i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Paraná S.A

Foto de perfil de Paraná S.A
Ver perfil
Agronegócio

Acordo com UE estimula produtores paranaenses a brigarem por selos de origem

  • PorMariana Ceccon
  • 05/07/2019 15:54
fórum-origens-do-parana-reune-agricultores- Crédito Adriano Oltramari SebraePR
Reunião desta quinta-feira (4) definiu três etapas de trabalho, que vão desde análise de oportunidades até criação de pontos de venda para produtos já certificados.| Foto: Adriano Oltramari/Sebrae-PR.

O acordo comercial firmado na semana passada, entre a União Europeia e o Mercosul, colocou agricultores e pecuaristas paranaenses em uma corrida contra o tempo. De olho nas vantagens obtidas para o agronegócio, os produtores do estado organizam-se para obter selos de Indicação Geográfica para produtos originalmente paranaenses, como o barreado, a bala de banana e o porco moura, já pensando nas exportações.

Também entram nessa conta a erva-mate, mel, cachaça, queijo, uva, goiaba e ginseng de produtores que querem ser reconhecidos em coletividade, como originários de uma região fornecedora de itens de alta de qualidade e com tradição histórica.

Nesta quinta-feira (4), empresários do setor, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento (Mapa), membros de universidades e do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) reuniram-se no Fórum Origens do Paraná, em Curitiba, para discutir como obter Indicações Geográficas para o estado. A liga é encabeçada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e, desde o início deste ano, debate questões relativas a certificação.

A novidade para o grupo é que com o acordo internacional, a luta pelas indicações ganha um novo fôlego.

“Os benefícios do acordo não acontecem a curto prazo, mas são diretos, porque vai existir reconhecimento formal da União Européia em relação a cada produto que for exportado. As discussões sobre as Indicações Geográficas ficarão ainda mais fortalecidas”, comentou a analista de inovação do Sebrae Nacional, Hulda Giesbrecht, durante a reunião do fórum.

A analista ainda ressaltou que a entrada do Brasil no Protocolo de Madri, que simplifica e desburocratiza o registro internacional de marcas, também é outro fator que estimula a luta do Fórum pelo reconhecimento histórico dos produtos de seus coligados.

A coordenadora estadual de agronegócios do Sebrae, Andreia Claudino, comenta que apesar dos critérios do acordo ainda não estarem definidos, já é possível comemorar uma maior facilidade de acesso à informação e unificação de procedimentos para exportação e importação. “O Paraná, que já é um grande exportador de commodities, também poderá ser reconhecido por seus produtos diferenciados, vinculados à produção familiar e de pequenas associações”, disse Andreia.

“Um exemplo é a região de Carlópolis, que já possui o registro de Indicação Geográfica de suas goiabas e recentemente obteve a certificação Global Gap, uma exigência da maioria dos mercados europeus. Esses tipos de selos criam uma nova possibilidade de mercado para esses produtores, que além de atender o mercado institucional, podem entrar em um nicho de exportação e fazer vendas de valor agregado maior”, explica a representante do Sebrae.  

Hoje, o Paraná possui sete territórios com esse tipo de registro: São Mateus do Sul, com a erva mate e derivados; Norte Pioneiro, com os cafés especiais; Carlópolis, com a goiaba de mesa; Oeste do Paraná, com o mel; Colônia Witmarsun, com o queijo colonial; Marialva, com as uvas finas de mesa; e Ortigueira, com o mel.

Outros cinco territórios estão brigando para chegar no mesmo patamar: Capanema, com melado e derivados; Morretes, com a cachaça; Antonina, com a bala de banana; e o litoral com barreado e farinha de mandioca.

No país, existem 71 registros do tipo, concorrendo como outros 10 mil produtos que possuem selos de indicação geográfica no mundo todo e que movimentam mais de 50 bilhões de euros.

“Estamos planejando uma agenda de ações de acordo com os estágios em que os produtores se encontram, oferecendo as orientações e capacitações necessárias”, comentou o diretor de operações do Sebrae-PR, Julio Agostini.

“Vamos continuar trabalhando forte para termos o reconhecimento nacional e internacional nesse processo”, arremata o diretor.

Entre os planos decididos nesta quinta-feira (4) está a divisão dos trabalhos do grupo em três estágios: produtores que precisam passar por um diagnóstico e análise de oportunidades, estruturação de associação de produtores para atender os requisitos dos selos e a criação de canais de comercialização, para aqueles que já são certificados.

Também foi lançado um website para reunir informações e atas dos encontros. “Queremos melhorar as condições de produção e de mercado dos produtores do Paraná, além de entender de que maneira as entidades parceiras podem colaborar. É essencial organizar esse processo para explorar o potencial dos nossos produtos da melhor forma possível”, afirmou o coordenador do Fórum e produtor de erva-mate, Helinton Lugarini.

A próxima edição do Fórum deve acontecer no dia 15 de agosto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.