*

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Caixa Zero
Blog Caixa Zero

Líder de Rafael Greca diz que protesto de servidores na Câmara foi ato de “terrorismo”

Protesto na Câmara. Foto: Pedro Serápio/Gazeta do Povo.
Protesto na Câmara. Foto: Pedro Serápio/Gazeta do Povo.

Os vereadores de Curitiba ligados ao prefeito Rafael Greca (PMN) criticaram duramente nesta segunda o protesto dos sindicatos feito na semana passada. Contrários ao ajuste fiscal de Greca, os sindicalistas se posicionaram na porta da sala onde a Comissão de Legislação se reunia. O ato foi chamado até de terrorismo.

Os vereadores e o presidente do Instituto de Previdência do Município, José Taborda Rauen, que falava sobre o plano, foram sitiados. Só depois de muita negociação os vereadores tiveram permissão para sair, já na madrugada.

O líder do prefeito Greca na Câmara, vereador Pier Petruzziello (PTB), classificou a atitude dos servidores de “terrorismo”. Pier disse que a Câmara fez bem em restringir o acesso dos servidores durante a reunião – a primeira a analisar os projetos do ajuste fiscal.

“Vamos ver, de fato, quem são populistas e demagogos. Quem vai votar com consciência, com liberdade, pensando na cidade”, disse Pier.

Leia mais: Entenda como o pacotaço de Greca afeta a sua vida

Outro que criticou com veemência o protesto do funcionalismo foi Dr. Wolmir (PSC), presidente da Comissão de Legislação. “O vereador Mauro Bobato foi atacado, não pôde sair. O presidente do IPMC também. Tem pessoas boas nos sindicatos, mas tem laranjas podres também”, disse. Segundo ele, a ação dos sindicatos foi “coisa de marginal”.

A restrição à entrada de mais pessoas foi criticada pelos vereadores de oposição. Professora Josete, do PT, por exemplo, afirmou que foi absurda a restrição para que os servidores pudessem participar da discussão.

Noêmia Rocha (PMDB) foi na mesma balada. Disse que o ato dos servidores na semana passada foi de fato “radical”, mas disse que isso se deve à intransigência do prefeito Greca, que tenta aprovar os projetos sem sequer discutir com as categorias afetadas.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.