*

Enkontra.com
Blog Verdura sem frescura

Opção vegana é mais uma razão para visitar ponto turístico de Curitiba

Bolinho salgado de batata-doce não leva glúten e é finalizado apenas com amêndoas, sem ir ao forno ou fritar. Foto: Apneia Filmes/Divulgação
Bolinho salgado de batata-doce não leva glúten e é finalizado apenas com farinha de linhaça, sem ir ao forno ou fritar. Foto: Apneia Filmes/Divulgação

Fica no Pilarzinho um dos pontos turísticos mais peculiares de Curitiba, a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). Inaugurada em 1992, a construção no Bosque Zaninelli foi feita com postes velhos e toras de eucalipto e o modelo da ONG foi adotado por outros estados, como Pernambuco, São Paulo, Bahia e Mato Grosso. A vizinha Argentina inaugurou, quatro anos depois, sua versão da Unilivre. O modelo pode ter ganhado espaço em outras paragens, mas nenhuma dessas “filiais” tem esse bolinho.

Aberto no início de 2017, O Mateiro Orgânico começou a servir o salgado de batata-doce com quinoa, uma opção vegana original e saborosa. Foto: Apneia Filmes/Divulgação

O Mateiro Orgânico serve salgado de batata-doce com amêndoa, uma opção vegana original e saborosa, desde setembro de 2016. Foto: Apneia Filmes/Divulgação

Quando estiver entrando no estacionamento da Unilivre pela Rua Victor Benato, repare em um quiosque chamado O Mateiro Orgânico. Lá vendem um bolinho salgado de batata-doce com amêndoa, condimentado com ingredientes termogênicos, como pimenta e gengibre, e finalizado com farinha de linhaça. Depois disso, não vai ao forno, nem é frita (mas a foto bem que engana: parece fritura!): o bolinho é moldado e empanado. Além de vegano, o preparo é sem glúten. Custa R$ 8,50 a unidade.

“Eu adaptei a receita de um bolinho de frango com batata-doce que eu servia em uma academia em Curitiba, onde eu tinha um café. Como eu parei de comer carne, adaptei a receita e acredito que hoje cheguei à uma fórmula legal para a massa”, explica Amanda Werneck, culinarista e instrutora de kundalini yoga, que prepara outros quitutes na mesma linha sob encomenda, como bolos sem glúten e sem lactose e pães.

Quiosque O Mateiro Orgânico, na entrada da Universidade Livre do Meio Ambiente. Foto: Reprodução/Facebook

Quiosque O Mateiro Orgânico, na entrada da Universidade Livre do Meio Ambiente. Foto: Reprodução/Facebook

O bolinho de batata-doce é entregue na quinta ou sexta n’O Mateiro Orgânico desde 2016. No exíguo espaço do quiosque são preparados diariamente cerca de dez litros de mate orgânico (como bem diz o nome), sem açúcar, que pode ser batido com frutas (R$ 7,50, oito opções) ou servido puro (R$ 5).

***

Serviço

O bosque Zaninelli, da Universidade Livre do Meio Ambiente, abre diariamente das 8 às 19h, mas O Mateiro Orgânico funciona de terça a domingo das 10h30 às 18h. Rua Victor Benato, 210, Pilarzinho. Ônibus: Linha Turismo ou a Linha Jardim Kosmos.

Amanda Werneck: (41) 9 9612-7788 e amandawerneck26@gmail.com