Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
raquel-dodge-pgr
Raquel Dodge não está entre os 10 candidatos à PGR para compor lista tríplice| Foto: Antonio Augusto / Secom / PGR

Os membros do Ministério Público Federal mandaram mais um recado indigesto para a atual procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge.

Nesta quarta-feira (5), 82% dos votos dos procuradores foram depositados no nome do procurador regional Silvio Amorim, para compor a lista tríplice para uma vaga no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O representante do MPF no CNMP é escolhido dentre os nomes da lista pela PGR.

Franco favorito, de atuação aprovada pela carreira, Amorim já teve embates com Dodge, que preside o CNMP enquanto chefe da PGR. O procurador regional também já a criticou na rede interna de mensagens dos membros do MPF, acusando-a de patrocinar manobras e de não dialogar com a classe.

Criticada pela maioria da carreira, Dodge escolheu não se submeter à lista tríplice organizada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para buscar a recondução ao cargo de PGR. Avaliava que poderia fazer feio em não ter o nome sequer entre os três mais votados.

A eleição de Amorim, que teve mais que o dobro de votos do segundo nome da lista, confirma a tendência. As candidatas que a carreira percebia como apoiadas por Dodge não irão sequer para a lista tríplice do CNMP.

A grande pergunta dos últimos dias não era se Amorim seria o mais votado, mas quão mais votado seria. O recado foi dado.

Confira entrevistas com os candidatos à PGR:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]