i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Panela do Anacreon

Foto de perfil de Panela do Anacreon
Ver perfil

Novidades gastronômicas em Curitiba e receitas

Receitas

Confira como preparar o pavê de chocolate que tem gosto de infância

  • PorAnacreon de Téos
  • 22/12/2020 13:05
O pavê tem origem francesa, mas aos olhos do autor é um doce tipicamente brasileiro.
O clássico Pavê de chocolate intercala camadas de bolacha tipo champagne com creme de chocolate.| Foto: Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Era presença obrigatória nas festas de família. Havia docinhos miúdos (sim, é redundância, mas era assim que se falava), outras tortas, bolos, pudins e doces dos mais variados. Mas o que atraía mesmo era o pavê de chocolate. Que, com o tempo, minha mãe aprendeu a fazer muito bem, conseguindo a receita tradicional da Julieta, uma prima dela (aliás, muito querida).

Quando ela anunciava que teríamos o tal pavê, era uma alegria só entre as crianças. E, mesmo depois, com as já não tão mais crianças. É que o doce é tão simples que pega exatamente simplicidade no sabor e que, tanto dantes quanto nos dias de hoje, nos remete à infância e àquela vontade incontrolável de comer um chocolate cremoso.

Algumas dicas e cuidados devem ser tomados. Quando decidi reabilitar a receita, depois de tantos anos, minha mãe advertiu para algumas peculiaridades. Usar chocolate em pó e jamais um achocolatado, que é mais doce e, na maioria das vezes, ultraprocessado. Tudo natural, justamente para ficar como antigamente.

Outra recomendação: manteiga, jamais margarina, que é sintética e ultraprocessada. O sabor da manteiga vai combinar com as gemas e com o chocolate e incorporar textura. Para completar: a bolacha champagne precisa ser daquelas com açúcar cristal ou então irá murchar na composição do doce.

A origem

Por mais que tenha toda uma linhagem francesa, inclusive no nome (que derivaria de pavage, que significa pavimento, para descrever que o doce é montado em pavimentos, com camadas), o pavê é um doce brasileiro. Vem do tempo do império, quando as cortes usavam e abusavam do chocolate produzido a partir do cacau da Bahia. E se espalhou pelo país inteiro, ao ponto de ser popular tanto em grandes centros quando nas pequenas cidades do interior.

E em toda parte gerou aquele comentário já esperado: “é pavê ou...?” – não, não, é muito infame, não vou completar. É bem melhor aproveitar e comer o quanto der. Experimente fazer, vale a pena. Bom apetite!

Este pavê de chocolate é rápido e fácil de fazer.
| Fernando Zequinão/Gazeta do Povo

Pavê de chocolate da Julieta

INGREDIENTES

  • 300 g de manteiga em temperatura ambiente
  • 300 g de açúcar
  • 8 gemas em temperatura ambiente
  • 8 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 4 colheres (sopa) de leite em temperatura ambiente
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • Leite e baunilha suficientes para umedecer as bolachas
  • 600 g de bolacha champagne com açúcar cristal

PREPARO

  • Bata a manteiga com o açúcar, até ficar um creme bem liso. Junte as gemas, bata e acrescente a baunilha e logo depois o chocolate (uma colher de cada vez). Ponha por último o leite, colher por colher, até dar a consistência desejada.
  • Comece a montagem do pavê distribuindo uma camada do creme no fundo de um pirex. Em outro recipiente, coloque um pouco de leite e algumas gotas de essência de baunilha e vá molhando as bolachas ligeiramente e já colocando em cima da massa no pirex.
  • Alterne as camadas até acabarem a massa e as bolachas. Leve à geladeira para firmar. Fica ótimo quando feito de véspera ou até dois ou três dias antes.

LUIZ AUGUSTO XAVIER, jornalista, apaixonado pelos prazeres da gula, cozinheiro nas horas vagas, sempre atrás de novas experiências e novos sabores.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    Ae Carvalho

    ± 0 minutos

    Fantástico. Será a sobremesa do Natal e, por causa das restrições, somente eu e meu marido vamos nos jogar nessa gostosura. Obrigada!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso