Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Litoral

Aconteceu de novo: Ilha do Mel fica sem água durante a temporada

Turistas chegaram a deixar uma pousada da região no início da estadia devido ao problema

  • Raquel Derevecki
  • Atualizado em às
 | Brunno Covello/Gazeta do Povo/Arquivo
Brunno Covello/Gazeta do Povo/Arquivo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Comerciantes e moradores da Ilha do Mel reclamam da falta de água no local. O problema no abastecimento teria começado no Natal e se estende até está segunda-feira (8). A quantidade de água tratada fornecida pela Paranaguá Saneamento – que passou a atender a região no lugar da CAB Águas de Paranaguá – não é suficiente para atender a demanda nessa época e a concessionária precisou utilizar embarcações para levar água até a ilha e reforçar o abastecimento. O problema não é novo e já foi registrado em outras temporadas de verão.

De acordo com a empresária Suzi Albino, de 58 anos, uma das regiões afetadas pelo racionamento é a do Farol, onde fica a pousada. “Aqui, eles estão cortando a água durante quase todo dia. Hoje recebemos água por 40 minutos. A situação é de calamidade pública”, reclamou a proprietária da Pousada das Meninas. Segundo ela, um casal de São Paulo que estava hospedado no local ficou tão indignado com a situação que solicitou o reembolso do valor pago e deixou o Litoral paranaense antes do previsto. “Nós devolvemos o dinheiro das últimas diárias que eles utilizariam conosco e lamentamos a situação. Não tinha mais o que fazer”, lamentou.

Leia também: Enviado para socorrer passageiros, barco com 88 pessoas afunda na travessia da Ilha do Mel

Na Pousada Trilha do Sol – localizada no mesmo bairro – os turistas também estão insatisfeitos. Segundo Gilciana Pessoa, gerente do estabelecimento, os hóspedes reclamam da situação e são orientados a economizar. “Eu explico que a falta d’água é um problema existente em grande parte da ilha e peço para tomarem banho mais rápido, evitando o desperdício”, diz. Além disso, o estabelecimento possui uma cisterna para captação de água da chuva e a utiliza para lavar as roupas de cama e louças. “Não dá pra tomar essa água, mas a usamos de outras formas para que não falte ao nosso hóspede”.

Enquanto algumas pousadas conseguem captar água não tratada para os serviços gerais, moradores como Roberto Santana Gonçalves, 56, se adaptam à quantidade disponível na caixa d’água. Morador de Nova Brasília, ele percebeu o início do racionamento no fim de 2017 e, desde então, aumentou a economia em casa. “A empresa envia um pouco de água tratada para um bairro, depois para outro. Então, temos que cuidar para não acabar o que tem na nossa caixa. Ainda não faltou água, mas pode faltar”.

Leia também: PM e bombeiros são flagrados pelados em guarita de salva-vidas em Guaratuba

A mesma estratégia foi colocada em prática pela empresária Geci Ribeiro de Campo, de 53 anos. Proprietária da Pousada Cair do Sol, na região de Brasília, ela utiliza a água de um poço artesiano para que os visitantes consigam, pelo menos, tomar um banho rápido durante o dia. “Como a água tratada chega somente durante alguns períodos do dia, eu uso um motor para puxar água do poço. Mas a água não é tratada, então não dá para tomar”, conta.

Indisponibilidade hídrica

De acordo com a Paranaguá Saneamento (Iguá Saneamento), a Ilha do Mel é um local com indisponibilidade hídrica e nem sempre há água suficiente para tratar e distribuir para a população. Além disso, o grande número de visitantes que chegam à região nesta época aumentam o problema. A companhia afirma que tem investido para ampliar a captação de água na região e utilizou embarcações esta semana para levar 150 mil litros de água até a ilha, reforçando o abastecimento.

A empresa também afirma que recebeu denúncias a respeito de fraudes na rede, que seriam realizadas por algumas pousadas da ilha, com a intenção de reter maior quantidade de água tratada. Diante das informações, a companhia intensificou a fiscalização e solicita que todos utilizem a água de maneira consciente, evitando o desperdício.

Para denúncias e reclamações, o telefone da Paranaguá Saneamento é o 0800-6058-115.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE