No ritmo do final do ano - Palpite de Alice
Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
Blog Palpite de Alice

No ritmo do final do ano

(crédito: Pixabay)
(crédito: Pixabay)

Você passou o ano todo se controlando, poupando, pensando se seria correto ou não fazer um gasto e como num passe de mágica, o mês de dezembro chegou e com ele a permissão para fazer tudo errado também veio.

As festas de final de ano são muito interessantes, pois funcionam como uma desculpa para alguns comportamentos que gostamos de transgredir, mas que no dia a dia é um pouco feio de fazermos sem sermos julgados e nos sentirmos mal. Quando estamos em ritmo de férias, não consideramos nenhuma atitude sendo fora do normal.

Parar de se exercitar, gastar mais do que devemos, comer até passar mal, passar dias na praia comendo camarão frito e bebendo cerveja. São pequenos comportamentos que acabam minando todo o comprometimento de um ano inteiro.

(crédito: Pixabay)

(crédito: Pixabay)

Não que não seja correto se divertir, relaxar e aproveitar a vida na companhia de pessoas que você gosta e te fazem bem, isso é ótimo e dá uma motivação extra para começar o novo ano com mais alegria e foco, porém o exagero, a extrema permissão que nos damos é que é danosa.

Você pode comer a mais na ceia de natal, você pode ficar sem ir para a academia por uma semana, você pode comprar um presentinho um pouco mais caro do que pretendia para sua sobrinha, essas atitudes não irão te deixar mais rico ou pobre, mas sim farão você aproveitar mais alguns momentos da sua vida de maneira relaxada. O que não se deve fazer é desejar comprar tudo do bom e do melhor, fazer da semana de natal e ano novo refeições pré-corredor da morte (coma até passar mal), se desligar da sua saúde até o carnaval acabar.

Esse tipo de atitude fará com que você já comece o novo ano de uma maneira devedora com você mesmo, fazendo com que necessite se esforçar nos próximos 11 meses para pagar a conta alta de um período curto e intenso de esbanjamento.

Pense com carinho o que você realmente deseja para você, sua família e amigos, o que cabe dentro de seus planos e desejos e se condiz com as atitudes que irá tomar nesse período “sabático”. Não é porque o ano está acabando que devemos mudar nossa essência e esquecer nossas metas. Não devemos ficar contando cada caloria, cada centavo, cada minuto sem trabalhar, pelo contrário, aproveite bem os momentos de alegria e tranquilidade, mas não deixe de lado os seus reais objetivos e sempre se pergunte se o que está fazendo é coerente com o que deseja para toda sua vida ou é coerente somente com esse período de férias das responsabilidades.

Por Júlia Mendonça