Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
smart cities
Já existem inúmeras oportunidades de trabalho para quem quer tornar sua cidade mais inteligente.| Foto: Foto de Aleksejs Bergmanis no Pexels

2021 marca os primeiros dez anos de atuação do iCities, empresa que nasceu em Curitiba para levantar o debate sobre cidades inteligentes ou "smart cities" e apresentar soluções ao mercado, e que hoje é um hub de oportunidades.

Quando iniciamos nossa jornada, em 2011, falar sobre smart cities e fomentar eventos nesse ambiente de inovação não só era algo pioneiro no Brasil, como gerava certa desconfiança, tanto do poder público quanto da iniciativa privada.

Mas acreditamos na importância do desafio e seguimos em frente.

A última década testemunhou alguns grandes marcos protagonizados pelo iCities

Smart City Expo Curitiba

Trata-se do maior evento brasileiro de cidades inteligentes, o que realizamos desde 2018 com a chancela da Fira Barcelona.

Carta Brasileira de Cidades Inteligentes

A Carta Brasileira de Cidades Inteligentes é um documento construído em conjunto com agentes do ambiente público, acadêmico e privado, que trabalham e fomentam o ecossistema de smart cities no Brasil.

iCities Academy

Iniciativas como o iCities Academy como capacitam profissionais e acadêmicos de todo o país como propagadores de soluções de cidades inteligentes.

E agora...

Nosso primeiro curso, o Smart City Expert, está formando sua primeira turma de especialistas, após dez módulos de ensino em formato híbrido, com a participação de professores que estão entre os maiores nomes brasileiros em smart cities.

Formar especialistas nessa área ainda nova no Brasil, mas de enorme potencial, é uma das missões mais importantes do iCities.

É dessa forma que o país vai avançar na adoção de tecnologias e de práticas que proporcionem qualidade de vida para todos os cidadãos, em cada rua de cada pequeno município, em cada projeto imobiliário de nossas metrópoles.

Precisamos de profissionais sensíveis ao desenvolvimento de soluções inteligentes para todas as áreas da nossa vida. Hoje conseguimos destacar pelo menos 10 oportunidades de trabalho em smart cities que vêm ganhando força. Confira:

1- Data miner e análise de dados

Uma das tendências da Tecnologia da Informação (TI), a mineração de dados ganha espaço em setores como comunicação, educação e negócios.

É a aplicação da metodologia de pesquisa estatística e de técnicas computacionais para descobrir padrões e tendências úteis em bancos de dados. Isso ocorre pela combinação de ferramentas matemáticas com inovações tecnológicas, como a inteligência artificial e o machine learning.

As empresas e as cidades estão enxergando cada vez mais a necessidade de desenvolver riquezas não materiais, como conhecimento e competências, com uma mudança na importância dos fatores de produção, dando prevalência ao capital humano, estrutural e intelectual.

O data mining entrega valor para as empresas e traz oportunidades para os especialistas da área. Os graduados em Banco de Dados são procurados por aumentar o capital intelectual, aportando conhecimento para tomar decisões, desenvolver estratégias, e identificar oportunidades.

2- Desenvolvedor de aplicativos

Temas como Cidade 4.0, interação com cidadão, desburocratização, governança e gestão pública ágil permearam o segundo módulo do curso Smart City Expert.

Dentro desta seara de criação e desenvolvimento de mecanismos e políticas públicas para desenvolver o “cidadão 4.0”, o trabalho do desenvolvedor de aplicativos, softwares e plataformas (geralmente ligado à TI) é essencial no incentivo e na aproximação cidadã nas decisões municipais.

Alguns desses aplicativos já se tornaram realidade em projetos de que o iCities participa, como a Cidade da Saúde e do Saber, em Passos (MG), e no Curitiba Smart Hack, que realizamos no último mês de março.

3- Profissionais de sistemas de mobilidade

Outra temática bastante em alta no panorama do planejamento das cidades inteligentes envolve a mobilidade urbana, em que profissionais com um novo olhar trazem insights sobre os novos modelos sustentáveis, integrando a mobilidade elétrica, a micro-mobilidade (com patinetes, por exemplo), a mobilidade ativa e a integração de modais.

Além disso, aplicar esses conhecimentos ao planejamento focado no transporte público eficiente também é essencial e desafiador, diante do cenário pós-pandêmico que se apresenta diante de nós.

Empreendedores e programadores que desenvolvem soluções em segurança viária e acessibilidade também têm sua atuação ampliada neste cenário.

4- Profissionais de Internet das Coisas (IOT)

Ao se pensar a cidade como uma plataforma tecnológica, que interconecta todos os setores e necessidades dos cidadãos, abre-se caminho para os desafios da digitalização urbana, em que a Internet das Coisas (IOT) é uma das possibilidades aplicadas.

Nesse sentido, profissionais que aplicam e adaptam tecnologias disponíveis para melhorar a gestão urbana, com Big Data, geoprocessamento e georreferenciamento, além das soluções de inteligência artificial, estão ganhando seu espaço em empresas e gestões públicas.

5- Arquitetos e “planejadores urbanos”

O planejamento urbano enquanto fator de desenvolvimento social foi abordado no módulo 5 do Expert, apresentando cenários para arquitetos, urbanistas e “planejadores urbanos”, para que possam criar melhores diretrizes para o planejamento urbano, utilizando dados, interagindo com a população, além de estabelecer critérios para que novos loteamentos se tornem bairros planejados e alinhados ao Plano Diretor do Município.

Essa oportunidade em smart city está bastante relacionada aos profissionais de mobilidade urbana, mas com maior enfoque nos aspectos sociais e econômicos do planejamento das cidades.

6- Empreendedores profissionais de TI e administradores

A nova economia e os novos modelos de negócio abriram um filão para empreendedores de startups e ecossistemas de inovação.

Para isso, levam vantagem os profissionais capacitados nos diferentes modelos desse ecossistema público e privado, que conhecem o papel de cada um dos atores, as Leis de Inovação no Brasil (federais, estaduais e municipais), os “habitats de inovação” e parques tecnológicos, que possibilitam colocar em prática num ambiente controlado (living labs) as soluções para smart cities.

7- Profissionais da saúde e educadores

Não se constrói nem se moderniza uma cidade sem profissionais da saúde e educadores, empenhados com a inclusão dos cidadãos por eles atendidos, marcados pela resiliência das rotinas de trabalho profundamente impactadas pela pandemia e as restrições do isolamento social.

Uma smart city, cada vez mais, vai depender do engajamento e da atuação de profissionais capacitados em setores essenciais como Saúde e Educação.

8- Especialistas em Direito Digital e contratos públicos

Um dos módulos que mais mobilizou atenções dos alunos do Expert foi justamente sobre as Parcerias Público Privadas (PPPs) e contratos públicos.

Tornou-se imperativo conhecer os meandros que envolvem o Direito Digital – não somente para advogados e conhecedores da legislação, mas profissionais e empreendedores que buscam ter entre seus clientes órgãos públicos, prefeituras e governos estaduais.

Vale destacar também nesta categoria os especialistas em governança e compliance, intimamente ligados à condução de negócios éticos entre a iniciativa privada e o poder público.

9- Engenheiros civis e urbanistas

Outro movimento que cresceu e chamou a atenção dos investidores na última década, o ESG (práticas sociais, sustentáveis e de governança corporativa, da sigla em inglês) traz oportunidades para profissionais especializados em meio ambiente, sustentabilidade e negócios.

Engenheiros ambientais, engenheiros civis e urbanistas levam vantagem, mas o campo está aberto para quem se capacitar e aproveitar as chances abertas pelo mercado.

10- Especialistas em redes e fontes renováveis de energia

As cidades passaram a seguir uma visão de sustentabilidade energética, com modelos de negócios relacionados aos sistemas energéticos urbanos, explorando tecnologias existentes, cases de sucesso, além de entender o papel dos municípios, das concessionárias e empresas fornecedoras de soluções no desenvolvimento dos projetos. Tudo isso gera oportunidades para especialistas em redes e fontes renováveis de energia, em todo o país.

*Eduardo Mazzarolo Marques é sócio-diretor e diretor de estratégia e finanças do iCities, hub de soluções para cidades inteligentes que organiza a edição brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo, o Smart City Expo Curitiba, entre outras iniciativas de fomento ao ecossistema de smart cities no Brasil, como a Academy iCities, que oferece programas de especialização em cidades inteligentes, entre eles o Smart City Expert.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]