Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Croquete de siri, Harumaki de pato ao molho gengibre e shoyu e Tempura de milho verde – uma das composições do Full Menu Experience do Tokyo Milano.
Croquete de siri, Harumaki de pato ao molho gengibre e shoyu e Tempura de milho verde – uma das composições do Full Menu Experience do Tokyo Milano.| Foto: Foto: Gui Klaime/ Divulgação

O sucesso de um restaurante tem a ver diretamente com a cozinha. É pela qualidade da comida servida que se reconhece uma boa casa. Por seus sabores, suas texturas e suas sensações.

Resolvido isso, parte-se para o serviço de salão, decoração, conforto e aconchego. Mas nada disso adiantaria se os pratos saíssem da cozinha ou do balcão para chegarem à mesa sem causar a plena satisfação.

E nesse quesito o Tokyo Milano acertou em cheio. A partir do momento que se decidiu pela linha da gastronomia japonesa, tratou de ir atrás de profissionais de destaque na área. E logo, de pronto, estrearam com dois dos melhores que Curitiba conhece: Billy Tatsushi e Luciano Mitiharu Kawano.

Daiane, Luciano, Pedro e Billy, atrás do balcão de onde saem as criativas inspirações para os clientes do Tokyo Milano.
Daiane, Luciano, Pedro e Billy, atrás do balcão de onde saem as criativas inspirações para os clientes do Tokyo Milano. | Foto: Anacreon de Téos

Tatsushi (que já tem sushi até no nome) veio de São Paulo (ex-Kinoshita e Nagayama) para compor a primeira equipe do Aizu, já na inauguração, com Marcos Furtado (está lá até hoje) e Regis Shiguematsu (hoje no Bee.O). Retornou para São Paulo e está novamente em Curitiba para comandar a gastronomia do Tokyo Milano.

Luciano, de seu lado, é uma referência na arte em Curitiba. Foi o primeiro e o melhor sushiman que conheci na cidade, quando os sabores japoneses começaram a nos encantar. Sim, o Luciano do Takô e do Kan, depois do Oka e por último no Aizu, onde teve o azar de entrar semanas antes de iniciarem as restrições da pandemia, saindo logo em seguida.

O resultado do trabalho dos dois juntos é o que atrai, quando se sabe da nova casa. Eles compõem a equipe atrás do balcão, que conta ainda com Pedro Noda (chef de sushi) e da auxiliar Daiane.

Deles é de se esperar tudo de bom. Ainda mais a completar com o desempenho do pessoal do salão, liderado pelo sempre gentil e atencioso maitre Gladson Lopes.

Sunomono e edamame, otoshis para começar a degustação no Tokyo Milano.
Sunomono e edamame, otoshis para começar a degustação no Tokyo Milano. | Foto: Gui Klaime/ Divulgação

O menu

O Tokyo Milano segue dois modelos distintos, um para o almoço e outro para o jantar. No jantar, oferece duas opções para os clientes: ou à la carte ou o Full Menu Experience, composto de dez itens e cerca de 30 peças, fruto da inspiração do sushiman e que vão chegando à mesa na sequência, sempre despertando uma agradável surpresa aos comensais. Custa R$ 149,90 por pessoa.

Pedi esse, quando estive lá. Quem me acompanha aqui sabe o quanto aprecio surpresas, sabores que me surpreendam. E, neste caso, fui plenamente correspondido.

Carpaccio de salmão trufado, um clássico da moderna cozinha japonesa.
Carpaccio de salmão trufado, um clássico da moderna cozinha japonesa. | Foto: Anacreon de Téos

Tudo começa com uma tacinha de Saquê Jun Daiti, para o brinde inicial. Junto, chegam os primeiros petiscos, o Otoshi, a entrada, a escolher entre o Edamame (a vagem verde de soja) ou o Sunomono (o pepino agridoce).

Vem a seguir o Ceviche, bem feito, toque moderado de pimenta, de acordo com o figurino. Daí começam a surgir as criações dos sushimen, a partir do Carpaccio de salmão trufado, com raspas de limão siciliano e flor de sal, que hoje é um clássico nos modernos balcões de sushi.

A etapa seguinte é um Mix de sashimi, com salmão, polvo, linguado e atum. E aí, um parêntese: sempre que disponível, a casa usa o blue finn, o atum do Mediterrâneo, uma iguaria de sabor sem igual e textura macia e cremosa e que leva a fama de ser um dos peixes mais caros do mundo. Servir blue finn significa estar no top da gastronomia japonesa (em Curitiba também pode ser encontrado no Aizu, no Fuji, no Kibô e no Hai Yo, dos que me lembro).

Dupla de sashimi selado: atum com molho agridoce de missô e tobanjan e salmão selado, com trufas temperadas.
Dupla de sashimi selado: atum com molho agridoce de missô e tobanjan e salmão selado, com trufas temperadas. | Foto: Anacreon de Téos

Surge, então, uma Dupla de sashimi selado, o Atum (o normal) com um delicioso molho agridoce de missô e tobanjan (tradicional pimenta da culinária chinesa, feita de mistura especial de chili e feijão fermentado) e o Salmão selado, com trufas temperadas.

Passemos, então, aos sushis. O Mix de sushi oferece niguiris de Blue finn, Carapau, Salmão e Vieira (canadense, é bom que se diga), abrindo espaço para a Dupla de Sushis Especiais, que são mesmo mais do que especiais: Atum blue finn com foie gras selado e Salmão com gema de codorna e ovas de tobiko (peixe voador).

Dupla de sushis especiais: Atum blue finn com foie gras selado e Salmão com gema de codorna e ovas de tobiko (peixe voador).
Dupla de sushis especiais: Atum blue finn com foie gras selado e Salmão com gema de codorna e ovas de tobiko (peixe voador). | Foto: Anacreon de Téos

O Mix de rolls, a próxima atração, é posto à mesa contendo Baterá de salmão, Sriracha (pimenta tailandesa), cebolinha, óleo de gergelim, crisps e ovas de tobiko, mais Uramaki ebitem de camarão e cream cheese, Spicy tuna moído e atum também por fora, com crisps, Filadélfia de salmão e gergelim torrado e um incrível Califórnia desconstruído, com pepino, kani moído e manga (que achei inusitado e muito bom).

Baterá de rolls, com um inusitado Califórnia desconstruído, com pepino, kani moído e manga (à direita).
Baterá de rolls, com um inusitado Califórnia desconstruído, com pepino, kani moído e manga (à direita).| Foto: Anacreon de Téos

Finalizando, os quentes: Harumaki de pato ao molho gengibre e shoyu, Croquete de siri, Tempurá de milho verde e Tempurá de camarão com maionese e ovas apimentadas. Grand finale!!

Não, ainda não. O maitre avisa que o cliente tem direito a repetir o item que mais apreciou. Um saboroso mimo que não se pode resistir.

Claro que ainda teria a sobremesa, um Harumaki de nutella com sorvete de creme.

Para acompanhar, uma boa carta de vinhos, outra de sushis, além dos drinques da casa, bem inspirados e criados.

Não vou ter espaço aqui para descrever o menu à la carte, mas pode ter certeza que é tão inspirado quanto esse que provei. Como é praticamente o mesmo do delivery, registro aqui esse, para se ter uma ideia do que está sendo servido e, talvez, até fazer o pedido: https://tokyomilano.cloudfy.net.br/home.

O bufê do almoço. Completo, com opções frias e quentes, na verdadeira refeição japonesa.
O bufê do almoço. Completo, com opções frias e quentes, na verdadeira refeição japonesa. | Foto: Anacreon de Téos

Almoço

Tudo bem, estávamos satisfeitos, felizes da vida, mas resolvi perguntar ao maitre sobre o almoço, pois tinha a informação que o restaurante oferecia outro estilo de servir naquele horário. Gladson Lopes me falou com tanto entusiasmo do sistema de bufê por quilo, que me intrigou.

Voltei lá, alguns dias depois. Para tirar a cisma que o tempo se encarregou de me alimentar. A de que dificilmente dá certo restaurante de classe, à la carte ou de menu confiança, também se dar bem com o sistema de bufê. Talvez por se dirigir a outro público, pela menor exigência que se tem no almoço de dia útil, sei lá. Mas é histórico isso.

Já de chofre, ao adentrar ao salão, uma ótima impressão. Os preparos estavam todos ali, dispostos no balcão, harmoniosamente diagramados e arrumados. E a boa surpresa (naquela altura já nem sabia mais se era surpresa ou não) se confirmou ao provar tudo o que Billy Tatsushi e sua equipe produziram.

Sashimis e o carpaccio de peixe branco com farofinha crocante.
Sashimis e o carpaccio de peixe branco com farofinha crocante. | Foto: Anacreon de Téos

Tinha sashimis de salmão, de atum (sim, blue finn naquele dia, mas não é sempre que tem), um Carpaccio de peixe branco com farofinha de cebola e cenoura, bem crocante, ótima. Também Atum selado com molho missô (aquele mesmo do menu confiança), mais niguiris, filadélfias e baterás.

Os quentes foram os que mais me impressionaram: Hot Filadélfia, Shiitake na manteiga, Yakissoba, Yakimeshi (Arroz frito com ovos, vagem, cenoura e cebola), Lulas empanadas e Tilápias empanadas. Ok, também tem em outros locais. Mas aí vêm os must: Camarões empanados e Trouxinhas de camarões (ambos combinando com cream cheese), Guioza (com recheio de carne suína), Harumaki de legumes (o rolinho primavera), com o devido molho agridoce, e Kakiagume de legumes (tiras empanadas, como tempurá).

Trouxinha de camarão e mais alguns dos pratos quentes do bufê do Tokyo Milano.
Trouxinha de camarão e mais alguns dos pratos quentes do bufê do Tokyo Milano. | Foto: Anacreon de Téos

Isso tudo por R$ 104,90 o quilo. Vale cada centavo, pela qualidade e pelo sabor.

Tokyo Milano

Quando soube que o nome da nova casa japonesa em Curitiba seria Tokyo Milano, estranhei. O que pode ter a ver uma coisa com a outra? – pensei.

Mas daí soube onde estava localizada e entendi. O novo empreendimento, dos sócios Gian Zambon, Marcelo Lorenzetti, Bernardo Bruschle e Neto Zornig, está situado onde funcionou, por mais de 30 anos, o tradicional restaurante Caffe Milano. O projeto de arquitetura e de interiores foi desenvolvido pelo arquiteto André Henning, que pensou em um conceito cosmopolita, com um lounge bar centralizado (mantida a mesma estrutura do que já existia antes e sempre foi muito bonito) e duas salas que comportam até 110 pessoas – na pandemia, atendendo às recomendações, aceita-se 55 comensais.

Outro motivo de orgulho da nova casa é a tecnologia para limpeza de hortifrúti, materiais de cozinha e louças, contribuindo para a desinfecção do ambiente. A Água Kangen, oriunda do Japão, é uma inovação que ioniza a água e aumenta a concentração de hidrogênio ativo, deixando-a rica em antioxidantes.

Além dos benefícios para o corpo, a Água Kangen contribui para a proteção do meio ambiente, pois é servida em jarras de vidro, diminuindo a produção de lixo do restaurante.

O Tokyo Milano conta, ainda, com um Espaço Kids, exclusivo para crianças entre 3 e 12 anos, e abre para almoço e jantar, de segunda à sexta-feira, das 11h30 às 15h e das 18h30 às 23h. Aos sábados, das 11h30 às 23h.

A fachada do restaurante Tokyo Milano, no Bigorrilho. Nova opção de comida japonesa em Curitiba.
A fachada do restaurante Tokyo Milano, no Bigorrilho. Nova opção de comida japonesa em Curitiba. | Divulgação

Tokyo Milano

Alameda Carlos de Carvalho, 1066 - Bigorrilho

Reservas pelo WhatsApp (41) 3092-1405

Instagram: @tokyomilanosushi

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]