Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
open-source
Open source pode impulsionar a aceleração digital na esfera pública| Foto: ShutterStock/Reprodução

O chamado open source nada mais é do que um software de aceleração digital, para a transformação de serviços e funcionalidades pelo mundo. Ele integra desde sistemas como o Android e aplicativos de bancos, até o PIX e o e-commerce, com soluções que fazem parte do nosso dia a dia. Como o nome sugere, se trata de um código aberto, projetado para ser acessado pelo público. Dessa forma, todo usuário pode modificar e distribuir o open source conforme suas necessidades, com mais segurança, flexibilidade, maior escala, menor tempo de resposta e redução na probabilidade de erros.

Líder mundial no fornecimento de soluções empresariais open source, o Red Hat realizou em 2021 uma pesquisa com mais de 1.250 executivos, revelando que o uso dos softwares de código aberto se tornou ainda mais comum no âmbito corporativo. Cerca de 90% dos entrevistados usam ao menos um software de código aberto para fins corporativos. E 54% deles decidiram empregar os recursos para avançar na transformação digital, apostando em tecnologias como nuvem híbrida e automação.

Esse caminho também vem sendo trilhado na esfera pública. Um exemplo foi apresentado esta semana, no evento online que o iCities organizou para a Red Hat, apresentando cases em que o open source impulsiona a transformação digital de estados e municípios. O governo de Pernambuco, por meio de sua Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, lançou a Usina Pernambucana de Inovação – hub de inovação pública do governo estadual, para impulsionar o setor de forma colaborativa.

Além disso, a Caravana da Inovação mapeou mais de 300 instituições que fomentam a inovação em Pernambuco, para cocriar de acordo com as vocações de cada região, de forma assertiva. O projeto de interiorização de territórios mais inteligentes, segundo o diretor de transformação digital da secretaria, Claudio Nascimento, vem para promover condições para maior competitividade pernambucana que favoreçam a transformação social, melhora da qualidade de vida e da prosperidade baseadas em conhecimento, aprendizagem e inovação.

Os órgãos governamentais precisam modernizar e transformar seus serviços para acelerar a adaptação às novas necessidades e atender às expectativas dos stakeholders. “Oferecemos um framework aberto e um extenso portfólio de soluções para ajudá-los a acelerar a inovação unindo pessoas, processos e tecnologias. Com a nossa ajuda, esses órgãos aproveitam o que há de melhor em inovação open source e conseguem diminuir os riscos”, explica Marcelo Faustino, government sales manager da Red Hat Brasil.

Segundo o especialista, as soluções são testadas e certificadas para ajudar os órgãos governamentais a cumprir suas missões de forma mais segura, eficiente, ágil e rápida. Na prática, não se trata de uma aplicação massiva e intensa na prestação de serviços públicos, mas de uma estratégia inteligente, pautada pelas melhores referências internacionais. Competência e tecnologia já estão à disposição. Basta um maior entendimento da urgência em avançar nesse processo.

Afinal, é preciso, mais do que nunca, desburocratizar para desenvolver.

*Caio Castro é sócio-diretor e diretor de relacionamento com mercado do iCities, hub especializado em projetos e soluções para cidades inteligentes, que realiza desde 2018 o Smart City Expo Curitiba, edição brasileira do maior evento de smart cities do mundo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]