhado, com crosta de salsão e risoto Malbec.| Foto: Anacreon de Téos

Agora vamos, então, aos pratos principais. São quatro, a escolher, dois mais ortodoxos e dois um pouco mais à frente na criação. Tem o clássico Beef Wellington (mignon envolto em massa folhada, aligot com queijo meia cura e molho lardon – feito de lardo, curado e levemente defumado) e o tradicional Mignon grelhado, com crosta de salsão e risoto Malbec. Bem ao gosto daqueles que não abrem mão da segurança dos sabores.

Para os mais ousados, Mignon com molho trufado e tagliatelle artesanal de carvão ativado. Já perguntei de pronto: mas não é com aquele azeite trufado, né, que está virando uma praga na cozinha? Não era, Custódio não faria isso. Ele usa a salsa trufada, importada da Itália, completando o mignon – sempre no ponto desejado – com a massa, que tem, na confecção própria, a inclusão do carvão ativado para dar a coloração escura. Muito bom.

Mignon provençal Gianttura, com a carne grelhada, camarões também grelhados, lula recheada e legumes salteados. Mar e terra, ousado e criativo.
Mignon provençal Gianttura, com a carne grelhada, camarões também grelhados, lula recheada e legumes salteados. Mar e terra, ousado e criativo. | Foto: Nizo Gomide

Mas, para justificar plenamente o nome da casa, tem ainda o Mignon provençal Gianttura, com a carne grelhada, camarões também grelhados, lula recheada e legumes salteados. Surf & turf, diriam os ingleses, Mare i Monti, bradariam os italianos, que também poderiam alardear “gianttura”, pois a palavra vem do dialeto deles, para explicar essas combinações. Nada demais para quem tem no menu oficial uma Barriga de porco recheada de matambre bovino, tartar de camarão, molho de gelatina de camarão e leitão e musseline de berinjela defumada.

Duas sobremesas, para escolher uma delas e completar a refeição: Pêra ao vinho e creme inglês ou Mousse de chocolate, praliné de amêndoas e sorbet de manga.

O Festival do Mignon está disponível para almoço e jantar, vai até o próximo dia 19 de setembro, com opções de entrada, prato principal e sobremesa por R$ 135 e ainda oferecendo uma taça de vinho como cortesia, para cada pedido.

O Gianttura funciona para almoço de terça a sexta (das 11h30 às 15h), sábado e domingo (das 12h às 15h30) e jantar, de terça a sábado (das 19h às 23h), de acordo com os decretos sanitários vigentes. Tem estacionamento próprio e gratuito.

Gianttura – Osteria e Empório

Largo Pedro Deconto, 295, Bigorrilho

Informações e reservas fone: (41) 98744-7557

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]