*

Enkontra.com
Blog Palpite de Alice

Carta aberta aos pais

Amado paizinho,

Hoje é dia de lhe dar aquele abraço mais gostoso do mundo, né?

Pensei bastante e queria marcar esse dia, de um modo especial no seu coração e resolvi escrever esta carta.

Sabe pai, eu o amo desde o dia que senti o seu amor fazendo carinho na barriga da mamãe. Eu não conseguia entender bem aquela emoção, mas sabia que o toque era bom e tinha o dom de me acalmar. Confesso que, muitas vezes, também teve o dom de me agitar e eu me remexia e chutava muito querendo me comunicar com você.

Eu era sim, muito ligado a mamãe, mas entenda isso não significava que a amava mais. Eu nasci das entranhas daquele coração e descobri o amor por ela, que generosamente me conectou a você papai.

Era só essa a diferença…

Eu amava quando você me dava banho e achava engraçada a expressão de medo da mamãe nas primeiras vezes.

Eu sempre curti que você me desse a mamadeira, porque só fingia que eu arrotava e ria um monte.

Você brincar comigo era a glória! Não importava a brincadeira! Eu me sentia a mais importante das crianças do mundo!

Quando eu me machucava, era o seu abraço e cuidado que me faziam sentir corajoso. Eu tinha certeza, que já ia sarar, porque você me dizia isso!

Eu amava quando você me levava para escola e me desejava uma boa aula e sentia-me mais confiante nas apresentações porque você estava lá, sentado, sorrindo e chorando com uma máquina fotográfica na mão.

Com você, aprendi a andar de bicicleta, a pegar jacaré na praia, a fazer churrasco, a descascar camarão, a ser honesto, trabalhador e íntegro.

Sei que muitas vezes lhe “tirei do sério”. Na adolescência lhe respondi, desafiei e quis me rebelar. Mas sua paciência e firmeza conseguiram me guiar à vida adulta.

Com seu apoio, segui até a formatura, consegui meu primeiro emprego, meu primeiro carro e minha primeira viagem sozinho.

E a cada passo, você estava lá, sorrindo e contando-me pelo olhar como é grande o amor que mora no seu peito.

Pai, talvez, nem saiba, mas foi o seu exemplo de vida que me orientou quando eu estive sozinho. Eu pensava assim: “-Puxa, o que meu pai faria?” ou “-O que meu velho diria pra mim agora?”. Impressionante como você mora no meu coração, no sentido literal!

Ver você com meus filhos é enternecedor! Revivo tudo! Passado e presente juntos, com um toque de mel.

Neste dia, queria que soubesse que sou imensamente grato por tudo! Que reconheço cada ato de amor, cada renúncia, cada desafio e cada prova que teve que transpor por mim!

Queria que soubesse que valeu a pena, que me orgulho de você e que te amo além da vida!

Com amor,

Seu filho