Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Snack de orelha de porco com molho cren, uma das atrações concebidas no cardápio do Quintal do Porco, em Curitiba.
Snack de orelha de porco com molho cren, uma das atrações concebidas no cardápio do Quintal do Porco, em Curitiba.| Foto: Anacreon de Téos

Bem, já vou adiantando de chofre: foi a melhor experiência gastronômica por que passei nos últimos meses.

Tanto que o Quintal do Porco foi inaugurado no mês passado e, desde então, tem registrado casa cheia, com todas as reservas esgotadas, todos os dias. E olha que o local tem capacidade para 130 pessoas, somando as áreas interna e externa. Prova de que a boca a boca funciona sempre quando é para espalhar as boas e surpreendentes ações, como essa.

No fundo do fundo não me marcou com surpresa a qualidade do que foi apresentado e degustado na abertura do restaurante. Era o que poderia ser esperado, após dois anos de concepção, desde os primeiros dias de implantação de ideias até a consolidação do projeto e a realização final (estágios que acompanhei desde os primeiros momentos).

Mas nada diferente seria de se esperar quando profissionais do nível da chef Eva dos Santos estão envolvidos no processo. Ela é uma das cozinheiras mais talentosas que conheço, desde que, em seus primeiros tempos de Bar do Victor, conseguiu apresentar e agradar com um menu paralelo aos pratos tradicionais do respeitado restaurante, no qual viria a fazer carreira de décadas.

Só que, naquela estrutura, ela acabou engessada pela necessidade de se adequar aos sabores da rede e não mais pode mostrar toda a criatividade que alguns privilegiados tinham em oportunidades de eventos particulares por aí. A ida dela para o Quintal do Porco reavivou todo esse potencial, que pôde ser apreciado na degustação do cardápio da casa.

Importante reconhecer que ela não está sozinha, pois, desde outubro passado, o chef Dudu Poerner, finalista do reality Mestre do Sabor (Rede Globo) e proprietário do aclamado restaurante Dudu, em Balneário Camboriú, chegou para reforçar a parceria.

A contribuição dele foi importante, na fusão de ideias entre dois cozinheiros de linhas bem diferentes e que amalgamaram um viés final, que veio a ser o perfil da bela casa.

Para comer

Bolinho de barreado suíno com tartar de banana.
Bolinho de barreado suíno com tartar de banana. | Foto: Anacreon de Téos

O cardápio é enxuto, propondo cinco tipos de aperitivos, sete entradas e cinco pratos principais, além do Leitãozinho ao Quintal do Porco, que é servido desossado, porcionado e com a pele vitrificada. Ele é cozido à baixa temperatura por 12 horas e finalizado no forno à lenha. Vem de dois tipos, com 21 dias (R$ 420) e 40 dias (R$ 240), pratos para serem compartilhados, conforme o gosto do cliente.

Como acompanhamento, nesses primeiros dias, vinagrete de feijões com cebolas assadas, farofa de banana, salada de couve, supreme de laranja e batatas assada na banha. E pode mudar conforme o passar do tempo, dependendo da sazonalidade dos ingredientes, pois é norma da casa trabalhar sempre com ingredientes de produtores próximos e da estação.

Pão de torresminho, banha de porco moura, com crocantes de batata, cebola e bacon.
Pão de torresminho, banha de porco moura, com crocantes de batata, cebola e bacon. | Foto: Anacreon de Téos

Os petiscos se justificam até mesmo pelo horário de funcionamento do restaurante, que começa a atender às 17h30, já a partir da terça-feira. O que pode sugerir bons momentos de happy hour, nos quais estes petiscos se encaixam com louvor.

Para que se tenha uma ideia, tem o Pão de torresminho, banha de porco moura com crocantes de batata, cebola e bacon (R$ 16). Para os apreciadores de banha, como eu, é de se repetir (como, de fato, o fiz).

Mas me encantei também com o Snack de orelha de porco com molho cren (R$ 38), que chama a atenção pelo formato. Parece um tempura e atraiu a todos em nossa mesa, incluindo os que diziam não apreciar e nunca terem comido orelha.

Tartar de porco moura com pururuca.
Tartar de porco moura com pururuca. | Foto: Anacreon de Téos

As outras opões são Seleção de embutidos do dia, acompanhados do pão da casa (R$ 59), Piporca (pururuca de torresmo crocante, em forma de pipoca - R$ 21) e Dadinhos de pancetta, chutney de abacaxi e picles de cebola (4 unidades, R$ 32).

Das entradas, a que mais chama a atenção na leitura do cardápio é o Acarajé de pernil com vinagrete de pimenta de cheiro (2 unidades, R$ 28), que tem a mesma massa do original baiano, de feijão, com o recheio personalizado na criação da chef.

Mas não dá para desprezar o Tartar de porco moura com pururuca (4 unidades, R$ 42), com a carne picadinha servida sobre quadrados de pele pururuca, proporcionando um interessante contraste ao paladar.

É de se considerar também o Bolinho de barreado suíno com tartar de banana (4 unidades, R$ 38), uma inteligente adaptação de sabor ao clássico prato paranaense. Deliciosa por si só, a Linguicinha de porco moura vem com farofinha de bacon, vinagrete de tomates e pimentões (R$ 41 a porção).

Acarajé de pernil com vinagrete de pimenta-de-cheiro.
Quintal do Porco - Cardápio - Fotografia Gastronômica por @AleCarnieri| Foto: Alexandre Carnieri

Para a escolha do prato principal, as proposta do Quintal do Porco estão entre Costelinha de porco assada lentamente, servida no próprio molho, curau, quiabinho tostado, vinagrete de milho tostado na brasa, com pimenta-de-cheiro (R$ 89), Stinco suíno com demi glace suíno, risoto de parmesão e gremolata de ervas frescas (R$ 99), Prime rib duroc, assado na parrilla, chimichurri caseiro, pupunha e vegetais tostados na brasa (R$ 109) e uma Carbonara do porco – um espaguete de grano duro, com barriga de porco confitada, ervilha-torta, queijos paranaenses e pancetta crocante – (R$ 76).

Costelinha de porco assada lentamente, servida no próprio molho, curau, quiabinho tostado, vinagrete de milho tostado na brasa, com pimenta-de-cheiro .
Costelinha de porco assada lentamente, servida no próprio molho, curau, quiabinho tostado, vinagrete de milho tostado na brasa, com pimenta-de-cheiro .| Foto: Alexandre Carnieri

E aí ainda aparece o único invasor, com a utilização de uma carne estranha ao porco, para a combinação harmonizada do padrão surf & turf: Dadinhos de barriga de porco prensada, tentáculo de polvo, molho de jamón e texturas de cenoura (R$ 99).

Drinques

O bar do Quintal do Porco, de onde saem as inspirações do mixologista Douglas Peres.
O bar do Quintal do Porco, de onde saem as inspirações do mixologista Douglas Peres. | Foto: Rodrigo Oliveira

O novo empreendimento possui uma bem montada carta de vinhos, tem opções de cervejas e chopes e uma boa gama de drinques, por conta do mixologista Douglas Peres vindo do Bar Tan Tan, em São Paulo, único bar brasileiro situado entre os 100 melhores do mundo na lista anual da premiação “The World’s 50 Best Bars” de 2021.

São servidos alguns dos drinques clássicos, dos apreciados Negroni (R$ 34) e Bloody Mary (R$ 32), aos brasileiros Caipirinha de cachaça (R$ 28) e Rabo de galo (R$ 34).

Mas, também há uma lista com a criação do bartender, como o Dirty Collins (R$ 32), que ele já apresentava no Tan Tan e que é uma, digamos, mistura de um Dry Martini com um Tom Collins. Servido no copo alto, leva gin, água com gás, suco de limão siciliano e um xarope de azeitona siciliana. Foi o que eu pedi e pedirei novamente cada vez que for lá. Bem personalizado e, como sou apreciador de gin, deu muito certo.

Mas, ainda da lavra de Peres, tem Dominus daiquiri (R$ 32), Pineapple sour (R$ 32) e Apple mule (R$ 35), este último seguindo a tendência do Moscow Mule, também vem na caneca de cobre, só que utilizando suco de maçã.

O visual

O colorido painel dá o tom alegre e descontraído ao quintal do restaurante.
O colorido painel dá o tom alegre e descontraído ao quintal do restaurante. | Foto: Rodrigo Oliveira

O Quintal do Porco é propriedade da empreendedora Clemilda Thomé e conta com 478,92 m², tendo sido projetado para ser, ao mesmo tempo, um ambiente sofisticado, acolhedor e descontraído, com espaços interno e externo. Tem a área que funciona dentro da casa histórica, tombada, e o amplo quintal, que inspirou o nome do restaurante.

A parede destaque no local é composta por um mural, pintado pelo artista plástico Michael Devis. Além disso, o restaurante tem estacionamento próprio e localização privilegiada, em um imóvel histórico no bairro Mercês.

O projeto de arquitetura e interiores tem a assinatura do arquiteto Jayme Bernardo, com inspiração de remeter à vinda no campo e o resultado é um ambiente bem agradável e aconchegante.

Outras experiências

O ambiente da parte externa, com o forno à lenha e a cozinha ao fundo.
O ambiente da parte externa, com o forno à lenha e a cozinha ao fundo. | Foto: Rodrigo Oliveira

Esta não é, evidentemente, a primeira iniciativa em investir diretamente nos sabores que os suínos podem proporcionar. Em Curitiba, mesmo, no Água Verde, funcionou o Restaurante Pururuka, que depois se tornou empresa de eventos. Na praça 19 de Dezembro também teve o Porcadero, um bar que focava todos os pratos na carne de porco e era ligado ao pessoal da Salumeria Monte Bello.

Isso sem contar com a rede Porks, de indiscutível, que, neste último sábado (12) de março, inaugurou a 11ª loja da capital paranaense do Porks – Porco & Chope, na descontração do bar exclusivamente voltado à carne suína.

Fora daqui, conheci em Limeira/SP um bar chamado Quintal do Porco, também voltado para os petiscos suínos, especialmente a partir de bacon e barriga. E tem, é claro, a grande referência, a Casa do Porco Bar, do chef Jefferson Rueda e de Janaína, sua esposa, que tem uma incrível proposta de variações de sabores em torno da carne suína, incluindo sushis e sorvetes. Não de graça está hoje classificado como 17º melhor restaurante do mundo, de acordo com o "The World’s 50 Best Restaurants".

Linguicinha de porco moura.
Linguicinha de porco moura. | Foto: Anacreon de Téos

Clemilda Thomé e sua equipe estiveram na Casa do Porco Bar e certamente trouxeram algumas inspirações para o restaurante recém-aberto aqui – o que é salutar. Porque o resultado que o cliente obtém no Quintal do Porco está acima de qualquer expectativa de imaginação.

Pelo menos foi assim que aconteceu comigo, mesmo tendo acompanhado o desenvolvimento de todo o processo até a inauguração da casa.

O restaurante funciona de terça a sábado, das 17h30 às 23h30. Sexta e sábado também tem almoço, das 11h30 às 14h30. E domingo tem almoço em horário estendido, das 11h30 às 16h.

É de se voltar sempre. Ou melhor, mais do que sempre.

Serviço:
Quintal do Porco
Av. Manoel Ribas, 540 – Mercês
Reservas: (41) 99570-0539 (WhatsApp)

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:
Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/
Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos
E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]