i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Talento em Pauta

Foto de perfil de Talento em Pauta
Ver perfil

Assertividade e inteligência emocional

  • PorBernt Entschev
  • 26/04/2019 11:07

Traduzindo em poucas palavras posso dizer que inteligência emocional é a capacidade de avaliar os seus sentimentos e os sentimentos das outras pessoas, fazendo com que essas duas realidades se cruzem e se tornem algo produtivo, assertivo. Quem tem ou desenvolve essa habilidade leva bastante vantagem no mercado de trabalho. Para quem deseja cargos de liderança, digo que a inteligência emocional é requisito de extrema importância para se alcançar resultados expressivos com a equipe.

Lendo Daniel Goleman, estudioso do tema, com publicações distintas sobre o assunto, identifico em uma de suas obras algumas dicas bastante salutares. Separarei cinco delas, que mostram como melhor aplicar a inteligência emocional no dia a dia. A primeira delas é o autoconhecimento emocional que é tudo aquilo que acontece com você. É importante saber como você rende ou se comporta quanto está cansado, preocupado, com inúmeras prioridades para resolução etc. Identificar esses picos vai lhe ajudar em outro ponto: controle emocional, ou seja, como lidar com essas emoções.

Exemplificando: se estou com raiva em meio a uma reunião, é imprescindível não explodir, senão o resultado certamente tende a ser pífio. E assim se deve agir em outras situações, adequando para cada realidade.

A segunda é a automotivação, ou seja, se eu sei que o meu comportamento é de determinada forma, vamos usá-lo para atingir os objetivos, buscando o melhor resultado. Ou seja, se eu me conheço ficará mais fácil de direcionar as forças para o resultado, evitando confrontar com as fraquezas.

As duas outras habilidades que selecionei, referem-se as outras pessoas. O exercício é reconhecer no outro as mesmas emoções que você sente. Essa combinação vai trazer inúmeros benefícios no seu dia a dia.

Ao longo da minha carreira tive inúmeros chefes e clientes. Lembro-me de um gestor, lá no início da minha trajetória profissional. Essa pessoa era de difícil trato, mudava de humor ao sabor da hora do dia, da estação do ano etc.  Então eu e meus colegas aprendemos que para conseguir êxito com ele era necessário antes identificar para onde apontava o seu ponteiro emocional.

Claro que isso gerava uma expectativa em todos nós da equipe, porque estávamos, sem querer ou saber, exercitando nossa inteligência emocional. Porém, ele como líder não fazia questão de se colocar em nosso lugar, a via era de mão única, então os resultados poderiam ser melhores se houvesse essa contrapartida de nosso chefe. Muito capacitado, penso que, se ele tivesse desenvolvido a inteligência emocional, seria um líder altamente produtivo, mas faltou esse cuidado por parte dele e o apoio da própria organização em identificar essa necessidade de desenvolvimento.

A última habilidade que destaco são os relacionamentos interpessoais. Pessoas que sabem lidar com outras pessoas fazem a maior diferença no mercado de trabalho. E isso não vai cair em desuso tão cedo. Com o advento dos computadores e máquinas que fazem grande parte das atividades técnicas, cada vez mais as atividades entre indivíduos são as que restarão no mercado de trabalho e vai se sobressair aquelas pessoas que sabem lidar com diferentes perfis de profissionais.

Minha dica final vai para as lideranças empresariais e para aqueles profissionais que atuam em recursos humanos: como anda a inteligência emocional de seus gestores? Pare, pense e aja. Se a sua resposta é um ‘não sei’ redondo ou um ‘mais ou menos’ faça algo imediatamente e ajude a sua equipe a desenvolver habilidades além da parte técnica, que provavelmente, eles já o fazem com maestria.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.