i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Você, amanhã

Foto de perfil de Você, amanhã
Ver perfil

Um guia de navegação para o futuro em um mundo exponencial e em transformação

Inovação

Como a inovação vai impactar em você amanhã?

  • Allan CostaPor Allan Costa
  • 25/02/2020 10:29
Como a inovação vai impactar em você amanhã?
| Foto: Unsplash

O mundo mudou. Estamos passando por transformações nunca antes vistas. Tecnologias exponenciais aceleram a velocidade nos negócios. Ideias disruptivas estão criando e destruindo mercados em ritmo alucinado. A maioria das profissões do futuro ainda nem foi inventada. A inteligência artificial vai criar soluções e ameaças em igual proporção. Os robôs dominarão os ambientes à nossa volta.

Eu poderia passar a coluna inteira enfileirando clichês como esses, com os quais provavelmente você se depara a toda hora e que não causam mais qualquer impacto. Afinal, ok, você já sabe de tudo isso.

Mas a questão é que, em meio a tantos chavões desgastados a respeito do assunto, a pergunta mais importante raramente vem à tona: qual é o impacto que todas essas coisas irão causar, se é que irão causar, na sua vida, no seu dia a dia, na sua carreira ou no seu negócio?

Se você acredita, como eu, que esse é o debate que realmente importa, eu tenho uma ótima notícia. A partir de hoje, é exatamente a isso que esse espaço estará dedicado: a refletir sobre você amanhã. Mas sem sopa de letrinhas e muito menos tentativas de pintar a tecnologia, a inovação e a transformação como se fossem bichos feios, bravos e cabeludos que vão devorar você. Pelo contrário, vamos fazer isso de uma forma divertida, leve, e que torne concreto e tangível esse impacto potencial. E ao fazê-lo, espero que você tenha uma perspectiva muito mais bacana e pé no chão, que lhe permita não só compreender o que muda em sua vida amanhã. Mas, principalmente, que o que discutiremos aqui influencie você a agir de maneira mais consciente e menos sujeita ao sensacionalismo que muitas vezes ronda temas da moda.

Por exemplo, que tal começarmos falando a respeito da palavrinha mais usada hoje em empresas de qualquer tamanho e de qualquer setor? Sim, você provavelmente já a escutou também: inovação.

Para onde olhamos, tem alguém falando sobre inovação. Nas palestras, nas mídias sociais, nos eventos. Mas enquanto várias pessoas se engajam na discussão sobre o tema, existem muitas outras prestes a correr para as montanhas, sentindo-se meio desesperadas, já que ouvem a palavra inúmeras vezes e não enxergam toda essa inovação ao seu redor. E aí, vem aquela sensação de deslocamento. “Será que só eu não estou inovando?”.

Se em alguns momentos você também se sente assim, eu tenho mais uma boa notícia: inovação, no Brasil e em tempos recentes, se tornou algo que eu costumo comparar com o que era o sexo na minha época de adolescente. Todo mundo falava do assunto, mas quase ninguém fazia. E a maioria dos que diziam fazer, ou estava mentindo ou estava fazendo errado.

Inovação deve ser percebida por uma ótica muito mais aplicável e prática do que vemos em boa parte das vezes. Também deve levar em conta que inovar não depende necessariamente de tecnologia, outro equívoco comum. Inovar quase sempre tem relação com fazer o simples, com descomplicar a forma como as coisas são feitas, com ser capaz de pensar com a cabeça do cliente. É entender as dores de quem usa o serviço ou produto e encontrar jeitos, repito, simples, de amenizar essas angústias. Para isso, até podemos usar tecnologias exponenciais e disruptivas. Mas, no final do dia, o que faz e sempre fará de fato a diferença na equação é a capacidade humana de promover transformação. É por isso que, quando falamos de inovação, muito antes de pensar em tecnologia, devemos nos preocupar com mentalidade e cultura.

E é exatamente sobre essas e outras coisas que conversaremos aqui, nesse espaço, todas as terças. Sobre transformação concreta. Sobre ação informada. E, principalmente, sobre você amanhã.

Vamos juntos?

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • N

    NAIRA L P ARRUDA

    ± 0 minutos

    Vamos, muito bom ler vc por aqui!! Sucesso!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso