Assinaturas Classificados
Seções
Anteriores
Publicidade

Curitiba Baixa Gastronomia

Quem faz o blog
Seções
Aberto aos domingos
Boteco
Coluna na Bom Gourmet
Comida de rua
Feira de rua
Mapa da baixa gastronomia
Na madrugada
Posts
Restaurante
Enviado por admin, 11/05/12 8:46:00 AM

Rumo ao Atletiba: Bar do Toninho

Guilherme Caldas
Bar do Toninho: reduto atleticano.

Ao entrar pela porta, fica fácil saber por quais cores bate o coração do seu Antônio Carlos, o Toninho, que empresta seu nome ao bar (embora na placa leia-se Bar Stela). Instalado no número 1776 da Ângelo Sampaio, encontra-se aquele que é tido como um dos maiores redutos atleticanos de Curitiba.

Seu Toninho não arrisca um placar para o Atletiba, mas seu filho Juba crava “2×1 pro Furacão”, talvez por estar ainda sob o efeito do placar do jogo da véspera, em que o Atlético despachou o Cruzeiro pela Copa do Brasil. Do outro lado do balcão, um freguês opina “1×0″, mas para o Coxa. É a opinião de Manoel, frequentador assíduo do bar, embora torça para o Coritiba.

Guilherme Caldas
Atlético no coração, mas amigos em várias torcidas.

Sim, porque o Bar do Toninho torce e sofre pelas cores vermelha e preta mas acolhe seguidores de todas as agremiações. E o fato de algumas delas serem extintas é só um detalhe. Que o diga o seu Pedro Ivo, torcedor do Paraná Clube desdes os tempos de Esporte Clube Água Verde e frequentador do lugar antes mesmo de se tornar o Bar do Toninho.

É ele quem puxa a história, que seu Toninho completa: “quem construiu tudo aqui foi o seu Salvador, que abriu a mercearia em 1947″. Esta primeira fase se encerra em 1962, quando o estabelecimento, que ocupava um terreno que ia até a D. Pedro II, foi vendido para o Café Alvorada. Reaberto, ainda como mercearia, em 1978, o bar passou por mais alguns proprietários, antes de passar à família Stela (daí o nome na placa).

Guilherme Caldas
O molho

A identificação com o Atlético, ao contrário do que se imagina, não foi imediata. “Ali por 85, na época em que o Coritiba foi campeão brasileiro, vinham aqui uns fregueses coxa-branca, que eram meus amigos, mas eram também uns chatos!”, nos conta o Toninho, justificando como ele – um são paulino convertido – sua família e o bar acabaram indo para o lado rubro-negro da força.

Funcionando ainda como mercearia, o lugar aos poucos foi se adaptando ao novo perfil de ocupação das redondezas, em que casas residenciais passaram a dar lugar a prédios e estabelecimentos comerciais. “Antes, dava 6:30 da manhã, a gente já estava aberto, vendendo leite, pão, verdura. Mas a calçada começou a ficar vazia e eu precisei fazer o meu sinal de fumaça, que nem índio, pra chamar as pessoas de volta”.

A “Fumaça”, no caso, é mais ou menos literal: saía de um latão cortado ao meio, posicionado na calçada, em que seu Toninho passou a preparar carnes, chamando de volta parte da freguesia que aos poucos migrava para as novas padarias abertas no bairro. Também serviu para atrair novos fregueses, agora funcionando como boteco.

A porção de torresmo é o campeão de pedidos, mas a porção de bolinho de carne e de pastel, provados pela Equipe BG, também são sensacionais. Uma das marcas registradas do balcão do Bar do Toninho é o molho da casa, feito a partir de uma combinação que lembra o vinagrete. O diferencial do molho é a adição de alguns ingredientes, que o seu Toninho até conta quais são, mas nós da BG vamos ficar moita, que é para você, leitor amigo, ir até lá e perguntar pessoalmente a ele.

Guilherme Caldas
Nem só de futebol se vive no Bar do Toninho

——————

Serviço
Bar do Toninho
Rua Ângelo Sampaio, 1776 (veja a localização no Mapa da Baixa Gastronomia)
(41) 3225-3774
Aberto todos os dias das 10:30 à meia noite (domingo, até 21:00)
Não aceita cartões

Siga-nos no twitter ou junte-se a nós no Facebook!
Gostou? Não gostou? Tem uma sugestão de lugar? mande um email pra gente.

E aproveite pra conhecer o Mapa da Baixa Gastronomia.

Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
      • NOTÍCIAS MAIS COMENTADAS
      • QUEM MAIS COMENTOU
      Newton S Beck | 12/05/2012 | 12:10

      Bar do Toninho na Av. Presidente Kenedy é eclética, tanto é que o dono anterior Antonio Carlos Nazario (morto por assaltantes) era coxa roxo, sua irmã e seu cunhado reabriram o bar sua irmão a Abegail (bega) também é coxa roxa, seu marido Sidnei é atleticano, os frequentadores coxas e atleticanos assistem em paz os jogos

      Sandro Moser | 11/05/2012 | 10:46

      Há algumas décadas, o grande bar da cidade. Para melhor entende-lo, sugiro que o visitante de primeiro gole leia o texto afixado na parede cujo o título é revelador "A República Popular do Bar do Toninho", da lavra do grande JC Fernandes. Tá tudo ali. Em tempo: para estas próximas noites frias a mãnha é pedir a porção de moela ao molho. para beber, a impagável "água de valeta".

      Publicidade
      Publicidade
      Publicidade
      «

      Onde e quando quiser

      Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

      Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 49,90 por mês no plano anual.

      SAIBA MAIS

      Passaporte para o digital

      Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

      Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

      CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

      »
      publicidade