i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Paraná S.A

Foto de perfil de Paraná S.A
Ver perfil
Carsharing

Serviço de carro compartilhado promete renda extra de mais de R$ 2 mil por mês

  • PorCamila Machado
  • 03/07/2019 14:00
Serviço de carro compartilhado promete renda extra de mais de R$ 2 mil por mês
| Foto: divulgação.

Cobrir as despesas do veículo – como IPVA, seguro e licenciamento – e ainda prover renda extra para os proprietários é o que promete o aplicativo paulista de carro compartilhado MoOBie. Em Curitiba há pouco mais de um ano, a plataforma anunciou neste mês expansão para todo o estado do Paraná, com aporte de R$ 15 milhões.

O serviço é similar ao de uma locadora de veículos, mas o trâmite ocorre entre pessoas físicas. Com o MoObie, o proprietário do carro oferta seus veículo para alugar e os usuários da rede encontram os que têm o preço e modelos que mais lhe agradam. Atualmente, o serviço contabiliza em Curitiba mais de 9 mil usuários cadastrados e 640 automóveis disponíveis para locação.

O curitibano Francisco Javier Gil é um dos locatários e utiliza a plataforma desde o início da operação na cidade, em agosto de 2018. De lá para cá, ele “emprestou” seu carro para 14 pessoas diferentes.

“Toda a contratação é feita online. É um dinheiro extra, já que, diariamente, eu utilizo muito o transporte público e o Uber e meu carro acaba ficando parado na garagem”, explica Gil.

“Aluguei meu veículo, inclusive, no último final de semana. Viajei para fora da cidade e, com a renda extra que faturei, cobri 40% dos custos do meu passeio. Na garagem , o carro não me traria nada”, finaliza o proprietário.

Sobre o público que usa o serviço, o perfil é bastante variado. “São pessoas que estão com seus próprios veículos no concerto, ou que não têm carro, ou ainda famílias que estão em viagem e precisam de um veículo para aproveitar melhor os passeios”, conta Tamy Lin, CEO e fundadora da plataforma.

O download do MoObie é gratuito e é possível adquirir o app nos sistemas operacionais IOS e Android.

Tamy Lin é CEO e fundadora do MoObie. Foto: divulgação.
Tamy Lin é CEO e fundadora do MoObie. Foto: divulgação.

Renda extra

De acordo com o MoObie, um usuário que tem um hatch com ar condicionado, por exemplo, e deseja alugar o veículo por 15 dias, pode faturar mais de R$ 1 mil. Se o modelo for um sedan básico, o valor pode subir para R$ 1.400. Já para um SUV completo, para as mesmas duas semanas , é possível receber R$ 1.755. Para 30 dias, os valores dobram.

O pagamento para o MoOber – como o serviço chama o proprietário do veículo – é autorizado pela empresa depois da retirada do carro pelo cliente e é cobrada uma taxa de 20% para cada pedido aceito.

Expansão

Além de Curitiba, o serviço do MoObie já está em cidades como Campo Largo, Maringá, Londrina, Cascavel, Cornélio Procópio, Bandeirantes, entre outras. Segundo a CEO da empresa, a ideia é crescer também para outros estados do Sul. “O crescimento da plataforma ocorre na medida em que o conceito de carsharing passa a ser cada vez mais compreendido pelos brasileiros”, pontua Tamy.

A empresária, que já atuava na área de mobilidade na Secretária Municipal de Transporte de São Paulo, diz colocar no MoObie também o seu propósito. “Acredito muito na ideia. O conceito de economia compartilhada, que aplicamos na empresa, vai de encontro à tendências mundiais de serviços”, explica.

Regras

A plataforma atende tanto quem precisa de um carro temporariamente quanto quem quer alugar o seu próprio. Para o primeiro caso, pelo aplicativo, o usuário escolhe o veículo deseja, por localização. Depois de escolhido o modelo, é combinado um horário e local de retirada – todas as locações são protegidas por uma apólice de seguro.

Para quem quer anunciar o carro é preciso cadastrar o veículo, com fotos e descrição, e aguardar o contato da MooBie – tudo pelo app. Depois de aprovado, a autonomia de aceitar pedidos e reservas é toda do locatário. Os trâmites também são garantidos por uma apólice de seguro de responsabilidade da plataforma.

Como em outros serviços de compartilhamento, como o Uber e o Airbnb, o MoOvie também funciona com um sistema de avaliação e os usuários dão notas pelo serviços prestados.

De acordo com o site da MoObie, a plataforma orienta o parceiro deixar o carro sempre com o tanque cheio antes de uma locação. A devolução deve ser feita da mesma maneira.

Testamos

A equipe de Paraná S/A baixou ao aplicativo para conferir os preços para quem quer alugar um veículo. Depois de acionada a geolocalização, o app filtrou opções a partir de R$ 55 a diária para um Peugeot SW XR Sport. Para o modelo de um Fiat Punto ELX 1.4 Fire, o preço subia para R$ 75. Já para um modelo superior, como um ETIOS XLS 1.5 Fire, a diária saia por R$ 98. Um Fiesta Sedan TITANIUM 1.6 custa R$ 154 o dia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.