*

Blog Palpite de Alice

Gastronomia no Mundo – parte 1

Foto - Visual Hunt
Foto - Visual Hunt

Comendo no Japão!!!!!

Foto - Visual Hunt

Foto – Visual Hunt

Quem também gosta de procurar conciliar viagens com gastronomia?

Foto -arquivo pessoal

Foto -arquivo pessoal

Nós adoramos! Não só por causa de nosso restaurante (Cenacolo Restaurante E Eventos) – muitas vezes nos inspiramos em idéias e sabores experimentados para adicionarmos ao nosso menu – mas também, para aprendermos e conhecermos sobre ingredientes locais, hábitos e parte da cultura.

Claro que algumas vezes nos demos mal experimentando coisas novas, mas na maioria das vezes, foi no mínimo interessante.

Visitar o Japão de forma independente (sem excursão com todos os passeios mastigadinhos –desculpe o trocadinho mas não resisti…rsrsrs), não é para iniciantes. Pouquíssimas pessoas, pouquíssimas mesmo, falam/arranham algum inglês “entendível”. Felizmente as placas de sinalização (principalmente em estações de trens), são bilíngues e as pessoas são solidárias e tem boa vontade.

Mas lá não é fácil entender o que é a comida. Praticamente todos os restaurantes tem amostras, em vitrines, dos pratos servidos. Mas não dá pra saber exatamente os ingredientes. Para comprar as coisas nos mercados, só através das fotos das embalagens. Nem com app-para tradução dava para confiar. As traduções para português, muitas vezes, não tinham sentido algum.

Os temperos e hábitos são muito diferentes, o que tornam a comida japonesa aqui no Brasil ser totalmente diferente da comida que provamos por lá. Como um hábito local, fomos ao mercado de peixe bem cedinho e depois provar sushis e sahimis nos restaurantes ali perto. Fora o horário inusitado para se comer esse tipo de comida, eles usam absurdamente mais wasabi dentro do sushi. Bom para desobstruir as vias áreas! Rsrsrs Não vimos nada de cream cheese na comida, nem o famoso temaki daqui…

O passeio pelo mercado é uma atração a parte. Ele abre de madrugada e antes das 5am é feito o leilão de atum, mas não é aberto ao público sempre. Mas ficamos impressionados com a variedade de frutos do mar que existem e que eles comem! Coisas que não sabemos nem o que é e definitivamente acreditamos que os japonenes comem tudo, tudo o vem do mar!! Rsrsrs

Foto - Arquivo pessoal

Foto – Arquivo pessoal

Comemos bife de Kobe, que é algo maravilhoso que literalmente derrete na boca. Não é uma coisa nada barata, nem por lá. Mas valeu a pena cada iene gasto.

Foto- Arquivo Pessoal

As panificadoras (quase todas nas quilométricas estações de metrô), são lindas, super bem apresentadas e tudo muito gostoso. Falando em apresentação dos alimentos, tudo é muito bonito, organizado, embalagens bonitas e tudo muito bem disposto. Um colorido de alegrar os olhos! Vimos uma quantidade imensa de produtos (doces e salgados), com chá verde. Sorvete, kit kat, crush, iogurte, balas, pães, etc. Foi bom para experimentar. E só. Mas e a variedade de (bons sabores) de Kit Kat, compensa o de chá verde.

Foto- arquivo pessoal

Foto- arquivo pessoal

https://catracalivre.com.br/geral/inusitado/indicacao/20-kit- kats-exoticos- e-exclusivos- no-japao/

As frutas são extremamentes caras e muitas vem em embalagens de especiais para serem dadas de presentes. Para se ter noção, essa bandeja de morangos nas fotos abaixa custava quase R$200,00!

Foto - Arquivo pesoal

Foto – Arquivo pesoal

Por Mariane Werneck Botelho

Gastronomia no Mundo – parte 1